terça-feira, 15 de Abril de 2014

To organize or not to organize? That is the question!


Tenho uma relação de amor-ódio com a organização. Por um lado sei que nos dias que correm se não estiver tudo organizado ao milímetro arriscamo-nos a não chegar ao fim do mês. Por outro lado, irrita-me tirar a espontaneidade, já não digo do dia-a-dia mas do de-vez-em-quando! Mas como o tem que ser tem muita força, entrei no novo ano (a bem da verdade foi só a partir de Março) com vontade de pôr a vida nos eixos, ou seja, arrumar o que houvesse para arrumar e tentar concretizar o que, se não tivermos cuidado, levamos uma vida a adiar. Depois de ter lido umas coisas comprei um livrinho. Ainda estou para perceber se valeu o dinheiro que dei por ele. Tinha muita paneleirisse (pardon my french mas hoje perdi o filtro) new age, muita inner Goddess para trás e para a frente, muito "toca na cor não sei quê e diz como te sentes" e por aí fora. Mas esquecendo essas tretas tinha algumas dicas interessantes. Se a minha primeira intenção era pôr o livro na carteira e olhar para ele sempre que houvesse oportunidade, mal o tirei do envelope percebi que isso não ia acontecer. O caraças do livro parecia para criancinhas! Cores para burro, desenhos de bonecos e por aí fora. Vai daí arranjei um molskine e copiei as ideias mais interessantes e adoptei o sistema de frente e verso: de um lado as questões a que tenho de dedicar algum tempo de reflexão e no outro um sistema de planificação de dia-a-dia.
Até agora tenho conseguido fazer algumas das coisas que andavam penduradas há séculos - coisas para arranjar em casa, planos de trabalho, planos de diversão e de bem-estar - mas a check list que faço diariamente tem mais cruzes (o que não foi feito) do que ticks (o que fiz)... Eu planifico, planifico mas há sempre qualquer coisa que me troca as voltas (normalmente um ser com 10 meses, cinco dentes e mais de nove quilos) e acabo por não conseguir levar as coisas até ao fim... Estou à espera de descobrir como é que se faz para no fim do dia bater tudo certo!

quinta-feira, 10 de Abril de 2014

I belive I can fly...





Foi com esta convicção - a de que conseguia voar - que a nossa pequena se estreou no seu décimo mês! Voou a pique da cama e como resultado um galo (que como se sabe é pássaro que não voa e como tal assentou arraiais na testa da garota) e uma manhã passada nas urgências à espera que não acontecesse nada! De resto está tudo bem!

terça-feira, 8 de Abril de 2014

Já tinha dito que sou provinciana?



A propósito de um post que uma amiga minha deixou a falar da visita ao Mercado de Campo de Ourique, lembrei-me da vez em lá fomos...

Andávamos há uma eternidade a prometer-nos um brunch como fazem as pessoas finas e modernas. Naquele sábado (?) pegámos na miúda e fizemo-nos ao caminho. Chegámos ao destino já a coisa estava a caminho do abarrotanço mas lá conseguimos uma mesa. Enquanto dava a sopa à miúda e o Homem "ia à caça" ia aproveitando para pôr um olhito na fauna que frequentava o espaço e cheguei à conclusão que, qual David Attenborough, estava no habitat das Tiazorras Genuínas [quer dizer, não lhes vi (?) o pedigree mas tinham ar disso] e correspondente prol (são sempre mais c'ás mães e vestem de xadrez com meias pelo joelho)! A comida é simpática e parece-me que o preço que cobram por ela está ali na fronteira entre o justo e o carote. 

O fim da picada veio para sobremesa. Habituada a ir ao mercado na minha terrinha, olhei para o porta-moedas vi uma nota de 10 euros e pensei "Vou já daqui aviada... e escuso de ir ao supermercado". Fui à banca da fruta e trouxe laranjas, bananas, kiwis e maçãs. Lá na aldeia isto é fruta normal. Pensei com o troco ainda vou ali à outra banca e trago os legumes. Pois sim... recebi meia dúzia de cêntimos de troco um melão (metafórico) de borla! Por isso minha gente, as banquinhas servem só para decorar o espaço e parecer tudo muito rústico, muito típico e muito caturreira!

Fora isso... uuuhhhhmmmm... pois...

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

...e há fotografias disso...



Já percebi que sou uma pessoa irritadiça... deve ser da falta de sono, da falta de sol, da falta de férias... mas ultimamente também fico com os pêlos da nuca eriçados quando oiço os famosos da nossa praça a justificar a sua veia artística:

Fulaninha que desde 1825 apresenta programas cor-de-rosa mas que agora também é atriz:
"Eu sempre quis ser atriz... estudei para TOC e os tempos livres eram passados a fazer macramé, mas tenho fotografias com quatro anos a representar enquanto cozinhava com a minha prima... a fingir que era o Goucha... Isso e no Natal. No Natal, em garota, eu e os meus primos fazíamos teatrinhos para a família."
Não sendo psi, nem pedi, ou algo nas imediações e pouco percebendo de Piaget, quer-me parecer que TODA a gente com 3-6 anos faz teatrinhos, quanto mais não seja na catequese pela Páscoa ou no Jardim de Infância pelo Natal... aliás, na minha ignorância, quer-me parecer que se o não fizerem é caso para preocupação! (Pelo sim pelo não deixa-me ir procurar as foros da festa de final de ano do Jardim Infantil 1986... Como "canto" e "represento" ainda me convidam para o Glee!)

Aspirante a cantora num dos programas de "talentos":
"Eu nasci a cantar! Tenho fotografias com dois anos a segurar a escova do cabelo enquanto cantava o "À noite na cidade"!
Além de artista é génio... Nunca ninguém se lembrou de segurar a escova de cabelo a fazer microfone! E não, mais ninguém cantava aos 2 anos!

Cantor/Ator/Filho de alguém conhecido:
"Eu não queria cantar... Estes meus dois últimos álbuns surgem porque tinha de ser. Aliás, eu nem queria representar... queria ser trolha! Mas depois de ter feito os Morangos com Açúcar lembrei-me, e até tenho filmagens disso, que andava sempre com uma câmara atrás a representar..."

Não percebo porque é que o talento artístico tem que ser justificado com o passado! Juro que estou à espera de ouvir do próximo artista multifacetado da nossa praça:
"No dia da queca os meus pais tinham ido ver o La Féria e quando me fizeram ainda estavam a bater palmas. Até há fotos disso."

Qual é o problema de dizer: É pá, acho piada à ------- (preencher com o talento à escolha) e resolvi experimentar depois de velho?

sexta-feira, 4 de Abril de 2014

Do nervoso miudinho...


Ele há reclames (anúncios) que enervam. O que me tira do sério nos dias que correm é aquele da McDonalds em que a moça chega a casa e tem o paspalhão do marido agarrado à playstation a mandar vir! E a triste, cheia de paciência e muita calma, lá lhe dá o happy meal para dizer que está grávida. Para mim o anúncio teria resultado se a miúda tivesse fechado a porta três segundos depois de a ter aberto e deixasse o gajo a falar sozinho! A sério que é só a mim que apetece gritar "mulher, foge daí que esse tipo é um otário"?

...E nem me quero lembrar de um anúncio de rádio aos escritórios Regus...

quinta-feira, 3 de Abril de 2014

O tipo de atneta* que eu sou




Ora, depois deste episódio e deste já voltei a repetir a gracinha mais três vezes - a rapidinha de Cascais (5km), a mini maratona vodafone (10km) e a 9 Corrida António Leitão do Benfica (10km). Começo a perceber que a coisa é viciante mas ainda assim estou longe do espírito de sacríficio e competição que é requisito para encarreirar na coisa. Para um verdadeiro mestre da sapatilha de corrida não há calor nem chuva que se ponham no caminho do exercício diário. Pois se a chuva não é um impedimento gigante (apesar de ser) já o calor é um no-no. Anyway... digo eu que estou muito longe de ser uma atneta porque ia eu a entrar no quilómetro 10 desta última corrida, quando percebo que a meta não estava à minha frente! Não senhora! Estava à distância de uma subida que mais parecia uma parede que tinha que escalar, enquanto lutava para não ser levada pelo vento e pelos potes de água que caiam do céu. Às tantas dou por mim a ter a seguinte conversa (creio que dentro da minha cabeça mas não garanto que não tenha reproduzido em voz alta):

Eu anjinho - Vá, nunca paraste de correr nas corridas de 10 km, não vai ser hoje...
Eu diabinho - 'Tá bem, 'tá bem... mas os 10 km já estão feitos! Estes gajos é que são uns aldrabões! 10 km são 10 km... Eu já ganhei o direito de ir a andar!
E nisto começo a andar
Eu diabinho - Além do mais, ontem tive febre, posso sentir-me mal... não me estou a sentir mal... mas até podia estar a sentir-me mal... e estou sozinha... se me dá aqui alguma coisa ninguém me acode... Se calhar até é melhor ir a andar... Até porque está a chover... Muito... e vento... e eu ontem estava doente... Oi? O que é aquilo? A meta... deixa-me cá correr mais um bocadinho!
Eu anjinho - [RIP]

Por tanto, estou a milhas de ser uma pessoa competitiva mas não vá eu estar a passar ao lado de uma grande carreira e vou tentar fazer pelo menos uma corrida por mês para acabar onde comecei: em Novembro na Meia Maratona da Nazaré mas desta vez para fazer os 21km (a modalidade para cumprir a distância ainda está a ser definida)!



* Chalaça apenas perceptível para quem via as manhã da NBA ao fim de semana e se lembra do "nançamento de ninha de nance ninvre".

terça-feira, 1 de Abril de 2014

Sabemos que estamos a comer sushi a mais quando...

...vamos ao Go Natural buscar o que será o nosso almoço e na caixa nos dão dois conjuntos de pauzinhos...

E já agora, como é que o sushi engorda?! Não é só peixinho, frutinha, legumes e arroz?

segunda-feira, 31 de Março de 2014

Versão resumida deste post: sou preguiçosa!



Mas, em minha defesa, não é só isso! 

É bem verdade que se fosse uma tipa organizada arranjava tempo para vir aqui todos os dias e durante uns minutinhos pensava e escrevia de forma brilhante sobre assuntos pertinentes!;

É verdade que, mesmo não sendo uma tipa muito organizada, às vezes prefiro não pensar, às vezes prefiro ficar no chão a brincar com a pequena, às vezes prefiro ficar a domir, às vezes prefiro ficar a vegetar em frente à televisão, às vezes apetece-me isto tudo ao mesmo tempo;

Também é verdade que a minha vida é um tédio - trabalho-trabalho; trabalho-em-casa; tomar-conta-da-miúda; passear - e possivelmente isso interessa a uma das três pessoas que ainda resistem a passar por aqui quando o rei faz anos;

Não deixa de ser verdade que não faço compras interessantes, não bebo sumos verdes todos os dias, não faço receitas espetaculares, não ando em ginásios maravilhosos, não conheço os restaurantes da moda e tudo o resto que possa ser minimamente apelativo;

Mas depois há aquelas duas verdades infinitamente mais verdadeiras do que as restantes:
- há alturas em que qualquer peidinho (perdoem-me mas tornei-me uma pessoa muito mais escatológica com a maternidade... o que diz muito sobre a minha vida actualmente) dá origem a um texto maravilhoso cheio de ideias originais e há outras alturas em que pode estar a acontecer o milagre da criação à minha frente e o meu cérebro não é minimamente estimulado... Creio que estou/estive a viver durante os últimos tempos o primeiro momento;
- sou preguiçosa e gosto (cada vez mais) de não fazer nada!

Mas há esperança! Quase seis anos de blog ensinaram-me que ainda não é desta que o bicho morre!

quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

Green e trá la rá



Tudo muito bem... batidos verdes, sim senhora, gosto muito, bebo muitos e dão fotografias verdadeiramente apetitosas. Mas a coisa começa a fazer-me "espéce" quando na copanga cheia de vitamina o kiwi aparece por descascar, o côco aparece por descascar, a laranja aparece por descascar and so on, and so on! Até sou moça que aprecia uma bela casca - maçã, perâ, leitão (?!) - mas quer dizer... depois a malta não anda o resto do dia a cuspir pêlos do kiwi e do côco?... Não sei... penso eu de que...

Devo ter 80 anos, óh o raio...

O que é o crossfit?!
O que é o swag... sweg... uma coisas destas?!

sábado, 25 de Janeiro de 2014

Saúde 24



Pelos vistos os enfermeiros da linha Saúde 24 estão em pé de guerra com a empresa que administra o serviço. Não sei quem tem razão, confesso que não quero saber porque a verdade é que sempre fui atendida pelos enfermeiros e nunca por alguém da administração da empresa. E a verdade é que sempre que liguei é que fui sempre mmmmuuuuiiiittttttííííísssssssiiiiimmmmmmooooo bem atendida! E tenho para mim que eles já têm o meu número gravado e já tiram à sorte para ver quem me vai aturar! Principalmente agora com a pequena! Era porque tinha cólicas, era porque mamava muito, mamava pouco, porque estava fungosa, porque tem 37º, 37.5º... e fosse lá a que hora fosse a despedida passava sempre por um "não hesite em nos voltar a contactar se tiver alguma dúvida" (e eu não hesito)! Por isso, enfermeiros da Saúde 24, estou convosco!

quinta-feira, 23 de Janeiro de 2014

Minh'alma 'tá parva!


Mudámos para a Zon. Estava contente porque finalmente ia poder ver o 24kitchen. Pois que ainda estou a recuperar... Assim que passe a vergonha alheia voltarei a dizer qualquer coisa a este respeito... ou então não!

terça-feira, 21 de Janeiro de 2014

"Das verdades inconfessáveis" ou "Alguém me ajude se faz favor"



Aqui há uns 2 anos ofereceram-me um kit da Rituals, se não estou em erro, de sabonete líquido e creme para as mãos que, para além disso, trazia ainda uns pauzinhos de incenso e um pacote/saqueta com um chá. Não tive grandes dúvidas sobre o que fazer com o "lavante" e hidratante. Os paus de incenso já se devem ter esfumado mas e o chá?!... Se num primeiro momento me pareceu óbvio que era para beber, mal o pousei entre as saquetas do de camomila e do de menta fiquei na dúvida: "então e se isto não é para beber e é para pôr na água da maniqure ou do banho?" Vai de ler o invólucro e... nada! Diz que é chá! Desde esse momento até aos dias de hoje que a malfadada saqueta de chá (ainda por cima é só uma) tem alternado a estadia entre a cozinha e a casa de banho. Devo ser a única gaja do mundo que tem uma dúvida tão absurda quanto esta e pior, ainda não se decidiu a abrir a coisa para pôr um ponto final à novela. Mas a verdade é que tanto a ideia de beber um chá que é para fazer cenas zen na água do banho ou por um chá tranquilizante nas mãos me parece absurda... Dada a dimensão idiota da coisa não me estou a ver a ir a uma loja perguntar o que faço com o dito cujo. Além quer deixar umas luzes sobre este assunto?

sexta-feira, 17 de Janeiro de 2014

Constatações



Nesta altura do campeonato voltasse à época da pré-maternidade sobravam-me duas coisas: tempo e membros!

- Que raio andava eu a fazer que não tinha tempo para nada e pouco fazia!
- Para que precisamos de dois braços quando 98% das coisas podem ser feitas com uma mão?

segunda-feira, 6 de Janeiro de 2014

Interior decorator


Contratámos uma designer de interiores para fazer uma remodelação da sala... depois logo vemos se estendemos o trabalho da senhora ao resto da casa (palpita-me que sim...). Aí fica um foto da vaidosa com a sua proposta de tapete de sala outono-inverno 2014.



Parte do contrato implica que a alimentemos... mas é uma porreira e não come assim tanto por isso alinhámos.


Sugeriu-nos que seguíssemos a tradição e desmontássemos a árvore de Natal. Verdade seja dita, que este ano não vai custar nada!


É assim que estamos.

quarta-feira, 1 de Janeiro de 2014

'Bora lá pessoal!


Este foi o primeiro ano em que não fiz balanços nem formulei desejos. Não foi uma opção consciente, mas quando dei conta da excepção não fiz nada para que a coisa fosse diferente. Na realidade ainda estou a precisar de uns dias para me preparar para os próximos 365 dias. Ainda assim, não havia muito a pedir! Tenho tudo e não mudava nada!
Por isso que venha 2014, de preferência de mansinho e com pausas para respirar!

A todos os que aqui passam desejo que tenham um 2014 assim p'ró porreirinho!

domingo, 29 de Dezembro de 2013

Benurons, sonhos e corridas



Este blogue tem andado moribundo à semelhança da pessoa que nele (devia) escreve(r). O fim deste ano foi qualquer coisa... Foi esgotante! Muitas horas de trabalho, muito poucas horas de sono, uma alimentação que era uma desgraceira e uma casa presa por arames! A verdade é que os bocadinhos em que a pequena está acordada são para aproveitar e disso não dá para abrir mão a bem da nossa sanidade mental mas à conta disso, roubam-se horas ao sono para pôr o trabalho em dia e às tantas olhamos para nós e estamos os dois a bater as botas com o corpo a dizer “não pares não se queres ver como elas cantam”. Vai daí, a poucos dias do Natal entrámos de férias, eu afónica, com uma amigdalite e menos uns quilos que faziam falta (já devidamente repostos e com juros) e ele com uma daquelas gripes, entupido até às unhas dos pés com ranhoca e um melão no lugar da cabeça. Mas bastou um dia na casinha dos papás, com comidinha da boa para ficarmos finos e... entrar a miúda ao serviço: febre, vómitos e valeu-nos a santa que foram só dois diazitos desta brincadeira! Basicamente a coisa entrou em velocidade de cruzeiro há um par de dias. Por tudo isto achei que era loucura imaginar que ia conseguir fazer os 10 km da S. Silvestre, só tinha conseguido correr uma vez com a minha irmã (aka "Rosa Mota da Holanda") e fiz 5 km com a leveza de quem arranca uma unha do pé. Mas a verdade é que fiz os 10k! Sem parar uma única vez! Quando em Novembro fiz os 7km da Meia Maratona da Nazaré achei que morria. Ontem quando estávamos a andar para cima e para baixo na Avenida da Liberdade já estava a deitar os bofes pela boca. Mas não sei se foi da chuva, se foi do frio se do que foi, consegui – aliás, conseguimos, porque o meu homem também se aguentou à bronca sempre com o irmão dele ao lado e a minha irmã escreveu uma tese de doutoramento enquanto envelhecia à nossa espera – e não fui a última! Agora tenho um novo objectivo (que me ajuda a manter algum equilíbrio mental e não estupidificar entre o trabalho dentro e fora de casa): melhorar o tempo. Para a próxima vou fazer a coisa em 60 minutos... vamos lá ver!

Agora é aproveitar os dias que faltam para (continuar) a por o trabalho (que não é pouco) em dia e respirar fundo para a parte II do ano.

domingo, 8 de Dezembro de 2013

E se aos 6 meses de maternidade me acusarem de ser uma mãe demasiado relaxada, enfiarei o barrete até aos tornozelos!



Faz amanhã, dia 9, às 9.09 da noite 6 meses que a Gordinhas nasceu e ainda não houve um dia em que não descobrisse coisas que devia ter feito (?) e não fiz em prol do desenvolvimento da garota:

- esterilizadores não temos (apesar de meses antes da miúda ter nascido uma senhora da Chicco me ter garantido que o facto de dar de mamar não servia de desculpa para não esterilizar tudo incluindo as mamas). Além do mais, a pequena tem um único biberon que quando não tem leite meu (o que acontece quando é o pai a "dar de mamar") tem água. A bomba é passada por água a ferver a cada utilização, and that's it;

- não fizemos uma única sessão fotográfica comigo grávida, com ela a fazer de anjinho, ou connosco a fazer corações com as mãos. Não é que não tivéssemos ponderado essa ideia, mas sendo o pai do meio audiovisual, o bacano que nos fosse fazer a sessão despedia-se a meio tal é a picuinhisse do progenitor. Por outro lado, a única pose que sei fazer implica entortar os olhos e por a língua de fora, caso contrário fico mal, e da pequena gosto das fotos em que ela está a fazer caretas;

- não fazia ideia (e continuo sem fazer) que era suposto por-lhe alguma coisa na boca para nascerem (?) os dentes e/ou para o depois dos dentes nascidos... ainda assim, já tem dois dentitos.

- o nosso intercomunicador é mais um walkie-talkie que outra coisa. Não tem imagem. Faz barulho quando ela faz barulho e como vivemos num T2 com 80 m2 levamos cerca de 3 segundos a chegar ao quarto dela quando ela faz barulho... no limite, ligamos os skype nos nossos computadores e deixamos um a apontar para ela e outro na nossa cabeceira. Mas isto aconteceu quando ela mudou do nosso quarto para o dela, durante duas ou três noites;

- não tem um único par de sapatos. Tem uma selecção variada de pantufas com que sai à rua, mas não tem sapatos. A teoria é que se não lhes dá uso, não precisa deles;

- imagino que o coto umbilical tenha ido para o lixo. Não o guardei. Guardei a pulseirinha da maternidade, mais nada!;

De resto tem mimos daqueles que toda a gente diz que não podemos dar (dormir agarradinhas, adormecer ao colo, horas de beijinhos repenicados nas bochechas) mas quer-me parecer que apesar disso tudo está bem! Mas daqui a 18 anos confirmo.

domingo, 1 de Dezembro de 2013

Creche + Dentinhos + Inverno = uma carga de trabalhos!


Já tivemos direito à visita dos bichinhos do inferno que fizeram a nossa garota ir ao tapete. Não é fixe... aliás, é o oposto de fixe! Parece que levamos uma carga de porrada e sem grande tempo para lamber as feridas porque nos entretantos a vida continua. Valham-nos as avós que não se importam de vir de longe para nos dar uma mãozinha. Se não fosse a minha mãe esta semana acho que nos últimos dias da semana tinham andado a bolachas e água e a vestir a roupa do homem da casa... Esta semana também não vai ser fácil mas como já dormi sete horas seguidas (coisa que não acontecia desde Maio) acho que tenho energia para o que quer que lá venha!

domingo, 10 de Novembro de 2013

Pelos vistos a coisa deu-se



Há um ano tinha prometido que iria participar na 39ª Meia Maratona da Nazaré. Já há coisa de 2 anos que vira e mexe que dá para fazer umas corridinhas! Nada de muito organizado, com frequências muito irregulares e a certeza que não fui feita para este desporto. Ainda assim, "o plano" está em marcha e não há como parar. Para a estreia nestas lides não podia escolher outra prova! Desde a primeira edição que, primeiro os meus avós e agora os meus tios e primos, se envolvem na organização da coisa, por isso, lá fomos. A família completa dividiu-se pelas três provas: a "Caminhada" para a avó, a "Volta" para "nozis" e cunhado e a "Meia" para a mais maluca de todas a tia/mana (vinda diretamente do país das socas) que chegou a casa com genica para ir correr outro tanto! Para o ano há mais. Agora é tempo de descobrir a próxima corrida.

...Acho que fica bem dizer que não fui a última... mas não tenho a certeza disso!