quarta-feira, 25 de junho de 2008

Perto de onde eu vivia


Chã dos Navegantes - Forte da Baralha com vista para o Pico da Baleeira.

Um dos lugares onde eu adoro ir...

terça-feira, 24 de junho de 2008

Botões

Hoje reparei que já tinha uma "colecção" bem grande de botões: comprados, achados, dos que vêm com a roupa... enquanto adepta da reciclagem e da velha máxima "(...) tudo se transforma", resolvi ver o que saía quando aos botões se juntam ganchos de cabelo e de brincos. Ora aí está o resultado:



Não estava à espera que no meio de tanto botão não tivesse dois pares iguais... mas como acho que a simetria é sobrevalorizada, resolvi assumir a diferença.



Já os ganchos são uma herança de família! Tanto eu quanto a minha avó Ilda, andamos sempre com quilos de ganchos que deixamos por todo o lado... estes vão ser mais difícies de perder... vendo bem, acho que a minha primita mais nova (Carolina, 6 anos) é capaz de lhes achar alguma piada.

domingo, 22 de junho de 2008

Fim de semana produtivo

Isto não há nada como começar o Verão e ter uma montanha de trabalho, que tem que estar pronto ontem, para que até a limpeza da casa pareça ser mais importante do que todas as responsabilidades profissionais!!! Eu sou assim, sempre que tenho muitas coisas para fazer, dá-me o ataque das limpezas... a novidade passou a ser também, a subita vontade e "necessidade" de fazer colares e brincos... não vá o mundo acabar por falta de "coisinhas de enfeitar"!

Para além do mais, ontem foi o dia mais longo do ano e por isso, nada mais lógico do que marcar o dia com um jantarinho à maneira com a malta do Mar da Chincha.

Mas passemos às novidades de sábado de manhã. Dois colares e dois pares de brincos: "Madeira-quente" e "Verde-fresco"



Agora as novidades de sábado à tarde: combinar as minhas cores favoritas - verde e lilás - em brincos e pulseiras "Verdeanil".



E por fim, um colar ("Contas soltas") que já fiz há algum tempo, mas que sofreu umas alterações no sábado à noite.



Hoje (domingo), apesar de continuar a ter que fazer tudo o que não fiz ontem, resolvi fazer um brinquinhos para uma Chincheira que achou piada à pregadeira "Azul Banana"... e como ainda tinha tempo para trabalhar, tive que inventar mais alguma coisa para fazer, por isso pregadeira e brincos, vão ter uma "casinha" própria.



Ora, como são agora horas de jantar e daqui a pouco de dormir, porque amanhã é segunda, já não vai dar para fazer o que não fiz até aqui... não tenho solução!!!

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Quem diria...

O brincos "laranja ouro" já não moram aqui! Têm uma nova dona que os fez ficar muito mais bonitos! Espero que esta sensação se repita, porque é fantástica!

Os dias de Sol e as noites amenas, têm me levado a umas horas de volta dos trapos e das contas. Pode ser que amanhã consiga deixar aqui as últimas "coisinhas".

Hoje o serão vai ser passado a festejar a vitória de Portugal, por isso, as artes e ofícios vão ter de esperar!

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Novidades

Como o prometido é de-vid(r)o e na tarde de ontem depois das comprinhas, agarrei-me aos alicates e às contas com se não houvesse amanhã, aqui vão alguns 2 "frutos" de uma tarde de quase Verão:
primeiro os "brincos laranja ouro",



e agora, a pregadeira "azul banana",



Bem sei que os brincos não têm nada a ver com a pregadeira, mas ainda assim, resolvi mostrar.

...o porta-chaves do Rui é que ainda só mora na minha cabeça... mas ainda esta semana fica pronto!

(Ainda tenho que estudar melhor a maneira de fotografar as peças sem que elas percam a piada...)

domingo, 15 de junho de 2008

Às vezes dá-me para isto



O bicho das contas mordeu-me há uns dois anos (muito culpa da “Conta-a-Conta”) e desde aí que, quando o rei faz anos ou quando está chover e a fazer sol, que fico a entreter-me até que a imaginação me vença.
O resultado? Nem bom nem mau! É o que é! E quando não tem de ser, então as contas e as ideias voltam a arranjar-se na caixinha à espera de um novo aniversário ou de um outro arco-íris.
A ideia do ver(de)água, é servir de montra. Uma janela não só para aquilo que faço, mas também para aquilo que sou... daquelas que se passa, olha e se continua a andar, ou então, que se entra nem que seja “só para ver”. Assim, entre as brincadeiras de alicates, agulhas e missangas, lá vai aparecer o “bogas”, a “Praia” ou uma imagem que não me largou os olhos.
Este falar em voz alta, de mim para comigo e com quem me visitar, será ainda mais rico se daí resultarem sugestões, comentários, críticas e pedidos, que terei muito gosto em (tentar) concretizar.

sábado, 14 de junho de 2008

No príncipio

Talvez a culpa seja da minha mãe... para variar!

A questão, é que corriam os anos 80 e a ocupação dos miúdos como eu, passava pela rua, na Primavera e Verão, e pela casa e a família no Inverno e Outono mais chuvoso. E foram várias as tardes em que a chuva lá fora, inspirava a miúdagem da Rua do Miradouro, nº7, 2º esquerdo... mas a verdadeira inspirada era a mãe Fatinha, que da sua mala da costura, tirava num passo de mágica agulhas, linhas e tecidos que num piscar de olhos transformava em palhaços e bonecas que tinham a vida que nós lhes dávamos. E assim, há 20 e tantos anos, a Mó - Mónica - e a Kiki - eu! - tinham amigos de pano únicos feitos à sua medida. Quando se cresce assim, torna-se inevitável que de um momento para o outro (ou nem tanto) se descubra uma mala da costura encantada e dela surjam materializadas as ideias que vão voando dentro de nós, como antes! Desta vez não há magia, que afinal não era mais do que o talento especial das mães de darem asas aos sonhos das crias, mas antes a vontade de descobrir novas formas que mais que nada ou acima de tudo, querem ser únicas, pessoais e intransmissívies!

Assim surge o Ver(de)Água...