segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

2013




Source: etsy.com via Hayley on Pinterest


O ano que passou teve de tudo e quase que nos deixava com um sabor amargo, já o próximo, se não fosse por outra coisa seria à força de tanto querer, já se adivinha doce!
Por aqui vamos manter o ritual que parece ser receita à prova de bala para a felicidade durar 365 dias: a família, os amigos, beijinhos à meia noite dados com os pés na areia enquanto o céu se ilumina de cores e eu, invariavelmente, choro baba e ranho de tão feliz!!

Que a entrada em 2013 seja cheia de esperança no futuro (e saúdinha... que sem saúde não se faz nada)!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

What more can a girl ask for?!








Quer-me parecer que 2012 se quer redimir de todas as trapaças que andou a fazer durante 360 dias. Tudo bem. Já tinha percebido, há uns mesistos, que o ano ia acabar em beleza mas nada como este Sol maravilhoso e o cheirinho a maresia para nos fazer esquecer aquilo porque tivemos de passar!

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O melhor do Natal!...






... para além de ter a família toda por perto, é o poder aproveitar todos os bocadinhos para fazer ronha!.. da boa!

sábado, 22 de dezembro de 2012

So far so good!


Estou de férias vai para 12h, 10h das quais passei a dormir o que quer dizer que o plano, pelo menos paras as primeiras horas, está a ser cumprido. Agora é arrumar a tralha que falta e seguir viagem para a terra do Natal!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Banda sonora para amanhã:



Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar
Por causa disso
Minha gente lá de casa
Começou a rezar...

E até disseram que o sol
Ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite
Lá no morro
Não se fez batucada...

Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando
De aproveitar...

Beijei a bôca
De quem não devia
Peguei na mão
De quem não conhecia
Dancei um samba
Em traje de maiô
E o tal do mundo
Não se acabou...

Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar
Por causa disso
Minha gente lá de casa
Começou a rezar...

E até disseram que o sol
Ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite
Lá no morro
Não se fez batucada...

Chamei um gajo
Com quem não me dava
E perdoei a sua ingratidão
E festejando o acontecimento
Gastei com ele
Mais de quinhentão...

Agora eu soube
Que o gajo anda
Dizendo coisa
Que não se passou
E, vai ter barulho
E vai ter confusão
Porque o mundo não se acabou...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

In box - Out box



Ora que chegou a cartinha do Natal que tanto esperava no dia em que enviei aquela que me era devida (o postal do pinheirinho que vai para Almada!)! Não podia ter recebido palavras mais simpáticas e aconchegantes! Por isso, muito obrigada à Dina, que me escreveu lá de longe, de S. Francisco! Mas Dina... devo avisar que sou moça para aproveitar o convite de visita a S. Francisco!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Ando sensível... é o que é!


Nú-me-ro! Temos três vogais: o "u", o "e" e o "o". Como é que há pessoal - pessoal que não devia/podia fazer este tipo de erros e que por isso se torna indelicado corrigir - que lá pelo meio conseguem inventar um "a" e chegar à formula final de Númaro?! E alguém me deslargue para não começar a desfiar o rol, já tão antigo e tão batido, dos "fizestes", "ouvistes", "prontes"... Não entendo... e é daquelas coisas que me deixa com um arrepio semelhante ao de fazer guinchar o giz numa ardósia!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

Será que vendem daquelas camisas-brancas-com-mangas-muito-compridas-que-apertam-atrás em S?


Enganei-me. Estava certa que a partir de meados de Novembro o meu ritmo ia acalmar mas afinal, não! Não acalmou! Aliás, acho que há dias em que se intensificou! Mais giro é que depois das férias a coisa vai ser ainda pior! Por mim não há problema, é a velha história do quem corre por gosto. Não é que não se canse, mas cansa-se menos e descansa feliz. Preocupa-me é aqueles momentos de paragem cerebral em que ponho a roupa para lavar no frigorífico e arrumo os pacotes de leite no armário das panelas. Diz que nesta altura do campeonato e com o cansaço, este tipo de coisas tem tendência piorar. Só consigo imaginar que uma destas noites vou dormir par a banheira sem dar por ela. Fora isso, está tudo bem!

sábado, 15 de dezembro de 2012

Mais tarde ou mais cedo ele chega!


O Natal ainda não chegou em força ao Nosso Ninho. Temos quilos de enfeites, metros de luzinhas mas a única coisa que denuncia a época cá por casa é o piqueno presépio. Tentámos fazer os contornos de uma árvore com as gambiarras mas para além de ficar uma coisa um bocado macaca, metade da parede estava a vir atrás com a cola das fitas que seguravam a instalação luminosa. Já tivemos mil e uma ideias para fazer uma árvore diferente (já que a de plástico além do lixo que faz ocupa muito espaço e por isso vai para a casinha da Nazaré, onde se faz o Natal desde o dia do nascimento do baby Jesus), até já temos o material, mas ainda não pusemos mãos à obra! Já podíamos ter distribuído as bolinhas, estrelinhas e anjinhos por tudo quanto é canto, mas ainda não houve espírito para isso! Pode ser que a coisa se dê antes do dia 24... mas pelo andar da carruagem o mais provável é que o Natal aconteça só quando estivermos todos juntinhos e a pensar em como este Natal é extraordinário e como o próximo vai ter, de certeza, direito a árvore, presépio, a muitos presentes, e a uma dose extra de alegria!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Ou estou a ficar velha e rabugenta, ou é das hormonas...


Parte do meu trabalho passa por dar formação a jovens adultos com o desejo de se tornarem professores. Há toda uma lista de comportamentos que me pasmam, mas nenhum me causa mais urticária que o "lol". Contextualizando: quando querem responder uns aos outros, em tom de ironia, nas conversas que têm entre eles, dizem "lol". Não escrevem "lol" (o que também me irrita), dizem "lol"! Há tanto de errado com isto que nem sei por onde começar...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Manias da época


Alguém me sabe dizer quantas laranjas são necessárias para apanhar uma overdose? É que é só o que me apetece comer - e o meu estômago tem-se aguentado à bronca - e na brincadeira vão umas cinco ou seis por dia...

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

I'm having a love affair...


...mas sinto que não lhe estou a dar a atenção que o meu novo amor merece. É coisa recente... Terá um mesito... se tanto. A verdade é que o tipo nunca fez o meu género, mas este é diferente. Mal lhe pus a vista em cima agarrei-me a ele e agora, sempre que posso, é o que faço: agarro-me, abraço-me a ele! O meu robe! Felpudinho, quentinho, fofinho! Não vejo a hora de chegar a casa e de me embrulhar nele! O mais curioso disto tudo é que a última vez que usei tal peça, corria o ano de 1987... minto, 1989 e pelas fotografias de Natal, não podia estar mais contrariada. Sempre achei (até há um mês) que era uma coisa de velhos. Mas agora... 
E é isto. Queria agradecer à Oioshosho... Ioshoyo... coise (nunca atino como raio do nome da loja), por ter mudado a minha vida!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

domingo, 2 de dezembro de 2012

"A idade não é um posto" ou "A culpa é dos meus pais"



Os meus pais educaram-me bem. Um dos principais valores que me passaram foi o do respeito pelos mais velhos. Desde miúda que sei que a uma pessoa mais velha se trata por Senhor (e não por você, como a cachopada agora faz), que se dá a nossa vez e passagem, que se ajuda a transportar cargas pesadas e que não se discute com quem já tem mais anos e mais experiência de vida. Tudo isto sempre fez sentido e de alguma forma ficou impresso em mim, numa espécie de reacção mecânica ao vislumbre de rugas e cabelos brancos. Acho que tudo isto ajuda a explicar a minha falta de reacção hoje, quando duas senhoras me disseram que iam "roubar" a mesa onde eu estava sentada à espera que o meu Homem viesse com o nosso almoço, porque não havia outra mesa disponível e eu ainda não estava servida. Assim! Sem um "desculpe, mas não se importava de nos ceder o seu lugar"! ou um "vai-me perdoar o abuso, mas nesta mesa ficamos mais perto dos nossos pais que são pessoas que precisam do nosso acompanhamento". Nada! Devo ter feito cara de espanto porque elas ainda disseram que não podiam esperar que as outras mesas ficassem livres. Eu, a pensar que a situação era surreal, levantei-me, murmurei entre dentes que não acreditava na lata (isto para mim é o auge na resposta no calor do momento) e limpei uma mesa onde continuei sentada (sim, porque havia mesas, tinham era pratos). É claro que 2 minutos depois já tinha uma montanha de coisas brilhantes para dizer... Vá lá que não estamos no faroeste e que não sobrevive quem tem o gatilho - neste caso a resposta - mais rápida, se não já tinha ido desta para melhor há muito tempo!

sábado, 1 de dezembro de 2012

12


Queria fazer um post sensível sobre o espírito natalício mas está visto que não tenho jeitinho... vai daí digo apenas: ainda bem que é Dezembro! Que entramos neste doze redondinho que, para além de tudo, marca o fim (de um ano tramado) e o começo (de tudo o que bom que já se adivinha para o próximo ano)! Agora que venham os docinhos, as músicas com sininhos, os centros comerciais à pinha (vá de retro), as férias (ai as férias...), o regresso da família que está longe e tudo a que temos direito que estou aqui cheia de vontade de aproveitar à séria!