terça-feira, 30 de junho de 2009

Diagnóstico: viciada


Acho que tenho que ir para recuperação! Ontem, assim de repente, vi 8 episódios da primeira temporada do Gossip Girl*... mais grave do que isso, nem foi bem ver, foi mais rever, porque pelo menos até ao oitavo episódio já tinha visto no AXN aqui há um ano ou assim!

Estou é tramada porque não consigo encontrar a segunda temporada completa e estou com medo da ressaca!!!

Nunca pensei que isto me pudesse acontecer a mim!**

* já agora, alguém me explica porque é que aquelas cabras além de serem lindas de morrer têm que ter corpões assim e vestir do melhor?!?! É que não me parece justo!
** ou então estou a começar a perceber que quatro canais portugueses não são de facto a melhor companhia...

A quem possa interessar:

Babes... vamos lá ver nos organizamos!
Não sei se estou a perceber porque é que agora, de um momento para o outro, se fartam de cair aviões* carregadinhos de gente, por tudo quanto é lado!
Não é que tenha medo de andar de avião, mas se querem ver uma Guilhim devota, a roçar o beata, é repararem como antes e durante a descolagem e aterragem, ela fecha os olhitos e junta as mãozinhas como quem não quer da coisa e reza a todas as divindades criadas pelo homem e não só, a pedir que se adie mais uma catástrofe!

Por tanto, combinamos que as contas já estão equilibradas e vamos deixar os aviõezinhos no céu que é mais giro do que estatelados no meio da água! Pode ser?

Já agora, aquele pontinho de terra entre as núvens é o Pico. A foto é do PJ um dos companheiros de viagem às Flores e Corvo.

Agradecida pela atenção

* hoje caiu outro avião com mais de 100 pessoas a bordo no Índico... deve dar uns bons mergulhos, mas a malta dispensa!**
** desculpem o mau gosto, mas a minha mente é muito prática nestas coisas...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Segunda-feira #13


[porque hoje estou a precisar de me lembrar disto]

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O todo poderoso castiga!

Estou eu a guardar-me, que nem uma virgem para o casamento, a fechar os olhos a tudo quanto possa ser indicativo do que serão as 3, 4 e 5 séries do Grey's Anatomy* e de repente, a dar uma volta no youtube, lá se me escapa o dedito e clico sem querer numa janelinha, cheia de bom aspecto, com o Dr. Shepeard e a (sonsa anorética) Dra. Grey, e com o coração aos pulos preparo-me para os diálogos e eis que ouço:

- o jantá foi bom?
- foi bom sim...
- você vai entrá?
- num sei... posso?
(tudo com o belo do sotaque do português sul americano)

e cheguei à conclusão que deus castiga!!!! Ninguém merece um corta-interesse tão grande, a menos que tenha feito asneira!

o que eu acho piada a este Alex... e a tipa Callie irrita-me um bocado!

Ó todo poderoso, daqui para a frente vou portar-me muito bem e nada de escapadelas ao youtube... pode ser!

Dealers de séries e afins, toca a abastecer aqui a miúda com material do bom!

* sou um bocado cócó nestas coisas de fazer downloads pirata e por isso espero sempre que uma alma caridosa me deixe um CD clandestino debaixo do tapete ou no local de trabalho... basicamente, quero é que alguém que suje as mãos por mim.

Notícias redundantes

O Michael Jackson morreu! Paz à sua alma!
...é tudo o que me ocorre. Não posso dizer se gostava ou não da música, porque cresci com ela e faz parte das minhas memórias, tal como a bolacha americana na praia: pode não ser nada de especial, mas ganha outra dimensão porque faz parte daquela fase na nossa vida em que tudo é novidade e por isso fica muito guardado no nosso coração com o sabor das primeiras coisas. Mas confesso que não consigo deixar de me abanar ao som do Billie Jean, Don't stop 'till you get enough e do Beat it. Reconheço que os videoclips eram qualquer coisa de extraordinário - como já não se fazem - mas não fico particularmente trasntornada*. Talvez porque há muito esta personagem só entrava na minha vida pelos piores motivos.


Também morreu a Farrah Fawcet... aí devo confessar que me faz um bocadinho mais de espécie... porque a senhora tinha a idade que a minha mãe** tem, porque fez um documentário sobre os últimos tempos da sua luta contra a doença e porque me lembra que ninguém está livre de passar por um mau bocado semelhante.


A verdade é que estas notícias já o não são há umas 20h e durante os próximos dias, não se vai falar de outra coisa. Este é o meu contribuito para o grande bolo do exagero mediático!

* vá, talvez fique um bocadinho!
** eu sei que não se deve dizer a idade das senhoras...

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Favicon para tótós

Favicon = Favorite icon; quadradinho que identifica e personaliza – caso exista – os sites;

Este era o tutorial que eu gostava de ter encontrado para em vez de levar uma eternidade e meia levar só... vá, 15 minutos! Este é o produto de uma manhã de procura intensa por todos os tutoriais que encontrei em português, castelhano, inglês e farsi, em que cada um deles diferia do outro em pequenos detalhes e, no meu caso, davam buraco na hora de aparecer o quadradinho catita no lado esquerdo da morada do blog. Isto foi o que resultou comigo, para um blog do Blogger (blogspot.com):

1ª fase – Tratar a imagem
Antes de mais é preciso escolher a imagem e depois tratá-la de forma a ficar pequenina. Nas minhas pesquisas encontrei duas medidas (em pixel –pxl) diferentes 32pxl x 32pxl e 16pxl x16pxl. Eu escolhi a de 16 x 16 porque era a que aparecia mais vezes referida. Para alterarem o tamanho da imagem pode-se usar o photoshop (se não têm arranjem ou descubram outra forma de o fazer):

depois têm que substituir no quadrado de cima que está em pxl os valores para 16x16... não era preciso tanta informação eu sei... mas just in case

Agora têm algures no vosso computador uma imagem pequenina cuja extensão (as letras que estão depois do ponto) será .jpeg, ou .png. Em princípio isso não importa muito, desde seja uma extensão de ficheiro de imagem.

A questão é que os favicon têm extensão .ico e a maioria de nós não tem programas que convertam os formatos tradicionais de imagem em .ico. Mas não há stress porque este programa, por exemplo (grátis e disponível na net e que não precisa de registo), faz isso num instantinho!
Vão ao site e fazem o upload da imagem pequenina. Depois de feito guardam a imagem que agora sim termina em .ico. E neste site o trabalho está terminado.


reparem que já há um preview do favicon

Eis que surge novo problema. A maior parte dos sites não “vai buscar” esta imagem ao computador, por isso é preciso alojá-la. Eu alojei-a aqui (porque era onde dizia que tinha alojado o autor do primeiro tutorial que li)*. Fazem o upload da imagem que termina em .ico e vão ver que vai ser gerado um código.


Eu depois de muitas tentativas percebi que era preciso que esse código fosse URL (que é como quem diz, que remete para uma morada na internet) por isso tive de escolher a morada que surgia quando clicava em Direct URLs.
Deixem esta janela aberta no vosso computador porque vai ser precisa mais à frente.

cliquem onde diz Direct URL porque é esse código que é preciso

2ª fase – Editar HTML
Vão ao vosso blog e clicam em Esquema e depois Editar HTML”. E antes de mais nada guardam o vosso Template! Não vá isto dar para o torto e começar toda a gente a processar-me!... o que me deixa preocupada... Bem, vão ver que aparece uma janela cheia de letras que são muito importantes, porque estão a codificar o layout e a formatação do texto, que se escolheu com tanto amor e carinho... por isso nada de apagar coisa nenhuma! O que se vai fazer é acrescentar mais informação.


esqueçam as setas verdes... é onde diz transferir modelo completo e fica uma cópia no vosso computador

Antes de mais é preciso encontrar no nesse monte de letras, este conjunto head tal como está escrito abaixo (é que o blog não aceita que eu escreva como deve ser) que é o que codifica a parte que queremos do cabeçalho. Eu fiz Ctrl+F (na realidade fiz Maçã+F porque sou Mac) e escrevi e dei logo com o que queria**.




Agora é importante: entre
introduzir o seguinte código que encontrei aqui:





Façam mesmo Ctrl+C sobre o código... são as duas linhas tal e qual como estão:


Onde diz introduzir-o-URL-do-alojamento-da-imagem vai ficar o URL da vossa imagem. Voltam à janela do site em que alojaram a vossa imagem e geraram uma morada. Seleccionam a morada e copiam (Crtl+C). Voltam ao Editar HTML e substituem http://introduzir-o-URL-do-alojamento-da-imagem por essa morada que copiaram.

No caso que estou a testar fica qualquer coisa como:


Façam “guardar as novas configurações” e “ver blog” se tudo correu bem, já têm um novo favicon... Se não correu façam “procurar template” (aquele que guardaram para não me processarem) e carreguem-no!

Vá... e depois digam se resultou***!...

* é um bocadinho chato porque têm que fazer registo e dar uma data de dados... eu aldrabei os meus, menos o mail que é preciso para activaram a vossa conta
** aqui importa dizer que nem todos os tutoriais apresentam a mesma localização para se inserir o código.
*** espero não me ter esquecido de nada... se assim foi é natural que não resulte, mas tentei!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Estou orgulhosa!!!

Quem é que já deu conta da alteração de um pequeno (grande) detalhe aqui do ver(de)água?!?!...

Eu dou uma ajuda:


E agora, já deu para descobrir?!?!

Já não sou mais um B no meio de outro tantos!!! Sou um leme de um Doni* nos meus tons de verde e água!!!

Estou feliz! Deu luta** mas estou feliz!

Amanhã ou assim digo como se faz, agora vou desfrutar da minha conquista!!!

* os barcos mais comuns nas Maldivas
** uma manhã inteira de trabalho que foi para o caraças!!

I'm a "woman" fly

Sempre que olho para os sapatos da Fly vem-me o Human fly dos Cramps à cabeça!

E agora já a posso cantarolar sem ser a olhar para as montras porque tenho as sandálias mais catitas deste universo*

tirar a foto dava direito a outra... eu deitada no chão, pézinhos para o alto para apanhar o sticker da parede, meio sentada meio deitada, com a barriga a tremer do esforço! glamoroso... sem dúvida!

Buzz...ride tonight
And I say buzz...rocket ride
And I say buzz...I don't know why
I don't know I just, don't know why

* uma vez que sou eu que mando neste estaminé, posso dizer este tipo de coisas!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Animal perigoso à solta

Amanhã sou capaz de dizer alguma coisa sobre as sandálias lindas lindas que agora são minhas, sou capaz de falar da festa de aniversário e da ida à praia fluvial, sou capaz de dissertar sobre o porquê ter sido a única vítima - num milhão de pessoas que estava no mesmo sítio que eu - de melgas mutantes e furiosas que me sugaram o sangue ao ponto de me deixarem anémica, sou capaz de falar dos filme que tenho visto e de tentar perceber porque é que aos primeiros raios de sol o meu nariz fica cheio de sinais, pintas e manchas...

o retrato de como não estou hoje!

...mas hoje estou com um mau feitio à antiga e revoltada por ser gaja e por ter que ter um-daqueles-dias-do-mês! estou com dores nos rins e na cabeça, tenho alguns 500 quilos a mais e uma vontade desgraçada de me encher de swirls de chocolate, com lascas de chocolate e topping de chocolate... o que provavelmente vai acontecer! e me vai deixar mais danada porque além de todo o resto, vou ter uma grande dor de barriga, vou somar 100 aos 500 quilos que já estão em excesso e por fim a minha pele vai rebentar**!

peço desculpa aos leitores mais sensíveis pelo excesso de informação!
por Ana Oliveira, in ilustrana.blogspot.com

por isso amanhã digo mais qualquer coisa, vale?*

* desconfio que depois de tão "ilustrativa" leitura não vai haver um corajoso capaz de comentar!
** a chamada birra em que nem eu me aturo!

Segunda-feira #12

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Sobral Cid*

Os meus dias de "trabalho" são passados com um grupo que mais do que colegas, são amigos! Cada um com as suas manias, todos muito assertivos e com personalidades fortes! Com eles tenho aprendido muito mesmo! Sou a caçula do grupo e considero-me uma sortudo por isso!

As muitas horas que passamos juntos, em alguns dias descambam em momentos non sense! Por isso baptizámos a sala onde trabalhamos de (Dr.) Sobral Cid (que muda para "Cinema Olympia" à sexta feira e "Agência de Viagens Ábreu" às terças... não é fácil explicar!). Estes momentos de pura loucura que se repetem tantas vezes, são frequentemente desplotados por conversas científicas que começam sérias... mas cinco minutos depois, já não há salvação possível!

Volta e meia celebramos a nossa loucura com jantares, com direito a cartaz** e tudo! O primeiro foi este



e o segundo vai ser hoje à noite



* hospital psiquiátrico de Coimbra
** assumo a total responsabilidade pelo mau gosto gráfico e falta de imaginação dos cartazes de divulgação interna dos jantares!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Não se nota muito...

...mas mudei o layout! Ao fim de uma ano achei que devia... mas sei que é uma coisa muito subtil. Para ser sincera, não costumo ser tão discreta nas mudanças, mas gostava mesmo do ar clean que tinha e queria manter!

Aceitam-se críticas, mas não garanto que consiga repôr o original!

Serviço público

Não sei quem escreveu - porque me foi enviado por mail pela S.* - mas está genial e corresponde à realidade.
Para os meninos que param por estas águas, aqui está a resposta a uma das vossas muitas dúvidas sobre as mulheres**!



SÓ MESMO UMA MULHER PARA COMPREENDER.......
Por que é que as mulheres demoram tanto tempo quando vão à casa de banho?

O grande segredo de todas as mulheres a respeito da casa de banho é que, quando eras pequenina, a tua mamã levava-te à casa de banho, ensinava-te a limpar o tampo da sanita com papel higiénico e depois punha tiras de papel cuidadosamente no perímetro da sanita.
Finalmente instruía-te: "nunca, nunca te sentes numa casa de banho pública!" E depois ensinava-te a "posição", que consiste em balançar-te sobre a sanita numa posição de sentar-se sem que o teu corpo tenha contacto com o tampo. "A Posição" é uma das primeiras lições de vida de uma menina, importante e necessária, que nos acompanha para o resto da vida. Mas ainda hoje, nos nossos anos de maioridade, "a posição" é dolorosamente difícil de manter, sobretudo quando a tua bexiga está quase a rebentar.

Quando TENS de ir a uma casa de banho pública, encontras uma fila enorme de mulheres que até parece que o Brad Pitt está lá dentro. Por isso, resignas-te a esperar, sorrindo amavelmente para as outras mulheres que também cruzam as pernas e os braços, discretamente, na posição oficial de “tou aqui tou-me a mijar!”.

Finalmente é a tua vez! E chega a típica "mãe com a menina que não aguenta mais” (a minha filhota já não aguenta mais, desculpe, vou passar à frente, que pena!). Então verificas por baixo de cada cubículo para ver se não há pernas. Estão todos ocupados.
Finalmente, abre-se um e lanças-te lá para dentro, quase derrubando a pessoa que ainda está a sair. Entras e vês que a fechadura está estragada (está sempre!); não importa… Penduras a mala no gancho que há na porta… QUAAAAAL? Nunca há gancho! Inspeccionas a zona, o chão está cheio de líquidos indefinidos e fétidos, e não te atreves a pousá-la lá. Por isso, penduras a mala no pescoço enquanto vês como balança debaixo de ti, sem contar que a alça te desarticula o pescoço, porque a mala está cheia de coisinhas que foste metendo lá para dentro, durante 5 meses seguidos, e a maioria das quais não usas, mas que tens no caso de… Mas, voltando à porta… como não tinha fechadura, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto com a outra baixas as calças num instante e pões-te “na posição”…
AAAAHHHHHH… finalmente, que alívio… mas é aí que as tuas coxas começam a tremer… porque nisto tudo já estás suspensa no ar há dois minutos, com as pernas flexionadas, as cuecas a cortarem-te a circulação das coxas, um braço estendido a fazer força na porta e uma mala de 5 quilos a cortar-te o pescoço!


Gostarias de te sentar, mas não tiveste tempo para limpar a sanita nem a tapaste com papel; interiormente achas que não iria acontecer nada, mas a voz da tua mãe faz eco na tua cabeça *“nunca te sentes numa sanita pública”*, e então ficas na “posição de aguiazinha”, com as pernas a tremer… e por uma falha no cálculo de distâncias, um finííííssimo fio do jacto salpica-te e molha-te até às meias!
Com sorte não molhas os sapatos… é que adoptar “a posição” requer uma grande concentração e perícia.
Para distanciar a tua mente dessa desgraça, procuras o rolo de papel higiénico, maaaaaaaaaaas não hááááá!!! O suporte está vazio!
Então rezas aos céus para que, entre os 5 quilos de bugigangas que tens na mala, pendurada ao pescoço, haja um miserável lenço de papel… mas para procurar na tua mala tens de soltar a porta…???? Duvidas um momento, mas não tens outro remédio. E quando soltas a porta, alguém a empurra, dá-te uma trolitada na cabeça que te deixa meio desorientada mas rapidamente tens de travá-la com um movimento rápido e brusco enquanto gritas OCUPAAAAAADOOOOOOOOO!! E assim toda a gente que está à espera ouve a tua mensagem e já podes soltar a porta sem medo, ninguém vai tentar abri-la de novo (nisso as mulheres têm muito respeito umas pelas outras). Encontras o lenço de papel! Está todo enrugado, tipo um rolinho, mas não importa, fazes tudo para esticá-lo; finalmente consegues e limpas-te. Mas o lenço está tão velho e usado que já não absorve e molhas a mão toda; ou seja, valeu-te de muito o esforço de desenrugar o maldito lenço só com uma mão. Ouves algures a voz de outra velha nas mesmas circunstâncias que tu “alguém tem um pedacinho de papel a mais?” Parva! Idiota!

Sem contar com o galo da marrada da porta, o linchamento da alça da mala, o suor que te corre pela testa, a mão a escorrer, a lembrança da tua mãe que estaria envergonhadíssima se te visse assim… porque ela nunca tocou numa sanita pública, porque, francamente, tu não sabes que doenças podes apanhar ali, que até podes ficar grávida (lembram-se?) …. Estás exausta! Quando paras, já não sentes as pernas, arranjas-te rapidíssimo e puxas o autoclismo a fazer malabarismos com um pé, muito importante!

Depois lá vais pró lavatório. Está tudo cheio de água (ou xixi? lembras-te do lenço de papel…), então não podes soltar a mala nem durante um segundo, pendura-la no teu ombro; não sabes como é que funciona a torneira com os sensores automáticos, então tocas até te sair um jactozito de água fresca, e consegues sabão, lavas-te numa posição do corcunda de Notre Dame para a mala não resvalar e ficar debaixo da água.
Nem sequer usas o secador, é uma porcaria inútil, pelo que no fim secas as mãos nas tuas calças – porque não vais gastar um lenço de papel para isso – e sais…
Nesse momento vês o teu namorado, ou marido, que entrou e saiu da casa de banho dos homens e ainda teve tempo para ler um livro de Jorge Luís Borges enquanto te esperava.

“Mas por que é que demoraste tanto?” – pergunta-te o idiota.

“Havia uma fila enorme” – limitas-te a dizer.


E é esta a razão pela qual as mulheres vão em grupo à casa de banho, por solidariedade: uma segura-te na mala e no casaco, a outra na porta e a outra passa-te o lenço de papel debaixo da porta, e assim é muito mais fácil e rápido, pois só tens de te concentrar em manter “a posição” e a dignidade.

Quem é amiga, quem é!

* mana linda, obrigada!
** se tiverem mais dúvidas digam que a malta esclarece

terça-feira, 16 de junho de 2009

BURRRRRRA

o jeremias (burrico que é do Afonso)

Diria a minha mãe - que gosta muito de mim - sou burra-com-6-erres, o que na minha língua equivale a dizer que sou uma besta*!

Porquê?... porque aqui há um mês quando comecei a preparar a época de congressos** levei uns fantásticos 5 minutos a fazê-lo e achei, como sempre acho, que fiz um óptimo trabalho! Temas, despesas, dead lines, e datas... isso é para meninos!! Eu cá desenrasco-me sempre... menos quando não me desenrasco!

Ontem cheguei à conclusão que alguma coisa tenho que mudar... se o ditado estiver certo, antes tarde que nunca! Meti tanto os pés pelas mãos, que acho que aprendi alguma coisa!

Tinha programado fazer um curso em Madrid no início de Julho, logo depois deste que é cá da casa (e por isso é mesmo muito bom). Depois de Madrid ía a Praga com um poster e estava o assunto arrumado. Como nestas férias não fiz quase nada, teria que durante o dia de ontem - porque terminava ontem o prazo de envio - escrever o resumo em inglês, rever, dar à minha orientadora, corrigir e submeter o dito resumo, de um tema completamente inventado a olhar para o mar que nem sequer tinha sido testado. Sendo que só cheguei da Nazaré a meio da manhã e só peguei no trabalho a depois de almoço, por volta das 7 da tarde descobri que se calhar não ia ser capaz. Dei uma espreitadela no site e vi que para além de tudo tinha de pagar por estes dias a inscrição, que é coisa que não vem a calhar.

Vai de mudar os planos: escrever para Madrid para tentar ainda enviar alguma coisa para o congresso de Setembro (que entretanto já tinha fechado), e arranjar outra reunião científica (em principio em Bradford) com um prazo de envio de resumos mais alargado e tentar organizar-me como deve ser!

Tudo seria mais fácil se me dessem um cachaço de cada vez que caminho para a parvoíce convencida que sou a "máior" e que tenho tudo controlado, quando de facto não está! É que ainda por cima hoje, tenho de dar ateliers a pequenitos (muitos e barulhentos) ao mesmo tempo que tenho que fazer o que não fiz nos últimos tempos!

jogo divertido: descobrir onde está o animal teimoso

* buddy-fotografo, vais-me desculpar, mas aqui tem mesmo que ser e acho que concordarás comigo
** ele há a época da maçã, cereja e congressos que é aí entre Setembro e Outubro

segunda-feira, 15 de junho de 2009

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Viver sozinha não é fácil

O outro dia, estava eu a preparar-me para secar a louça que tinha lavado, quando o drama aconteceu!
Ao tirar o pano reparei que logo atrás, pousada numa pega, estava uma mega traça*, daquelas castanhas, com pelinhos nas patas, três olhos e tenho cá para mim que falava e tudo!

Sou uma miúda valente, sem grandes medos (tirando a piquena do exorcista) e que até tem uma certa afeição por tudo quanto é bicho. Mas deus-nosso-senhor quando criou os insectos, com certeza estava chateado com a humanidade!!! Insecto, segundo a minha taxonomia, não é criatura que deva ser estimada! Fazem muito bem e tudo e tudo, mas longe de mim!

Perante tão horrível visão, arrepiei-me dos pés à cabeça e saíu um gritinho daqueles histéricos horríveis!!! Tão mau, que a desgraçada da borboleta (nojenta) desatou a voar no modo aleatório, a provocar-me calafrios de horror cada vez que desajeitadamente se aproximava de mim. Por fim lá entrou no quarto. Eu institivamente fechei a porta já que não podia fechar o problema!

Dois minutos depois ainda estava a pensar o que fazer. Pensei ligar ao meu pai, a pessoa mais corajosa a seguir a mim em situações do género. Mas depois tinha que o ouvir a gozar comigo anos a fio, porque lhe tinha pedido para ir tirar uma traça de minha casa. Sabia que tanto a minha mãe quanto a minha irmã, apesar da boa vontade, têm uma repulsa igualmente grande por estas criaturas do dêmo. Por isso informei o C, que estando longe não me podia ajudar, que provavelmente aquela noite ia ser passada no sofá! Ele com toda a sua paciência e empenho fez-me ver que tinha de enfrentar o problema, quase que como metáfora para outros que pudessem surgir. Respirei fundo, fui buscar uma toalha e a vassoura. Abri a porta do quarto o suficiente para o meu braço passar e acender a luz. Rezei alto com toda a minha alma para que a desgraçada da traça não estivesse pousada no interruptor. Aos poucos fui entrando com o pano numa mão e a vassoura noutra que chegava antes de mim aos objectivos traçados. Depois de tudo minuciosamente passado a pente fino, tive de chegar à conclusão que a bicha teve mais medo de mim do que eu dela e fugiu pela janela aberta! Deitei-me vitoriosa, ainda que a noite tenha sido passada tipo múmia (toda tapada) não fosse a desgraçada ter-se escondido e estar só à espera que eu adormecesse para sugar todo o meu sangue!

não tenho fotos com traças nem borboletas... isto foi o mais próximo que consegui arranjar

* a culpa não é minha! sou uma pessoa até bastante asseada!

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Gosto muito de feriados...


...então assim seguidinhos e no fim da semana, não há melhor! Por isso vamos* rumar à Nazaré e aproveitar para fazer umas mini-férias porque somos boas pessoas e merecemos!

Giro giro, é que aprendi a agendar posts** e por isso vão continuar a aparecer textos mais ou menos chatos que faço só mesmo para me divertir! Até podia escrever um diário, mas assim tem mais piada!

* eu e quem me atura
** básico eu sei, mas só agora é que cheguei lá e completamente por acaso!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Nota mental: as mães exageram

Para a festa de anos do meu comandante preferido resolvi embonecar-me e por isso, vai de subir para cima dos meus sapatos-para-ocasiões-especiais*. Mostro-me à minha mãe e pergunto:
- Que tal estou?
- Estás muito bem e se vires que os pés te vão doer, usa estas palmilhas de gel que é como se não tivesses nada calçado! Vais ver que não vais dar por nada!
(...)
Por volta das 3h00 da manhã, e depois estar a dançar há mais de 5 horas, estava capaz de matar por uns chinelos que aliviassem as minhas dores: as dos pés, e a de ter caído na cantiga da minha mãe que não ia sentir que estava em cima de objectos de tortura!


* que por acaso são os mesmos que servem para ocasiões não tão especiais assim...

Home cinema

A semana passada deu-me para pôr o cinema em dia! Normalmente prefiro ir ao cinema, mas de vez em quando deixo escapar um filme que queria ver e depois a alternativa é ver em casa.

Para entrada temos o "Marley and Me". É um filme levezinho, revi-me em quase todas as cenas*. Ainda assim, dei por mim a soluçar que nem uma menina já perto do fim do filme.

foi também assim que o buick me escolheu

Prato principal: "Into the Wild". Deixou-me incomodada. Acho que daqui a uns tempos vou gostar mais.



E a sobremesa não podia ser mais saborosa: "The darjeeling limited"! Para ver sem dúvida! Como alguém (me) diria: Delicioso**!



* há uma cena em que o Marley está com a trela presa a uma mesa de esplanada mas vê um cão a passar e leva a mesa na correria. A mim aconteceu-me estar com o Buick numa esplana, a trela estava amarrada na minha cadeira mas mal viu uma cadelinha a passar, lá vou a Guilhim "de cadeira" pela esplanada fora...
** na onda do "The life aquatic with steve Zissou"

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Não resulta

Tenho cá para mim que sou uma espécie de íman de pessoas e situações estranhas! De entre várias - umas com mais outras com menos piada - há duas que frequentemente me assolam espírito, porque não compreendo o que terá passado pela mente destes dois seres para resolverem ter esta aboradagem comigo ou com qualquer outra pessoa teria algum tipo de sucesso! É que o resultado destas frases só podem ser claramente desastrosos para os próprios! Vejamos:

Situação #1
Por alturas do carnaval, fui a um bar onde estava um grupo de pagode brasileiro a actuar. O bar estava cheio demais! Eu tentava acompanhar o ritmo do samba, mas quem já viu sabe que as tentativas estão muito próximas do ridículo*! Vá lá que não ponho os indicadores a apontar para o céu, mas todo o resto é de ir às lágrimas e não pelos melhores motivos. A determinada altura - estando eu completamente consciente da triste figura que fazia com bambolear do corpo - sinto alguém a soprar-me para o cabelo. Olhei para trás com um ar de asco para confirmar que era engano. Um rapaz novo e até bem apessoado diz-me a seguinte pérola com um sorriso engatatão:
"- é que não pareces brasileira..."
eu não tive reação... fiquei a olhar para ele com uma expressão confusa, enquanto tentava perceber se ele mentia com quantos dentes tinha na boca em relação às minhas qualidades de dançarina, se estava a ser ofensivo...
O que é que terá pensado?!? Que depois disto eu que agarrava ao pescoço dele e não o largava mais?!?! É que soprar para o cabelo já é de um mau gosto arrepiante (assim a roçar o tarado) seguindo-se aquela frase a única coisa que tentei perceber era onde estava a saída mais próxima. Ao fim de 10 segundos a olhar para ele sem dizer palavra, o rapaz lá seguiu a vidinha dele... e imagino eu, sem sucesso na arte do engate.

por isso é que carnaval só na nazaré... by the way... apareço na foto

Situação #2

Num qualquer início de noite, estava eu a comer a minha sopinha e ouço bater à porta. É estranho ter alguém a bater à porta, porque sendo um prédio o normal é alguém tocar à campainha na entrada geral. Abri a porta e dou de caras com um rapaz novo, de pele baça, gestos ansiosos e olhos raiados. Trazia um bloco na mão e um maço de autocolantes junto ao peito, mesmo ao lado do pin do laço vermelho. Enquanto ajeitava o boné roçado e sujo diz-me com ar de enfado:
"- não se preocupe que isto não é um assalto..."
é claro que não ouvi mais nada, fechei um pouco mais a porta e deixei o pé atrás para dificultar uma entrada forçada**! Já ouvi falar de marketing agressivo, mas isto é um bocadinho demais! Será que depois de uma abordagem destas ele estava à espera que eu o convidasse para entrar e beber um cházinho?

* mas não é isso que me impede de tentar... não tenho culpa de não ter aquela coordenação, pés, ancas, mãos e graciosidade...
** como se fosse muito difícil albarroar 50kg de gente... seja como fôr continuo a ter mais medo da miúda do exorcista do que de gente real que ainda por cima bate à porta!

Segunda-feira #10

domingo, 7 de junho de 2009

Perolazinha!


Parabéns Comandante*!

* a esta altura devemos estar a recuperar dos estragos feitos pelo Ouriço!

sábado, 6 de junho de 2009

O espaço que se segue é da exclusiva responsabilidade da interveniente


Só tenho 4 canais na televisão e a "culpa" disso é só minha! Tenho um rádio, CD's e computador que me podem ocupar o silêncio com o carregar de um botão, mas a minha - agora confessada - dependência* à luz e som que sai, da cada vez mais estreita, caixa mágica, conforta-me. O problema é que em altura de eleições, o Tempo de Antena parece-me mais assustador do que uma qualquer série da :2 que mete assassinos em série e miúdos carecas, ou filmes de espíritos-fantasmas-e-fim-do-mundo**, que não me deixam dormir descansada sem antes espreitar dentro do armário e de baixo da cama, para me certificar que não há seres do outro mundo que por algum motivo estranho queiram a minha alma!

Acredito que votar devia ser obrigatório - mas isso sou eu que sou fundamentalista e acho que a abstenção como protesto é pouco mais que uma desculpa fácil e fraquinha... como as greves à sexta-feira - mas a ideia de que à conta das eleições que ainda faltam este ano, vou ter que levar com semanas de textos repetitivos, musiquinhas popularuchas, muitas imagens de mercados, beijinhos e gente estranha, não me aquieta o ser! A perspectiva de que ainda falta passar pelas autarquicas e pelas legislativas provoca-me calafrios! Será que não podíamos despachar isto tudo de uma vez?!?!

Seja como fôr, Don't vote ;)

* é triste eu sei.
** ou pior ainda, comédias românticas!!!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Como escolher congressos

Parte da vida de bolseira, passa por ter de reservar uns diazinhos para participar em Congressos. A oferta normalmente é variada e como o dinheiro não estica, tem que se escolher. São vários os critérios utilizados. Os cientísticas mais à séria, deverão ter em conta o painel de comunicadores, já para não dizer o tema geral e o prestígio da instituição que promove o dito encontro científico. Eu, que ando por aqui só para ver como param as modas, escolho com base no local em que se realizam os congressos e normalmente decido-me por lugares que ainda não conheço e que gostava de visitar, ficando o objectivo da troca de experiências e conhecimentos normalmente para segundo plano*.

Este ano, pelos vistos vou andar por aqui



e depois por aqui


com jeitinho e algum apoio financeiro gostava de dar um pulo também aqui...


não podia ser tudo mau!

* senhores da FCT, brincadeirinha, sim?! é só para dar uma certa graça ao post! as minhas escolhas são o mais científicas possível! e é claro que não ando aqui para ver as modas!!!... gosto muito de vocês e da bolsa que me dão! gosto mesmo!

terça-feira, 2 de junho de 2009

É como me sinto hoje... uma slowrider... feliz!


A S já me tinha falado e agora a F* deixou-me ouvir o CD. Estou rendida! Vale muito a pena ouvir "Sean Riley and the Slowriders"... e a minha preferida para o dia de hoje é mesmo a This Woman, mas Talk tonight e Houses and Wives também me enchem as medidas!

Para quem estiver em Coimbra sem programa para sábado à noite, favor dar um saltinho à FNAC que de certeza se vai arrepiar com a boa música destes senhores**!

* para além de antropóloga é uma excelente violinista e participa no disco
** mas também vão passar por Lisboa, Leiria, Santo Tirso, Sintra, Braga, Porto...

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Os meus pés

os meus pés nas Maldivas

Sou uma rapariga que faz umas associações de ideias bastante estranhas, assim do campo da psiquiatria. Esta surgiu-me há pouco quando começava a morrer de saudades do dia de praia que este ontem: sol quente e mar daquele que não dá vontade de sair!

A associação de ideias:
- Recapitular o dia de praia na Figueira da Foz;
- Figueira da Foz - Nazaré: onde normalmente costumo ir;
- Nazaré - "Pele bronzeada": ver como é que o sol da Figueira me tratou;
- "Pele bronzeada" - "Marcas brancas": esqueci-me de tirar as pulseiras e o anel do pé
- "Marcas brancas" - "Anel do pé"
- "Anel do pé" - "ai que tenho uns pés tão feinhos e sapudinhos": os meus dedos pequinos são realmente feios e deformados;
- "o meu dedo pequino é realmente feio e deformado" - "atropelamento a veraneante no ano de 2004": foi mais ou menos um atropelamento e fuga e quem fugiu fui eu!

Foi neste ponto que me lembrei desta história que acho bonita de contar a uma segunda-feira de manhã!
Ora, corria o mês de Agosto de 2004 e eu tinha arranjado um trabalho de férias de Verão na Nazaré. De segunda a sexta entrava às 9h00 no Centro Cultural para ficar a antender na feira do livro. Numa qualquer manhã, estava já ligeiramente atrasada - e se há coisa que não gosto é de chegar depois da hora marcada - e assim, em vez de ir no meu modo de passeio fui em passo bastante acelerado para chegar a horas. Nas ruas mais estreitinhas - e há muitas na Praia - ia com sucesso e segurança, esquivando-me de tudo e todos que se cruzavam comigo sem nunca perder o ritmo! Já com a Antiga Lota (actual Centro Cultural) no horizonte e o cornómetro a dizer-me que ainda não era desta que ia falhar a hora marcada, reparo que tenho um casal de palecos* há minha frente. Como tinha feito até aqui avalio de forma militar a situação:
- homem e mulher de meia idade; em passo de passeio; não me parecem muito preocupados ou com pressa; não parecem interessados na montras...
Estratégia perante o obstáculo:
- seguir no meu ritmo; fazer a ultrapassagem pela direita onde há mais espaço.

...

estou cega!!!! a dor é tanta que não consigo enxergar! deixei de respirar porque isso vai fazer realçar a dor... lembro-me do relógio... ganho coragem e abro os olhos... o meu pé continua no fim da perna e conto 5 dedos!... quero dizer muitos palavrões mas não tenho tempo... olho em frente e vejo a cara de homem vulgarmente balofo a olhar incrédulo para mim... sei que estou vermelha e que os meus olhos para além de raiados de dor estão turvados de raiva... sigo o meu caminho com o andar menos seguro, mas ainda assim são 8h58. Missão (dolorasamente) cumprida!!!

A meio da manhã a dor é grande, olho para o pé direito está com uma cor diferente... meio azulado e tudo porque o homem resolveu ver uma montra no mesmo momento em que eu o estava autrapassar! O resultado: o meu dedo mindinho entro pelo calcanhar adentro da pessoa que seguia à minha frente!
À hora do almoço o azul está mais intenso. Mantendo a rotina, vou à praia dar um mergulho e comer. Aproveito e peço ao salva-vidas para me atar um dedo ao outro. Já sabia os procedimentos paramédicos a ter nesta situação, porque normalmente ando descalça e normalmente alguma coisa me acontece aos dedos mais pequenos,** que depois de massacrados em sapatilhas de pontas de ballet anos a fio,*** têm uma resposta aos traumas, mais retardada.

Volto ao trabalho e ao fim da tarde. O azul passou para esverdeado e a locomoção tornou-se muito mais difícil! Resolvo que o melhor é fazer um Raio-X até porque é um bom motivo para conhecer os ossos do meu próprio pé! Sou "rija como o aço" e está tudo no sítio! Do verde passou ao castanho sujo e no fim do Verão já tinha passado!

Juro que dedico tempo e atenção aos meus pézinhos que tento que estejam sempre impecavelemente cuidados e hidratados... mas isso não os torna necessariamente mais bonitos!

* gente que não é da Praia
** em miúda a subir as escadas de ferro em caracol para o sótão era comum encalhar o dedo pequenino nos ferros; também era comum errar a tangente à entrada nas divisões e os dois dedinhos ficavam no lado de fora do quarto;
*** o sorriso das bailarinhas é amarelo! acreditem! não há nada de gracioso em fazer bolhas sobre bolhas enquanto se dança com o nosso pesso todo sobre o nós dos dedos!

os meus pés numa qualquer "fontana" de Roma... ao clicar na imagem da perceber o quão feios são!

Segunda-feira #9