sábado, 29 de novembro de 2008

"Ensaio sobre a cegueira" ou "blindness" ou "um murro no estômago"

Já vi o filme há mais de uma semana, mas só agora é que resolvi deixar aqui uma nota sobre o assunto.



Ainda não li o livro (mas não por falta de tentativas) e talvez por isso o filme foi surpreendente e teve o efeito de murro no estômago. Agora, já com alguma distância, posso dizer que gostei. Mas nada como ir ao cinema!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Live a board

Deixei aqui uma espécie de resumo da experiência do "live a board" nas Maldivas... vamos lá ver se consigo "arrumar" este assunto e voltar à realidade!

sábado, 15 de novembro de 2008

De volta



Foram 10 dias de experiências maravilhosas tanto debaixo de água quanto à superfície, mas as 20 e muitas horas de viagem (Male - Colombo - Frankfurt - Lisboa) estão ainda a fazer efeito. Vou aproveitar para amadurecer as memórias e depois de refeita, deixo mais novidades!



Agora tenho que fazer um mergulho de adaptação à realidade! Ainda assim é bom estar de volta!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Vou alí, já venho

Durante os próximos 10 dias vou estar longe do meu computador e da internet, por isso o Ver(de)água vai estar mais calminho!


foto de Carlos Monteiro

Prometo voltar com as baterias carregadas e muitos mergulhos fantásticos (feitos no oceano Índico) para contar!

sábado, 1 de novembro de 2008

Hallowquê?!?

Sou só eu, ou esta importação do Halloween, uma pseudo-tradição manhosa dos "states", é no mínimo absurda!!! Parece uma espécie de carnaval fora de tempo, que ainda por cima é igual em todo lado sendo que o tema e as comemorações são iguais em todo o mundo ocidental! Eu até compreendo que estamos sujeitos às influências de outras culturas! É um facto, é inevitável e porque corresponde à ordem natural das coisas, acho que pode ser saudável! Mas isto parece-me um exagero! Quanto mais não seja, porque em Portugal existem formas próprias de comemorar estes dias.


abóbora encontrada hoje abandonada na praça principal de Tondela

Quando era mais garota, a miudagem da rua juntava-se para ir pedir/cantar* os "Bolinhos e Bolinhós" porta a porta. Enquanto vivi em Sesimbra, o costume era pedir-se o "Pão por Deus" e imagino que em diversas latitudes e longitudes as práticas vão mudando! E o fantástico é que não era preciso gastar um "tusto" para o fazermos! Muito pelo contrário, no fim da noite ainda tinhamos "feito" algum dinheiro que estoiravamos em chicletes!!! Espera... Será que o Halloween apareceu porque dá lucro??

* A canção
Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos finados
Que estão mortos e enterrados

Avé, Avé
Truz, Truz, Truz

A senhora que está lá dentro
(A)sentada num banquinho
Faz favor de vir cá fora
Para dar um tostãozinho!


Resposta:
Esta casa cheira a broa
Aqui mora gente boa

ou, em caso de ninguém vir à porta

Esta casa cheira a alho
aqui mora algum espantalho

Pronto... a letra não é aquelas coisas, e a música também não... mas não era mais giro do que andar mascarado de sei lá o quê, a fazer uma coisa não se sabe porquê?