segunda-feira, 11 de maio de 2009

Mudando o tom...

...não é hábito meu abordar este tipo de assuntos, mas tem mesmo de ser! Estava a passear por aqui e vi esta história! Chorei a rir no local de "trabalho"*

“Todos os métodos de depilação enganam as mulheres com promessas de remoção indolor dos pêlos. A minha noite começou tal como outra noite de semana. Chegar a casa, tratar das coisas, fazer o jantar. Depois tive a ideia que me iria massacrar o pensamento durante as horas seguintes: “se calhar devia aproveitar para tirar a embalagem de cera do armário”. Parti então para o local da minha missão: a casa-de-banho. Era um daqueles kits de cera fria. Não é preciso derreter uma porção de cera quente, basta esfregar as bandas de cera nas mãos, descolá-las, aplicar nas pernas (ou seja onde for) e arrancar os pêlos. Tão simples quanto isso. Quão difícil é que pode ser? Quer dizer, não é preciso um génio para perceber isto. (ACHAM MESMO QUE SIM?) Bem, lá tirei uma das bandas. Eram duas tiras de frente uma para outra. Aí tenho uma ideia excelente e em vez de as esfregar nas mãos para aquecer, decido aquecê-las com o secador a não sei quantos graus. (Cera fria, sim, claro!) Coloquei a banda na perna. Estiquei a pele e arranquei. Funcionou! Ok, não é a melhor sensação do mundo, mas também não é assim tão mau. Eu consigo fazer isto! A depilação já não me leva a melhor e eu consigo lutar contra os pêlos para ter uma pele lisinha e impecável. Decido aventurar-me e passo para a zona das virilhas. Dispo as cuecas, coloco um pé em cima do tampo da sanita, e, usando o mesmo método, coloco uma banda de cera no lado direito da virilha, cobrindo já uma parte do meu *pipi* até à parte interior da bochecha do rabo. (Sim, as bandas de cera são compridas) Respiro fundo, preparo-me e ZÁS! “Estou cega!! Ceguei com a dor!!! Oh God!!!” Ok, a visão regressa, e reparo que afinal só consegui puxar metade da banda. MERDA! Mais uma inspiração funda e, ZÁS! Estou a ver tudo desfocado. Acho que vou desmaiar… tenho que me manter consciente… respira… ok, tudo de volta ao normal. Quero ver o que consegui com isto – uma banda de cera, a mesma que me causou tanta dor, completamente coberta com os meus pêlos. Quero ver orgulhosa que consigo combater os meus próprios pêlos. Viro a banda para mim. Não estão lá pêlos nenhuns. Onde estão os pêlos?! ONDE ESTÁ A CERA?! Calmamente, baixo a cabeça, o pé ainda sobre a sanita. Vejo os pêlos. Os pêlos que deviam estar na banda. Ponho os dedos no local. Estou a tocar na cêra. MERDA. Passo os dedos pela pele que agora está coberta de cera fria e pêlos pegajosos. É aí que faço o segundo GRANDE erro... lembram-se que o meu pé está sobre o tampo da sanita? Como preciso de fazer alguma coisa, começo por pôr o pé no chão. NÃO! Oiço um leve barulho como as dobradiças presas de uma porta. *Pipi*? Completamente colado! Rabo? Completamente colado! Ando aos saltinhos pela casa-de-banho a tentar decidir o que fazer e só penso que o melhor é não ter vontade de fazer chichi ou a minha cabeça irá explodir. O que é que posso fazer para voltar a derreter a cera? Água quente!! Água quente derrete a cera!!! Deixo correr a água mais quente que consigo aguentar para dentro da banheira, meto-me lá dentro com as partes que têm cera imersas na água, a cera derrete, e eu consigo tirar tudo com cuidado, certo? ERRADO!! Entro na banheira - a água ligeiramente mais quente do que a usada para torturar prisioneiros ou para esterilizar equipamento cirúrgico - e sento-me. Agora, a única coisa pior do que ter a zona íntima colada, é tê-la colada ao fundo da banheira... com água a ferver. Que, já agora, não derrete a cera. Resumindo, estou presa à banheira, como se fizesse parte da porcelana da mesma. Deus abençoe o homem que me convenceu a pôr um telefone na casa-de-banho! Ligo à minha melhor amiga, pensando que isto já lhe aconteceu antes e que ela terá algum segredo que me solte da banheira. A conversa começa logo “bem, o meu rabo e o meu pipi estão colados à base da banheira!” Faz-se uma pausa no telefone. Ela não conhece nenhum truque secreto para me ajudar mas tenta esconder o riso. Quer saber exactamente onde está a cera, “estamos a falar das virilhas ou do pipi mesmo?” Neste momento já se ri às gargalhadas. Eu consigo ouvi-la. Conto-lhe o que aconteceu e ela sugere que eu ligue para o número de assistência que vem na caixa. Sim, claro!!! Agora vou ser a anedota da noite de alguém! Enquanto pensamos em várias soluções, vou tentando arrancar a cera com uma gillette. Nada sabe melhor do que ter o corpo cheio de cera, colado, preso ao fundo da banheira, e tentar rapar tudo a seco com uma lâmina! Por esta altura o meu cérebro já não funciona, a dignidade foi dar uma volta, e tenho a certeza que vou precisar de apoio psiquiátrico depois disto. A minha amiga ainda está a falar comigo quando finalmente vejo a minha salvação... os toalhetes húmidos que vêm na caixa para remover os restos de cera. O que é que tenho a perder nesta altura? Esfrego um na pele, e ARGHHHH!!!! O meu grito deve ter acordado a vizinhança inteira. Dói horrores mas sinceramente já nem me interessa. FUNCIONA! Funciona!!! A minha amiga congratula-me e desliga. Retiro com sucesso o resto da cera e é então que vejo com desespero que os pêlos continuam lá. TODOS!! Por isso decido rapá-los. Já estou dormente. Nada me dói. Por esta altura até podia ter amputado a minha própria perna! Na próxima semana experimento pintar o cabelo em casa... (ESTÁ-SE MESMO A VER!)”

Nunca me aconteceu nada assim, mas algo parecido**

* caros colegas, espero que me perdoem, mas era quase hora de almoço!
** em miúda e na primeira vez que resolvi experimentar fazer a depilação (em zonas prefeitamente inofensivas, entenda-se) com as tais bandas de cera... acabei por não ter coragem para as tirar e saí à rua com as ditas agarradas ao corpo, ainda que tapadas pela roupa!

4 comentários:

  1. Impossível não rir que nem doida! A primeira vez que fiz foi com a máquina de barbear do meu pai!

    ResponderEliminar
  2. oh... mas isso até é queridinho e pouco doloroso...

    ResponderEliminar
  3. OMG!!!
    Bem o que me ri... coitada...
    Vou fazer-lhe uma visita...

    Jokinhas

    ResponderEliminar
  4. Olá!

    Desculpa comentar, eu às vezes leio o teu blog porque me dá muito gosto ler-te, escreves muito bem.

    Desta vez não podia deixar passar, este post é simplesmente hilariante, acho que nunca li nada assim num blog! Lol fartei-me de rir com isto...

    Olha, só uma sugestão, para quando tiveres coragem de voltar a enfrentar as bandas de cera: na falta de toalhetes, usa óleo (qq um, até azeite dá), porque ajuda a dissolver a cera. Só tens de esfregar bem e depois limpar com lenços de papel ou uma toalha velha.

    Espero ter ajudado!

    Beijinhos

    J.

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!