segunda-feira, 31 de outubro de 2011

sábado, 29 de outubro de 2011

E para quem perguntou pela vaquita loira...

...aqui está ela!






Agora aprendeu a "desmaiar"! Basta que estejamos a conversar sem lhe ligar nenhuma para se atirar para o chão (literalmente) de modo a ficar de barriga para o ar... E é isto... quem tem um Bogas na vida, tem tudo!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ai a minha Rita... a minha Rita...

Este é um dos episódios de uma história já longa de amizade. Daquela a sério, daquela mesmo boa!!

Obrigada minha linda!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Dos amigos e da família

Photo @ Flickr by pug freak

Estes meses foram tramados:
- "achei" que me esfalfei a trabalhar... e de facto trabalhei bastante, mas sem nunca sair do espectro dos "serviços mínimos*" com que normalmente encaro o que me é proposto;
- lá me puxaram as orelhas e me fizeram ver que não era suficiente;
- trabalhei mais;
- ainda não chegava;
- desesperei, chorei e soube que não ia ser capaz;
- trabalhei mais e mais;
- chorei de cansaço... muito... todos os dias;
- ainda não estava bom;
- desesperei um pouco mais... sendo sincera, acho que enlouqueci um bocadinho;
- deixei de ver o fim... achei mesmo que não ia acabar;
- continuei a trabalhar e já mesmo no fim das minhas forças lá empurrei com o indicador o ponto final na última página;

...mas o que conta no meio disto tudo, no meio de tantas páginas, é o que está de facto entre as linhas. Entre um e outro momento de esmorecimento e de desespero saltaram de todos os cantos amigos prontos a levantar-me a cabeça e a darem-me, como se fosse natal, horas, dias das suas vidas** para me obrigarem a seguir esta viagem. E no meio disto tudo a sorte maior: um Homem com abraços cheios de força, uma uma fé em mim como ninguém nunca teve e uma capacidade sem fim para limpar as lágrimas que teimavam em cair. Se juntarmos a tudo isto um Pai que assumiu para si a missão de não deixar escapar uma gralha, uma Irmã que abdicou de dias de descanso e de visita à família para me ajudar a fazer um milhão de tabelas intermináveis e uma Mãe com força para vencer todos os desesperos, dúvidas e angústias e uma paciência de santa para o mau feitio próprio destes dias, é fácil perceber que sou uma das pessoas mais sortudas que algum dia nasceram!

Se aprendi alguma coisa disto tudo, é que há um mar de gente à minha volta que faz tudo valer a pena!

* um dia explico
** quem tem uma fadrinha tem tudo

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Estão entregues... agora só falta o resto







As teses estão feitas e entregues. Esta fase já terminou mas, se tudo correr bem, daqui por uns quantos meses vou precisar novamente da forcinha de todos os que por aqui passam para defender esta minha cria que, podendo ser bem mais bonitinha e benfeitinha, é minha e de todos os que me ajudaram.

Agora é recuperar devagarinho...

Segunda-feira #105


domingo, 23 de outubro de 2011

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Ainda a habituar-me à luz fora da caverna




A última vez que escrevi por aqui o blogger era diferente, o Ricardo Carvalho ainda jogava na selecção, eu acalentava a esperança de vir a receber subsídios de férias e natal, o Kadafi estava vivo, o Sporting fartava-se de perder jogos, não tinha começado a Jersey Shore à Portuguesa Casa dos Segredos, toda a gente se queixava da falta de Verão, toda a gente se queixava do excesso de Verão, o Steve Jobs morreu e a Júlia Pinheiro ainda apresentava os "Gordos"... and so on and so on! Passou-me tudo ao lado!... ainda assim as rugas multiplicaram-se bem como o tamanho dos pêlos que entretanto povoam a minha superfície dérmica. Estou obviamente necessitada de levar uma injecção de estrogénios... os meus pés parecem lixa, as minhas mãos se tivesse andado a cavar terra estavam mais bonitinhas, o cabelo está feito num ninho de ratos e o meu rabo, não tendo ficado com a forma da cadeira, está com a consistência de um pudim flã. Vai daí, vou pedir só mais um milagre que faça com que a Lola (a senhora que me corta o cabelo) esteja inspirada amanhã à tarde. O resto vai ter que ser produção doméstica porque estou mais tesa que um carapau enjoado... MESMO... nem um tostanito para mandar cantar o ceguinho... estou para ver para o ano.

Estou enferrujadinha, enferrunhadinha... sinto que tenho de ir buscar o sentido de humor ao sítio onde o guardei durante estes dias... mas está a querer-me parecer que deve estar perto do relógio que não vejo há uns três meses... Ainda assim estou animada e cheia de vontade de matar as saudades aqui do cantinho!

Vamos lá tirar o pó ao estaminé...


...resta saber se ainda me lembro como se bloga...