sexta-feira, 29 de maio de 2009

Desenferrujar

Ontem ao fim da tarde resolvi tirar o pó à caixa das contas e dos alicates e meter mãos à obra para fazer uma reparação num brinco... quando dei por mim já tinha uns quantos pares feitos e o trabalho que tinha ficado só 5 minutos à espera, afinal ficou esquecido até hoje de manhã!

Dois já têm dona e outros foram estreados por mim!



estes já sairam à rua hoje

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Vivó luxo

Nos idos anos de 1999, 2000 e por aí adiante até 2003, os estudantes de Coimbra podiam frequentar o famoso "Bar dos Jardins da Associação". O "Bar dos Jardins da Associação" tinha uma importante carga mística, porque lá tinha acontecido a famosa Assembleia Magna de 1969, porque por lá tinham passado os Faustos, Zecas e Alegres deste nosso Portugal, porque os nossos pais contavam histórias daquele recanto (que sem a história pouco era).

a AM que comemora hoje 40 anos

A oferta, devidamente acondicionada num contentor de obras (mais coisa menos coisa), resumia-se a cafés e finos, ambos, mais ou menos quentes. Havia algumas mesas, também elas históricas ou então roubadas a outros cafés da praça, e um extenso "relvado" onde cada um escolhia o seu lugar.
Para além da fauna estudantil das mais variadas estirpes* era possível encontrar outra bicharada: mosquitos à brava, rãs (mutantes) que povoavam o que em tempos longínquos foi um lago, besouros, osgas entre outras criaturas que deus-nosso-senhor criou num momento de menor inspiração. Mas por algum motivo, que terá algo a ver com a estupidez e falta de critério própria da entrada nos "vintes", a ida ao "Bar dos Jardins da Associação" a partir de Maio** era ponto acente na rotina diária.

Hoje, depois de almoçar decidimos ir tomar o café ao "Bar dos Jardins da Associação"...

Qualquer semelhança com a realidade que conheci*** é pura coincidência! Ele é um balcão em aço escovado com fotografias dos antigos estudantes, todo o tipo de bebidas, gelados, sandes... tudo o que o mais exigente cliente possa desejar!

...sinais de que hoje se comemoram 40 anos da "Magna" em que ficou instituído o luto académico, em que muitos estudantes bolseiros foram impedidos de continuar a estudar, em que ter coragem era arriscado, é que nem por isso...

o novo Bar dos Jardins da Associação

Tenho cá para mim que o espírito académico mudou muito!

as Monumentais enfeitadas para relembrar uma data que não é mais que isso

* betos arrogantes de direito e medicina, freaks de biologia e arquitectura, rebarbados de engenharia, snobs com tendências fascizóides de economia, entre outros....
** durante o tempo frio estava fechado e com chuva também não abria
*** para não falar da que os meus pais conheceram

quarta-feira, 27 de maio de 2009

(In)justiça

O dia até começou bem, com um sol maravilhoso a entrar pela casa dentro sem pedir licença e comigo a agradecer-lhe por o ter feito.

o sol instalado na minha varanda

Continuou bem, com um duche quentinho qb na minha casa de banho que é realmente bonita e que, segundo alguns amigos, parece um spa*.

é ou não é bonita?!?!

Cumpri a minha nova rotina diária com os senhores da RTP a darem-me as notícias** e depois de um belo pequeno almoço, preparei os óculos escuros e a maçãzinha (ipod) para me fazerem companhia nos 20 minutos de caminhada entre casa e o Departamento. Banda sonora escolhida - Tempos dos Assassinos***. Começo ao som de:
"Acorda menina linda anda brincar
que o Sol está lá fora à espera de te ouvir cantar..."
e chego ao som de
"és a minha maçã de junho
és o teu corpo e o meu..."



Ligo o computador e penso que o dia está lindo, que tenho pessoas fantásticas na minha vida e que não há como nada hoje correr mal!

Soa o "plim" do mail e leio no balão que se abre no monitor: "Mocinha... que tristeza..." o tom é carinhoso e jenuíno, mas indica que perdemos uma luta****. "Lutamos ainda mais um bocadinho", diz-me o retorno do mail. E eu respondo com um arregaçar de mangas ainda que a vontade fosse aproveitar o gesto para fechar o punho e atingir alguém com a mesma intensidade com o que o sentimento de injustiça me atingiu a mim!

Depois de confessadas as minhas dores a quem realmente importa, recebo uma mensagem que diz tudo sobre tudo:
"que se f"#$% ... é só dinheiro! sei que dava jeito agora, mas não deixa de ser só dinheiro! o importante é que estás na luta e continuas uma pessoa recta e a olhar em frente! trata de olhar para os dois exemplos de luta que tens***** e força!"

A força chegou cá e a boa disposição também!
Quantos são, quantos são?!?!

...não garanto é que a vontade de partir a tromba a quem merece tenha passado!

* antes fosse! mas não está nada mal!
** inclusivamente as do trânsito de Lisboa e Porto, não vá a malta ter que passar por lá a caminho do trabalho
*** agora já percebi que é preciso dar mais atenção aos "sinais"
**** daquelas lutas injustas, em que os patrões se safam a assobiar para o lado e dizem-se falido e quem trabalhou não vê recompensado o seu esforço e o seu empenho... o chamado trabalhar para aquecer
***** a mãe e avó, que nunca baixaram os braços mesmo quando o problema era maior que elas!

terça-feira, 26 de maio de 2009

Acho que ela não gosta de mim...

É do conhecimento geral que só trabalho bem com a corda ao pescoço, a pistola contra a cabeça e a faca nas costas... mas ele há dias em que até consigo imaginar que estou a ser ameaçada de morte em cada um dos lugares anatómicos acima referidos, lá engato a viatura - que é o meu pensamento - e com algum esforço e empenho até consigo produzir alguma coisa.

Talvez porque hoje estar sol (e porque ontem não ter feito nada de jeito... e aqui o "jeito" é só para compôr a expressão) e até estava a correr bem... até que a impressora decidiu que não quer imprimir primeiras páginas! Eu sei que não preciso ter o suporte de papel, mas há coisas que têm mesmo de ser! Deixei 3 artigos a imprimir que vieram sem o seu rosto! E isto das primeiras impressões é importante até na ciência!

Porque é possível que não seja a única a estar numa fase mais hormonal e porque diz que estas coisas se "pegam", vou deixar a menina sózinha e dar um pulo à biblioteca ver se consigo avariar a fotocopiadora, o alarme dos livros e o computador da Dona L.



Não fosse o Compay estar a cantar dentro da minha cabeça* e eu estar a desfrutar a calma e a boa disposição cubana e tenho cá para mim que já tinha posto a menina hp 1022 num canto e de castigo!

* diz que os finados têm poder para estas coisas

Foi a S que disse para fazer este post

a minha agenda: "o mundo é que exagera" do planeta tangerina
Ainda me estou a habituar a abrir a caixa do correio todos os dias para tirar de lá de dentro a publicidade a coisas inúteis e contas para pagar. Nada de extraordinário. Mas, confesso que sou forreta e que ganho muito afecto a tudo o que é meu (notas, moedas e números ainda que virtuais, incluídos) por isso custa-me muito dar dinheiro a quem não conheço, e por isso quando tenho que abrir a carteira para tirar de lá os tostõezinhos que são poucos e custaram a ganhar*, estou sempre a tentar perceber se me estão a enganar ou não.

Uma das contas que me apareceu por estes dias, estava eu na companhia da S, foi no valor de €0,08. Depois de pensar que estava a ler mal, esfreguei os olhos e confirmei o valor, que apesar de mais nítido não sofreu alterações... depois sorri... depois comecei a fazer contas de cabeça:
- alguém teve de fazer uma leitura no contador para chegar a este valor de acerto: alguém que de certeza recebeu mais e gastou mais em gasolina do que €0,08;
- alguém teve que pegar no meu processo, inserir este valor, e preparar a factura e a carta para me enviar: alguém que recebeu mais que €0,08;
- foi preciso imprimir a factura e a o envolope: até admito que no total tenha ficado em €0,08;
- alguém teve de pôr a carta no correio: vou considerar que esse alguém ia no caminho de casa, passou por um marco e deixou lá a carta e por isso não recebeu nada pela tarefa;
- o sr. dos correios teve de distribuir as cartas pelos respectivos carteiros que por sua vez tiveram a distribuir as missivas: qualquer um dos dois terá recebido mais do que €0,08 por esse serviço;

Tendo em conta tudo isto, acho que, mesmo correndo o risco de estar a ser enganada, o mínimo que podia fazer era pagar os €0,08!

* é que a miúda é bolseira que é o mesmo que dizer que não recebe muito e não tem direito aquelas coisas giras de subsídios de férias e 13º mês... e além do mais jurou que os tostões iam antes para viagens, mergulhos e trapinhos....

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Para ler ao som de*

*

Mayra Andrade

Esta miúda, para além de linda-que-não-dá-para-acreditar, inteligente e bem falante (em mais do que um idioma), canta tão bem que consegue sempre "levar-me" para lugares mornos e bonitos, onde nunca estive!

Como segundo "os-senhores-do-tempo" para já o que temos é isto

previsão para hoje

e só daqui a uns dias é que passamos para isto

previsão para quarta-feira


desconfio que vou ter de a ouvir... e muito!

Ruim-má-cobra*

Não sou uma pessoa fácil! Aliás, há dias em que duvido que seja de facto "pessoa" já que pendo mais para o lado do "bicho" e arisco! Só quero estar no meu cantinho quieta e sossegada e quem se arrisca a tentar arrancar-me desse espaço, leva uma arranhadela do pior**! Assim do nada!
Tenho manias que não se aguentam e ora está tudo muito bem, ora está tudo muito mal e se fôr preciso no espaço de 5 minutos***!

Eu própria não acharia isso mal, não fosse dar-se o caso de uma vez por outra as vítimas serem as mesmas pessoas que depois me fazem festinhas até eu começar a fazer ron-ron...

Gostava de perceber porquê e arranjar esses defeitos, mas não sei muito bem como... Haja paciência, ou sapatilhas de corrida!

nestas alturas, o melhor é mesmo nem sequer olhar!

* "nome carinhoso" que o mau avô M me chamava em miúda
** a culpa pode ser das hormonas
*** das hormonas e do mau tempo

Segunda-feira #8

quinta-feira, 21 de maio de 2009

"Balanço anual" ou "este post é muito longo, se calhar é melhor não ler"


Ora então, faz hoje um ano que fiz 27 anos, que é como quem diz que hoje faço 28. Para mim os dias de aniversário são sempre estranhos: tenho que dividir as refeições do dia pelo pai, pela mãe e pelos amigos. Não seria problema se ainda se praticasse o hábito de cear, mas como tal não acontece, torna-se complicado distribuir no mesmo dia, três momentos importantes por duas refeições. Normalmente tudo se resolve, mas falta sempre alguém.

É raro fazer um balanço do ano. Nesse aspecto sou tipo avestruz, prefiro não pensar muito no assunto, não vão as minhas suspeitas estar certas e haver qualquer coisa a resolver que implique algum trabalho e, horror dos horrores, algum sofrimento... que não gosto! É uma mania que tenho, não gosto de sofrer. Mas este ano resolvi fazer um retrospectiva deste último ano de vida e publicamente!

Não se pode dizer que os 27 anos tenham começado da melhor maneira... pouco tempo depois de os cumprir, recebi a novidade que afinal não havia motivos para planear um futuro com a pessoa com quem eu (e o “eu” não é casual, era só mesmo eu) partilhava tudo o que podia partilhar porque afinal de contas, e apesar de ser uma boa ilusão, não era homem para isso. A notícia, que caiu que nem um murro seco no estômago (daqueles que fazer perder o ar, o chão e fechar os olhos com tonturas), foi recebida a alguns milhares de quilómetros de distância* e pelo telefone, porque a coragem também não era um forte “da peça”. Ainda no estado de choque, resolvi aproveitar a mais recente liberdade e desfrutar dos encantos de um país diferente e do anonimato, para testar os poderes do flirt, há muito guardados, com nativos muito simpáticos! Falando em nativos... apeteceu-me muito, muito mesmo desenvolver um affair com um certo irlandês bem simpático, mas isso era estar a dar mais importância ao recém falecido do que a mim e por isso resisti. Não me arrependo!

eu com a S e o F que me aturaram no meu modo "desgostosa"!

Toca de chegar a Portugal, empacotar a vida, a casa e o cão numa carrinha e fazer os últimos 300km de volta para o colinho dos pais e lamber as feridas. Até que se fez luz! “So what?”, sow what: há um tipo que até me deu uns momentinhos bem passados mas que afinal não é mais que muito-pouco-para-mim**! Estou rodeada de gente que gosta mesmo de mim e é isso que vale a pena! Toca a aproveitar! Toca a ser feliz! Toca a ter o que mereço! Daí para a frente foi o que se viu: viajar e festejar muito e por todos os motivos!

Viagem aos meus Açores-do-coração: Flores e Corvo! Baterias carregadas, coração a funcionar como deve e todos os sentidos do corpo e do espírito testados: “alive and kicking”!
Daí para a frente foi ver os amigos (não muitos, mas os suficientes) a aparecer, não com palavrinhas de conforto e palmadinhas nas costas, mas com sorrisos francos e desafios.

nos Açores (Flores) de molho!

O trabalho continuou e talvez porque a cabeça passou a ter mais espaço, levou uma volta e tornou-se agora ainda melhor!... apesar de nem sempre apetecer! Parece-me finalmente que se vai transformar em qualquer coisa muito gira e últil! Parece-me finalmente que tenho muito orgulho no que estou a fazer!

Nova viagem, desta vez para o outro lado o mundo! Maldivas: 10 dias num barco e 3 mergulhos por dia, corpos bronzeados e paisagens de tirar o fôlego... cenário pronto e montado, só falta a love storie... ou melhor, não falta nada! Passou e acabou! Fez bem e deixou amizade!

a maldivar feliz e contente (foto do Carlos Monteiro)

Aparecem também “novos velhos amigos” e mais histórias em que se mistura a amizade com o romance. É engraçado e tal, mas não enche as medidas. Também não é isso que se procura. Aliás, assume-se que a partir daí não se procura nada! A não ser muita música, e muita amizade! Entre viagens rumo a sul para matar saudades dos amigos e dos mergulhos (que fizeram parte da minha vida por mais de dois anos), saídas à noite atrás dos melhores sons e vibrações, foi-se realmente vivendo como nunca antes! Aí, as manas do coração, a mana de sangue e os amigos fizeram a diferença!

Aprende-se a estar de novo na “casa primordial”, com tudo de bom e mau que isso tem! Adquirem-se de novo velhos hábitos e o cheiro a cloro, as nódoas negras, os braços doridos e a boa forma a espreitar voltam com os treinos. Há coisas que nunca mudam... mais uma vez, para o bem e para o mal.
Aproveita-se a companhia da mãe e do pai! Longos passeios com o bogas-da-minha-alma, leitura em dia, cinema em dia, descanso em dia, trabalho em dia, viagens... essas nunca estão em dia! Menos 20 anos e 30 rugas desapareceram entretanto!

Estou pronta! Estou forte! Quero o meu cantinho e o meu espaço! Passo a ser só eu!
Mais desafios e projectos! As casas da Nazaré prontas e o cantinho onde me sinto descalça e em casa é um reflexo de mim e do mar que tem pela frente! Entre uma coisa e outra, passo a ter uma nova morada! E o único nome que vem nas cartas é o meu! Estou feliz!

a "montar" as casas da Nazaré

Foi assim! Não foi um mar de rosas... quantas vezes liguei à minha mãe a meio de um dia de trabalho e lhe disse em lágrimas: não estou a conseguir! Quantas discussões estúpidas e escusadas com quem se ama realmente! Quantos dias de trabalho desperdiçados por falta de vontade! Quantas vezes me senti marciana no meio de toda a gente! Quantas vezes fui ao cinema sozinha por opção e sem ser... mas não trocava nada por o que vivi e aprendi durante este ano!

Está bom assim! e já agora e em jeito de discurso dos Óscares (mas muito muito sincero): muito obrigado à minha família e amigos porque sem vocês não teria sido possível!

onde está o asterísco diz "aspecto tenro"... nunca percebi o que é que queriam dizer com isso...

* no dia em que cheguei... e só ia estar lá uma semana a trabalho... e os meus colegas/amigos de viagem é que tiveram que levar comigo nesse estado... desculpem e obrigada!
** foi a primeira e última vez que se falou neste assunto!

já agora... se alguém me puder dizer se sou Touro ou Gémeos fico muito agradecida... não que me preocupe muito com isso, mas era giro saber!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Parabéns C

Era fácil, muito fácil dar um presente a esta miúda... quaisquer 5 minutos de conversa com o nosso "Carlão" concerteza já lhe(/nos) deixava(m) um sorriso no rosto... mas não deu! O moço diz que está ocupado e tal... por isso, o melhor que posso oferecer, é este post e deixar uma imagenzinha para alegrar a vista!




versão 2 em 1

Muitos parabéns!

O "lounge"

a vista de pôr do sol da minha varanda... perdão, do meu "lounge"

Este fim de semana, entre o almoço e o fim do mesmo, tinha a televisão ligada na SIC* e estava a dar um daqueles programas em que as meninas apresentadoras só podem dizer três palavras seguidas, - para que todas possam falar porque são mais que as mães - e que tornam a compreensão daquilo que estão a debitar muito mais complicada. Anyway, às tantas começa uma rubrica do tipo Cribs da MTV, mas para muito mau**, e eis que a moça que estava a ser entrevistada*** vai de mostrar o "lounge"! Nesta altura, parei de lavar a louça (ou o que quer que fosse que estava a fazer) assumi a minha ignorância e espreitei para ver o que era um "lounge"... Conheço o conceito, acho-lhe piada, mas achava complicado haver alguma coisa do género numa qualquer casa da classe média portuguesa. Ouço a menina a dizer:
"- quando quero relaxar é para aqui que venho...****"
E o que é o "lounge"? É aquilo a que vulgarmente e em bom português chamamos de varanda! Varanda! Esta tinha a particularidade de estar fechada, ter uma mesa e duas cadeiras, mas ainda assim, era uma varanda!

Olhei em frente e fiz uma descoberta maravilhosa! Se algum dia não tiver mais nada para fazer que não tentar impressionar pindéricas desse tipo, posso sempre dizer que vou descontrair para o meu "lounge"... a vista nem é desagradável de todo!

* a malta é pobrezinha e só tem 4 canais.
** porque os nossos socialites não têm assim tanto dinheiro e os que têm não se prestama a estas figuras e porque a maior parte das vezes as nossas vedetas vivem num qualquer apartamento de um bairro em Alfragide com o pai, a mãe e a avó.
*** não faço ideia quem seja e o que faça.
**** nada mais relaxante do que uma vista para o IC19 e a sua banda sonora... compreendo-a bem!

terça-feira, 19 de maio de 2009

e já agora...

e porque se é para a loucura é para a loucura, fui (já 10cm mais alta) cortar o cabelo que já estava impossível de domar!

...já tinha saudades da franja curtinha... o que não quer dizer que não leve tempo a habituar!

Pára tudo!!!

Hoje, resolvi não resistir a um apelo que tenho sentido e saí de casa em cima de uns saltos altos!!! Quem me conhece há mais tempo está com a boca aberta. Daqui a dois segundos vão ligar-me a perguntar se estou bem e depois disso se já parti alguma perna. É possível que um ou outro amigo mais preocupado ponha os bombeiro em alerta com um roteiro das zonas por onde costumo andar a pé e ainda outros que não se arrisquem a sair de casa, porque eu a caminhar em cima de umas "andas" só pode ser sinal do fim dos tempos!

E porquê? Porque sou o tipo de rapariga que gosta de andar confortável e com a cabeça a 1,63m do chão, como deus-nosso-senhor quis. Contudo, têm sido frequentes os dias que olho para os dois pares de sapatos que tenho com salto e penso em arriscar! Hoje tomei coragem e pronto! As sandálias não são muito altas (9-10cm... não medi) mas ainda assim a perspectiva da vida é outra!



Por isso, a todos que se cruzarem no meu caminho hoje, não me façam parar, subir muitas escadas ou andar por caminhos esquisitos porque o mais provável, é que a gravidade se torne mais forte que eu e me puxe ao ponto de ficar paralela com o chão!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Do tempo

Hoje acordei com mau feitio. Não é comum, a situação não era para tanto*, mas acordei com mau feitio. Seguiu-se a essa constação - estou mal disposta, não me apetece acordar, não me apetece que seja segunda-feira - outra, comum entre as raparigas e normalmente sinal "que algo está podre no reino da Dinamarca"** e que é o sentimento (mais ou menos frequente dependendo do estado de espírito) que normalmente vem acompanhado da expressão: "não tenho nada que vestir!" Dramático, porque acreditamos com toda a nossa alma que realmente não temos nada que vestir***! Com muito esforço lá descubro qualquer coisa. Enquanto contrariada arrumo computador, artigos, carteira, ouço as notícias:
"- sol para a região centro e temperaturas a rondar os 25º"
Olho para mim... olho para o céu... estou vestida de acordo com o céu que se vê da janela: cinzento e frio...

Continuo nos meus afazeres... dois segundos depois estou novamente em frente ao armário à procura de qualquer coisa para vestir que fique bem com a maquilhagem que já estava feita. Encontro. Não é perfeito mas serve.
Quase a sair de casa penso... e se os tipos do telejornal se enganaram... vou andar feita tolinha de vestidinho de verão e a rapar um frio descomunal! Nah... vou ser mais esperta que todas as cartas meteorológicas e voltar ao que tinha inicialmente****.

Estou sentada no meu lugar de trabalho. Em frente tenho uma janela que me diz que está sol e pelo vestir das pessoas, calor...

Alguém me diz para onde foi o céu cinzento?!?! Alguém me diz porque é que eu achei que sabia mais que os senhores do telejornal?!?! Alguém me diz porque é que mudei 3 vezes de roupa?!?! Alguém me diz que raio de tempo é este?!?!

Conclusões:
- é tramado ser-se gaja;
- não é um bom dia para se meterem comigo;
- os senhores do telejornal têm sempre razão;
- preciso de comprar mais roupa...

está sol e eu estou de gola alta!!

* muito pelo contrário
** neste caso foi só mesmo o ter de saltar da cama quando a vontade era ficar a fazer ronha por mais umas horas
*** apesar do armário estar compostinho
**** voltando a contornar a questão da maquilhagem

Esta até ía com dedicatória, mas não vale a pena

Foi um tipo* que disse e muito bem dito!
A saber:

Os homens só se separam porque conhecem outra?

Esta é fácil: SIM e NÃO. Sim, para os homens de tipo 1. Não, para os homens de tipo 2.

Os homens de tipo 1:
Os homens de tipo 1 são, por natureza, comodistas. E o comodismo é o princípio do fim de qualquer relação. Estes machos lutam pouco pelas mulheres que têm ao lado. Mas depois são capazes de lutar muito mais para tentar seduzir a gaja da contabilidade que até tem boas mamas e, diz-se lá pelo escritório, "dá umas baldas ao pessoal".
Este erro, tão e tão comum, até pode tornar os dias dos homens de tipo 1 alegres e divertidos. Mas torna, inevitavelmente, as noites, ao lado da nossa mulher, um inferno.
Por serem comodistas, e muitas vezes fracos, os homens de tipo 1 suportam viver durante muito tempo mergulhados num relacionamento sem chama, sem vida, sem desafios, sem amor, sem sexo, até. Deixam as coisas andar. Chegam a casa, beijo na mulher (aquela reles beijoca à pressa e já gasta), sapatos fora, chinelos, camisa para fora das calças e tumba! no sofá. Lamentam-se de mais um dia estafante - omitindo a parte divertida, em que estivemos a flirtar com as mamas... desculpem!, a gaja da contabilidade.
E se a mulher ainda tenta sugerir uma ida ao cinema, invariavelmente levam com o "eh pá, hoje estou demasiado cansado", rematado com um "hoje preferia ficar por casa a fazer qualquer coisa". Esse "qualquer coisa" é, quase sempre, nada. Os homens ficam ali. Apenas. Não vivem, sobrevivem.
Muitos homens do tipo 1 andam nisto anos a fio. E estes, sim, só largam as mulheres que tiverem um estímulo muito forte. E esse estímulo forte é, sempre, outra mulher.
Acontece, também, que um homem de tipo 1 olhe para trás e perceba os erros que cometeu. E não os queira repetir. Evolui, então, para um homem de tipo 2.

Os homens de tipo 2:
Os homens de tipo 2 são mais modernos, mais activos, mais urbanos e vivem, quase sempre, relações menos monótonas e mais distantes. Mas o que define um homem de tipo 2 não é a mulher com que ele está, mas a forma como ele aborda a relação que vive.
Um homem de tipo 2 gosta de se sentir bem. Gosta de fazer as suas coisas, gosta de cuidar de si, gosta de viver. E espera sempre que a relação que tem não o limite nessas coisas. Só que em todas as relações é necessário haver cedências. Haverá sempre momentos em que um quer uma coisa e outro quer outra. E aí, é preciso ser egoísta ou altruísta. A felicidade reside neste jogo de toma-lá dá-cá. Um dia faz-se a vontade de um, outro dia a vontade do outro. As decisões são pesadas: é mais importante para ti fazer o que tu queres, ou é mais importante para mim fazer o que eu quero. E depois decide-se. Se as coisas forem assim, perfeito. Mas raramente o são. E é aí que, geralmente, surgem os pequenos conflitos, que muitas vezes deixam marcas ou acabam por tomar proporções inimagináveis e incontroláveis, levando a distúrbios sérios nas relações.
O homem de tipo 2 sente uma necessidade profunda de ter a sua vida, para lá da relação que tem. Quando lhe é tolhido esse lado, a vida perde metade do seu sentido. Para estes homens, esse pode bem ser o estímulo para terminar uma relação. Sem ser preciso haver outra.


E não é que existem homens do tipo 2!!! Mas é preciso ter sorte!

* fiquei fã! mesmo!!!

I just can't get enough

O meu Bogas lindo,





...de um ataque de soluços!

Segunda-feira #7

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Passarinho voa voa

Ainda sobre a surpresa da S.

tropa reunida

comidinha mais que muita e mais que boa

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Dualidades

Tenho várias dualidades:
- não sei se sou Touro ou Gémeos;*
- tenho serra e mar na família;
- sou do benfica e da académica em partes iguais;
- não sei se sou impulsiva demais ou racional demais;
mas o que me baralha mais é saber de que terra sou:
- Coimbra ou Nazaré? nas duas nascida e criada...

São as duas "Senhoras" muito muito bonitas e desta feita mostro a mais velhinha, a dos encantos, das tricanas, dos futricas e dos estudantes:







é ou não é bonita!

* não que ligue muito a isto dos astros, mas às vezes era giro saber que quadradinho ler;

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Canadá*

Ontem foi dia de surpresa para a menina S. que vai de viagem para o Canadá por uns tempinhos (pequeninos... porque a malta não sabe o que faz sem ela por perto!) mostrar aquela gente de lá como é que é trabalhar bem!

Durante quase uma semana, andámos** a montar a operação "Passarinho voa voa"! Uma coisa à séria: nomes de código, missões atribuídas de acordo com o perfil de cada um de nós, muito secretismo, manobras de diversão... tudo! E não é que o raio da miúda ia estragando tudo!!! Não queria sair de casa nem por mais uma! Ele foi tentativas de almoço, desafios para o cinema, apelos de amigas tristes e desesperadas, mas só a arrancámos de casa e do trabalho com mais trabalho!!! Já não se fazem pessoas assim!

Depois lá apareceu e o pessoal, que esteve uma bela horita à espera cheio de fomita, atacou no cheesecake (minha), na tarde de maçã (da F), no bolo de chocolate (M), na bôla (V), na Quiche (ST), nos aperitivos (C), na mousse de manga (outra C), nos "ossos" (AL) e nas bebidas, comeu como se não houvesse amanhã! E foi um serão muito bem passado!

Hoje estou em fase de desentoxicação e de recuperação da overdose de açucar...

"Passarinho" muita sorte para esta tua viagem! Vais adorar e trazer-nos muitas novidades! Nós vamos ficando à espera que regresses!

nós, numa das nossas idas... Howth, que segundo consta é mágico...

* para ser ouvido ao som de "A case of you"
** colegas de departamento e profs

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Mudando o tom...

...não é hábito meu abordar este tipo de assuntos, mas tem mesmo de ser! Estava a passear por aqui e vi esta história! Chorei a rir no local de "trabalho"*

“Todos os métodos de depilação enganam as mulheres com promessas de remoção indolor dos pêlos. A minha noite começou tal como outra noite de semana. Chegar a casa, tratar das coisas, fazer o jantar. Depois tive a ideia que me iria massacrar o pensamento durante as horas seguintes: “se calhar devia aproveitar para tirar a embalagem de cera do armário”. Parti então para o local da minha missão: a casa-de-banho. Era um daqueles kits de cera fria. Não é preciso derreter uma porção de cera quente, basta esfregar as bandas de cera nas mãos, descolá-las, aplicar nas pernas (ou seja onde for) e arrancar os pêlos. Tão simples quanto isso. Quão difícil é que pode ser? Quer dizer, não é preciso um génio para perceber isto. (ACHAM MESMO QUE SIM?) Bem, lá tirei uma das bandas. Eram duas tiras de frente uma para outra. Aí tenho uma ideia excelente e em vez de as esfregar nas mãos para aquecer, decido aquecê-las com o secador a não sei quantos graus. (Cera fria, sim, claro!) Coloquei a banda na perna. Estiquei a pele e arranquei. Funcionou! Ok, não é a melhor sensação do mundo, mas também não é assim tão mau. Eu consigo fazer isto! A depilação já não me leva a melhor e eu consigo lutar contra os pêlos para ter uma pele lisinha e impecável. Decido aventurar-me e passo para a zona das virilhas. Dispo as cuecas, coloco um pé em cima do tampo da sanita, e, usando o mesmo método, coloco uma banda de cera no lado direito da virilha, cobrindo já uma parte do meu *pipi* até à parte interior da bochecha do rabo. (Sim, as bandas de cera são compridas) Respiro fundo, preparo-me e ZÁS! “Estou cega!! Ceguei com a dor!!! Oh God!!!” Ok, a visão regressa, e reparo que afinal só consegui puxar metade da banda. MERDA! Mais uma inspiração funda e, ZÁS! Estou a ver tudo desfocado. Acho que vou desmaiar… tenho que me manter consciente… respira… ok, tudo de volta ao normal. Quero ver o que consegui com isto – uma banda de cera, a mesma que me causou tanta dor, completamente coberta com os meus pêlos. Quero ver orgulhosa que consigo combater os meus próprios pêlos. Viro a banda para mim. Não estão lá pêlos nenhuns. Onde estão os pêlos?! ONDE ESTÁ A CERA?! Calmamente, baixo a cabeça, o pé ainda sobre a sanita. Vejo os pêlos. Os pêlos que deviam estar na banda. Ponho os dedos no local. Estou a tocar na cêra. MERDA. Passo os dedos pela pele que agora está coberta de cera fria e pêlos pegajosos. É aí que faço o segundo GRANDE erro... lembram-se que o meu pé está sobre o tampo da sanita? Como preciso de fazer alguma coisa, começo por pôr o pé no chão. NÃO! Oiço um leve barulho como as dobradiças presas de uma porta. *Pipi*? Completamente colado! Rabo? Completamente colado! Ando aos saltinhos pela casa-de-banho a tentar decidir o que fazer e só penso que o melhor é não ter vontade de fazer chichi ou a minha cabeça irá explodir. O que é que posso fazer para voltar a derreter a cera? Água quente!! Água quente derrete a cera!!! Deixo correr a água mais quente que consigo aguentar para dentro da banheira, meto-me lá dentro com as partes que têm cera imersas na água, a cera derrete, e eu consigo tirar tudo com cuidado, certo? ERRADO!! Entro na banheira - a água ligeiramente mais quente do que a usada para torturar prisioneiros ou para esterilizar equipamento cirúrgico - e sento-me. Agora, a única coisa pior do que ter a zona íntima colada, é tê-la colada ao fundo da banheira... com água a ferver. Que, já agora, não derrete a cera. Resumindo, estou presa à banheira, como se fizesse parte da porcelana da mesma. Deus abençoe o homem que me convenceu a pôr um telefone na casa-de-banho! Ligo à minha melhor amiga, pensando que isto já lhe aconteceu antes e que ela terá algum segredo que me solte da banheira. A conversa começa logo “bem, o meu rabo e o meu pipi estão colados à base da banheira!” Faz-se uma pausa no telefone. Ela não conhece nenhum truque secreto para me ajudar mas tenta esconder o riso. Quer saber exactamente onde está a cera, “estamos a falar das virilhas ou do pipi mesmo?” Neste momento já se ri às gargalhadas. Eu consigo ouvi-la. Conto-lhe o que aconteceu e ela sugere que eu ligue para o número de assistência que vem na caixa. Sim, claro!!! Agora vou ser a anedota da noite de alguém! Enquanto pensamos em várias soluções, vou tentando arrancar a cera com uma gillette. Nada sabe melhor do que ter o corpo cheio de cera, colado, preso ao fundo da banheira, e tentar rapar tudo a seco com uma lâmina! Por esta altura o meu cérebro já não funciona, a dignidade foi dar uma volta, e tenho a certeza que vou precisar de apoio psiquiátrico depois disto. A minha amiga ainda está a falar comigo quando finalmente vejo a minha salvação... os toalhetes húmidos que vêm na caixa para remover os restos de cera. O que é que tenho a perder nesta altura? Esfrego um na pele, e ARGHHHH!!!! O meu grito deve ter acordado a vizinhança inteira. Dói horrores mas sinceramente já nem me interessa. FUNCIONA! Funciona!!! A minha amiga congratula-me e desliga. Retiro com sucesso o resto da cera e é então que vejo com desespero que os pêlos continuam lá. TODOS!! Por isso decido rapá-los. Já estou dormente. Nada me dói. Por esta altura até podia ter amputado a minha própria perna! Na próxima semana experimento pintar o cabelo em casa... (ESTÁ-SE MESMO A VER!)”

Nunca me aconteceu nada assim, mas algo parecido**

* caros colegas, espero que me perdoem, mas era quase hora de almoço!
** em miúda e na primeira vez que resolvi experimentar fazer a depilação (em zonas prefeitamente inofensivas, entenda-se) com as tais bandas de cera... acabei por não ter coragem para as tirar e saí à rua com as ditas agarradas ao corpo, ainda que tapadas pela roupa!

Detalhes


No fim de semana com a ajuda do V e do C (aka S) lá apliquei o stencil que estava guardado há duas semanitas... acho que ficou bem melhor do que a sugestão dos senhores do ikea!

Segunda-feira #6

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Aconteceu

Já foi há uns dias... daqui a pouco há uma semana, mas só agora é que me começo a sentir em casa, em minha casa. Por isso só agora é que aqui estou a registar a quase novidade, que já tinha sido anunciada aqui e aqui: e que muito rapidamente significa que desde o ínicio do mês voltei a ter o meu cantinho, mas desta vez só para mim e para todos os amigos que lá quiserem passar*!

a "entrada" da "sala"

Tem sido giro, voltar a criar o meu espaço** e ainda não saber ao certo onde estão as coisas, mas acima de tudo, ter ainda muito lugar vazio para ir preenchendo com os momentos desta nova etapa da minha vida!

a "cozinha"

Mas isto de mudar, dá um trabalhão do caraças, principalmente quando as mudanças acontecem todas ao mesmo tempo: as casas da praia, a casa da S. (antiga dona da "nossa" casa) e as minhas mudanças...! É um sem fim de empacotar, transportar, desempacotar, arrumar, limpar, comprar... mas agora já está tudo organizado no meu "ovinho"!

as arrumações... o tempo de limbo entre a S. e eu

Agora é ir entrando sempre com o pé direito e deixar aparecer o sorriso que resulta de uma vida nova!

a mim!

* desde que saibam a morada... o que não é para todos!
** já tinha acontecido antes mas não no modo "a solo".... mas é como diz o outro, antes "a solo" que mal acompanhada!

terça-feira, 5 de maio de 2009

Este post é assumidamente uma cópia*



Eu não sou ninguém para desmentir ninguém e muito menos este senhor**:

Esquecer uma mulher inteligente, custa um número incalculável de mulheres estúpidas.
in Livro das Crónicas, 1998

Assim sendo, estando identificado o "problema", que por si só oferece a solução para o mesmo, só me resta concluir que são raros os homens deste País que lêem, caso contrário já teriam encontrado esta frase e transmitido aos demais companheiros de género... ou então há por aí muito masoquista... ou então só aprendem a ler tardote na vida... ou então são muitos muitos aqueles que perferem mulheres estúpidas***.

Seja como fôr, os que "sabem ler", valem por todos os outros! E as miúdas inteligentes e que têm sorte acabam por os encontrar****!

* deste
** António Lobo Antunes, que apesar de ser um grande benfiquista e de escrever muito bem, às vezes tem um ar assim para o arrogante
*** e nesse caso, que nosso senhor os guarde longe das mulheres inteligentes... porque às vezes a carne é fraca
**** se calhar é de começar a frequentar mais livrarias e bibliotecas

segunda-feira, 4 de maio de 2009

2 de 3

Ontem foi um dia especial, porque foi o dia da mãe!... ou melhor, não foi o dia que foi especial, a Mãe é que é especial! Se assim não fosse, como compreender os foguetes e o espetáculo lindo lindo*, que foi ver o nosso mar, cheio de barquinhos engalanados (e vaidosos) que se mostravam a todos que os reconheciam com sorrisos!

Mas hoje também é o dia da mãe... e da mana! Fazem as duas anos**! Separam-nas 29 primaveras, que cada vez parecem mais pequenas! Duas mulheres e tanto que me servem de bússola e que pertencem a uma unidade de três partes!

as costas da mana e o sorriso da mãe em Roma, na "viagem de aniversário" do ano passado

Parabéns, muitos parabéns!...

* que vimos da varanda da nossa casa e pouco depois na praia
** não se diz a idade das senhoras, mas é para não causar invejas de bonitas e fresquinhas que estão!

Segunda-feira #5