sábado, 31 de dezembro de 2011

...12

imagem daqui

Não houve estrela cadente, vozes em coro, soprar de velas e qualquer outra oportunidade místico-mágica que não tivesse sido aproveitada este ano... e acho que a loucura de 2011 só foi superada muito graças aos pózinhos de prilimpimpim e ao carinho desmedido das minhas pessoas (vá... mais das segundas do que dos primeiros). Por isso 2012... Universo... Destino... Buda... Deus... Santinha da Ladeira... vamos todos fazer com que os desafios sejam superados, sim? Ah, e aviso que o primeiro teste é já no fim de Janeiro! 

E como uma das resoluções para este ano passa por ser uma pessoa melhor, vai de distribuir um bocadinho de toda a sorte/bençãos que tenho pela malta fixe que anda por aí e que merece tanto! (não se incluem obviamente, os putos do prédio da frente que não me deixaram dormir e que agora estão a apitar na porcaria das vuvuzelas...)

Quanto ao resto, é manter tudo como está! Se mexer estraga!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Dar banho ao cão

A minha vaquita loira com umas quantas semanas de vida!

Dom Bogas andava meio acinzentado e mal-cheiroso... um verdadeiro bacorinho. Vai daí, uma boa banhoca impunha-se! Como é/era Natal o meu presente para Buick-de-mi-vida foi uma tarde no spa para cães. Depois de ter estado longe de mim por 2 horas e rodeado por 3 tratadoras foi-me devolvido com as seguintes indicações: "para além da lavagem, foi tosquiado, tratamos das unhas, limpamos as orelhas, usamos abrilhantador e perfume. Leva aqui uma cápsulas de ácidos gordos e seria importante fazer uma secagem extra para alisar o pêlo". Apesar de ainda não o ter largado (de tão fofinho, macio e perfumado que está) senti que tinha deixado um cão e levado um carro...


Reportagem em directo

Mais uma ilustração brilhante do blogue dimensãovariável@blogspot.com

Aqui pela vila é isto que se passa... gente miúda, atestada até à ponta dos cabelos com hormonas, descarregada em paletes pelas entidades parentais que, rapidamente, deixam um traço de pó no ar para voltarem a ser vistos lá por dia 2 depois de vários comas alcoólicos e outros "comas" menos líquidos e mais carnais... isto promete, como sempre!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Segunda-feira #113


[...ou de todos os excessos de Natal...]

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Navidad


Vá lá... um feliz Natal!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Nem só do Ikea vive a Guilhim #2*

Esta nossa casa está a tornar-se um puzzle de memórias e de marcas de pessoas que agora, para além de morarem no nosso coração, ganharam também um espacinho só delas. Começou por duas mesas da minha irmã, um sistema de som dos meus pais e os sofás velhinhos em que crescemos (e que estão a precisar de um estofador com urgência), um banquinho de madeira dos sogros, o lugar do pequeno almoço dos cunhados e mais um sem fim de pequenas recordações que aos poucos deixam o nosso ninho com alma e mais próximos da família**. Agora foi a vez dos que já cá não estão. Escolhemos o móvel mais feínho, mais empenado, marcado por muitas décadas de vida e umas poucas de abandono, lá o resolvemos adoptar, dar banho (que é como quem diz: lavar com a espuma de sabão azul e branco; limpar com águarás; lixar; limpar o pó; dar primário; pintar; pintar outra vez) e uma dose grande de amor. Foi este o resultado!

Antes:



Depois:



Pintamos com trincha para manter e dar alguma textura e não ficar demasiado uniforme. Eu gosto das irregularidades na cor e com o rolo iria ficar tudo muito igual. O interior, como tem alguns apontamentos escritos à mão pelos antigos donos mantivemos. Falta só passar o verniz no interior e ficar pronto!

* A primeira experiência foi esta.
**Aos poucos vou mostrando. Alguns ainda precisam de trabalho para ficarem à medida da casa.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

E já chegou





Christmas true story:
Saí de casa para ir deixar os postais de Natal do PPC no correio e quando cheguei o que encontrei eu na minha caixa de correio? Um postalinho cheio de palavrinhas bonitas que tornam o dia ainda mais radioso, vindas directamente desta menina!

Oinc oinc

imagem daqui

Descobri hoje que um grande supermercado (cujo nome começa pela letra C e acaba em ontinente) está com uma campanha fantástica para que, se não todas as pessoas pelo menos aquelas que como eu apreciando a chicha não ficam radiantes com o que tem que acontecer para as proteínas chegarem ao prato e por isso preferem não pensar no assunto, se tornem vegetarianas em 3,5 segundos. Então não é, que agora por entre cuvetes de bifes de perú e peitos de frango, podemos dar literalmente de caras com um pequenito leitão cor-de-rosa, de olhinhos fechados, patinhas esticadas, espartilhado a vacuo num invólucro de plástico, empilhado sobre outros de semelhante aspecto, estando pronto a ser posto dentro do carrinho e carregado rua abaixo dentro de um saco de plástico?!? Eu, só por causa das coisas, deixei a carnicha toda que estava a pensar trazer... é que de repente fiquei sem apetite!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Segunda-feira #112





[mais importante que a vitória sobre o adversário é a vitória sobre nós próprios... e não tarda nada tenho nova contenda comigo própria]

domingo, 18 de dezembro de 2011

Já cá mora


A ideia era espreitar a feira da Lx Factory e ver se havia alguma "coisinha linda" que precisasse de uma casinha cheia de amor, mas nada! Tudo muito fashion sim senhor, mas nada com alma.

A caminho de casa lá ao longe avistamos outra feirinha (a de Paço d'Arcos) e ficámos apaixonados! Pela feira, pelas "coisinhas" e por este espelho lindo que sempre teve o seu espaço reservado, mesmo antes de sabermos que era (d)ele!



sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Em versão Menino da Lágrima (de sangue)

imagem daqui

Uma pessoa (gaja) vê-se a chegar  aos 30 (que é como quem diz que já lá por lá está confortavelmente instalada) e de repente todo um mundo de imperfeições dérmicas se ampliam 300 vezes. Aquelas linhas engraçadas (até aos 29) que se formam em torno dos olhos durante o sorriso, são agora sulcos do tamanho dos Himalaias que não desaparecem quando o assunto se torna sério. E o que faz uma pessoa (gaja) nesta situação? Pega nos trocos (tão suadinhos e tão poupadinhos) e abala-se até à perfumaria/farmácia. 
- "Posso ajudá-la?"
- "Sim, sim. Estou à procura de um creme de contorno de olhos..."
- "...para sinais de envelhecimento, certo?"
- "Certo [minha grande cabra! era mesmo preciso referir "envelhecimento"? não seria mais simpático "linhas de expressão"? Deves achar que és muito nova e que tens uma pele fantástica (que tens... filha de um camelo)... velha é a tua tia!... vaca!] mas tem que ser anti-alérgico."

Três minutos depois de espezinhamento do meu ego e de ter empobrecido várias dezenas de euros (várias... para lá de muitas), venho de lá com a mini-micro embalagem que me iria devolver a juventude de há uns anos... Ou então não! Hoje confirmei veredicto. O contorno de olhos está vermelho e meio papudo e para além disso, no perto do olho direito tenho uma fileirinha de pontinhos vermelhos que são ideia de uma lágrima de sangue... que podendo não o ser literalmente é-o no meu espírito! E é isso! Agora vou ver se me salvo com o velhinho óleo de amêndoas doces (que custa 50 cêntimos)!

Sou a única a fazer alergia a cremes anti-alérgicos, não sou?

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Estou safa

imagem daqui

Há anos que me atormenta a ideia de endireitar os dentes. Vários motivos me têm levado a não tomar uma decisão: andar com a boca cheia de metal, o preço da brincadeira, mas sobretudo o pânico que tenho de dentistas. Foi com agrado (e algum espanto) que li que o japoneses, povo criativo e animado, procuram o médico dos dentinhos para os deixar desalinhados! E pronto! Se a coisa aqui der para o torto, posso ir sempre para o país do Sol nascente derreter os coraçõezinhos mais incautos, com o meu croocked smile!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Para o Menino Jizas:

Segundo as minhas fontes, és a entidade a contactar no caso do Pai Natal estar ocupado. Não tenho por hábito dizer o que gostaria de receber, à laia do teu nascimento, por esta altura por dois motivos: o primeiro, porque é muito em cima do acontecimento e já está tudo escolhido; o segundo, porque parece que nasceste em Março. Contudo, a conjuntura actual impele-me a fazê-lo. Vais reparar que não sou nada esquisita e que tenho desejos facilmente realizáveis. Ora então, vinha mesmo a calhar o seguinte:


uma lixa de grão fino para madeira (em alternativa, uma lixadeira eléctrica para poupar as unhas da menina)


uma latinha de primário (é para aplicar num movel pequeno)


duas latinhas de tinta assim para o azul acinzentado e a atirar para o claro... estou na dúvida entre o "albatroz" e o "mistral" por isso deixo a escolha à consideração divina

e é isto! Nada de extraordinário! Fico então a aguardar uma reposta.

'Gradecida!

Lars Von-ali-e-já-venho



Durante este meu ano de reclusão não sentei o meu traseiro celulítico numa cadeira de cinema. Ver filmes (ou pelo menos os 5 primeiros minutos) foi acontecimento raro e sempre votado ao espaço do quarto. Quando no fim de semana passado vi que o novo filme do Almodovar estava no cinema não fui de modas e decidi que era desta que ia matar o celibato cinéfilo! O meu erro foi ter convocado o cônjuge a participar neste momento. "ah e tal... mas o Banderas é tão mau... e o Almodovar vê-se tão bem em casa... vamos antes ver o filme do Lar Von Trier... não sei do que trata mas a fotografia parece que está genial e tem sempre altas bandas sonoras..." Ora, a última experiência de que me lembro com um filme deste senhor, foi passada com a minha irmã a ver o "Dancer in the dark". Escusado será dizer que saímos as duas com lesões oculares de tanto chorarmos/soluçarmos. Depois de ler a sinopse deste Melancholia, não estava nem um bocadinho convencida... 20 minutos depois de ter começado e de ainda nenhuma alma ter aberto a boca na grande tela, pensei: "Estou f"#$dida!". Olho para o lado e vejo uns olhinhos reluzentes que se fazem acompanhar de um sorriso... Ao intervalo só queria que alguém tocasse na campainha de incêndios... mas nada. À pergunta: "Estás a gostar?" respondi um "Não! Acho pretencioso, chato e sem sentido." Resposta que, vá-se lá saber porquê, não mereceu concordância. Até ao final, não mudei de ideias. E é isto. Devia ter ido ver o do Almodovar... mas ao que parece (pediram-me para dizer) este também é bom... (ya right!)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Diário de um provinciana #2

imagem daqui

Sempre me questionei sobre o motivo pelo qual o trânsito rodoviário era tão caótico na "grande" capital! O porquê de haver tantos acidentes! Estes meses de convívio citadino ainda não me ajudaram a esclarecer as dúvidas. Ora, as regras não formais por estas latitudes são um pouco diferentes daquelas que existem na terrinha. Por lá, quando os nossos carros de boi estão na oficina, tendemos (não é toda a gente, que fique claro) em caso de fila (uma "bicha" para nós é outra coisa) a, de forma alternada, deixar passar os restantes condutores que desejam confluir para a mesma direcção que nós na ilusão de que desta forma estamos a assegurar uma condução mais fluida e segura. Por cá, segundo julgo ter percebido, a ideia consiste em dirigirmo-nos de forma simultânea, aleatória, rápida e agressiva para a localização que desejamos ignorando os restantes pilotos e, se tudo correr bem, conseguimos ao fim de algumas horas percorrer uns loucos 10 quilómetros. Parece-me um bom método! Mas lá está, continuo sem perceber porque é que no processo há tantos toques e acidentes...

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Jovem (e não tão jovem):

Se és mulher, ou desconfias disso, então não percas esta oportunidade de ajudares a fazer história! Só agora e por um curto espaço de tempo (vá... não é assim ttttãããããoooo curto) poderás responder a um incrível questionário que te irá ajudar a pensar na vidinha mas, acima de tudo, irá permitir a uma grande psicóloga fazer ciência da boa e da bonita.

"E como posso eu participar em tal momento histórico?" perguntam vocês musas da sabedoria. Ora não tem nada que saber, basta clicar neste link - Determinantes Psicossociais da Dor Sexual da Mulher - e responder a todas as questões que lá são colocadas! (Eu já respondi e além de interessante não custa nada).



Se te disseram que és homem... deixa lá, na próxima encarnação terás mais sorte... mas conheces, com certeza, mulheres que estão desejosas de participar neste estudo (mas ainda não o sabem), por isso, toca a passar a mensagem!

Bogas, queres ir à rua?!



- Nah... acho que vou ficar por aqui a tomar conta dos carneirinhos...

Acho que o Buick foi mordido pela mosca do sono, ou isso, ou a proporção dois donos para um cão está a dar cabo dele! Não espiançou* o meu almoço; não fez fita depois de ter tomado o café; não quis ir para a varanda... nada... sopas e descanso! 

Bem posso estar descansadinha que à conta dele não dou eu conta dos quilos natalícios!!

* cobiçar 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Quem gosta deste layout ponha o dedo no ar

Eu confesso que, dia sim dia não, tenho a tentação de mudar o layout para esta alternativa mais dinâmica e que esteticamente acho mais apelativa.


Por isso, se um destes dias a coisa estiver com este aspecto, não se surpreendam, vale?

E quem não tem cão...

O Natal já chegou à nossa maison à beira mar plantada. Para já, os símbolos da época resumem-se à árvore e velinhas. Até aqui tínhamos o presépio que ficou a chamar o Natal na casa do coração, por isso, este ano lá foi Gulhim Maria arranjar um pinheiro de plástico e algumas decorações à Meca da decoração low-cost. 
Antes de mais, um grande bem-haja aos sacanas senhores do Ikea por terem posto lado a lado as árvores de €10 e as de €32... está-se mesmo a ver que com a pressa veio a mais cara (que por sinal, era a que estava mais próxima da placa que dizia €9,99)... e maior. As bolinhas e fitinhas que davam para a árvore mais pequena, ficaram pobremente espalhadas pela nossa árvore. Esgotado (e ultrapassado) o orçamento para as ornamentações natalícias, o plano B passou por: 
1) enfeitar apenas a parte visível da árvore (shame on me);
2) fazer "bolinhas" de crochet para pendurar nos ramos...;





O resultado não é brilhante, mas já há um plano C em marcha!