quarta-feira, 27 de maio de 2009

(In)justiça

O dia até começou bem, com um sol maravilhoso a entrar pela casa dentro sem pedir licença e comigo a agradecer-lhe por o ter feito.

o sol instalado na minha varanda

Continuou bem, com um duche quentinho qb na minha casa de banho que é realmente bonita e que, segundo alguns amigos, parece um spa*.

é ou não é bonita?!?!

Cumpri a minha nova rotina diária com os senhores da RTP a darem-me as notícias** e depois de um belo pequeno almoço, preparei os óculos escuros e a maçãzinha (ipod) para me fazerem companhia nos 20 minutos de caminhada entre casa e o Departamento. Banda sonora escolhida - Tempos dos Assassinos***. Começo ao som de:
"Acorda menina linda anda brincar
que o Sol está lá fora à espera de te ouvir cantar..."
e chego ao som de
"és a minha maçã de junho
és o teu corpo e o meu..."



Ligo o computador e penso que o dia está lindo, que tenho pessoas fantásticas na minha vida e que não há como nada hoje correr mal!

Soa o "plim" do mail e leio no balão que se abre no monitor: "Mocinha... que tristeza..." o tom é carinhoso e jenuíno, mas indica que perdemos uma luta****. "Lutamos ainda mais um bocadinho", diz-me o retorno do mail. E eu respondo com um arregaçar de mangas ainda que a vontade fosse aproveitar o gesto para fechar o punho e atingir alguém com a mesma intensidade com o que o sentimento de injustiça me atingiu a mim!

Depois de confessadas as minhas dores a quem realmente importa, recebo uma mensagem que diz tudo sobre tudo:
"que se f"#$% ... é só dinheiro! sei que dava jeito agora, mas não deixa de ser só dinheiro! o importante é que estás na luta e continuas uma pessoa recta e a olhar em frente! trata de olhar para os dois exemplos de luta que tens***** e força!"

A força chegou cá e a boa disposição também!
Quantos são, quantos são?!?!

...não garanto é que a vontade de partir a tromba a quem merece tenha passado!

* antes fosse! mas não está nada mal!
** inclusivamente as do trânsito de Lisboa e Porto, não vá a malta ter que passar por lá a caminho do trabalho
*** agora já percebi que é preciso dar mais atenção aos "sinais"
**** daquelas lutas injustas, em que os patrões se safam a assobiar para o lado e dizem-se falido e quem trabalhou não vê recompensado o seu esforço e o seu empenho... o chamado trabalhar para aquecer
***** a mãe e avó, que nunca baixaram os braços mesmo quando o problema era maior que elas!

2 comentários:

  1. Pudesse ser esta a altura em que, de forma orgulhosa, te trouxesse as cabeças dos traidores.
    Gritámos tarde, deram-nos razão,não sei o que vai dar, mas pelo menos,temos a razão, devidamente decretada. É pouco, seguramente. Mas é mais do que nem sequer a termos.( Apetece-me dizer um palavrão )

    ResponderEliminar
  2. Comandante... companheiro de luta! O que interessa é que tentámos! Não tenho como te agradecer!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!