quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

Das dúvidas que me atormentam



Uma mulher tem 2 pratos para lavar. Lava-os em 3 minutos:
- 1 minuto para molhar o prato;
- 1 minuto para ensaboar e lavar o prato;
- 1 minuto para passar o prato por água e limpar o lava loiça e a bancada;

Um homem tem 2 pratos para lavar. Fá-lo em 87349827 horas:
- põe a água a correr;
- ?
- ?!
- a água continua a correr;
- ...
- !!!
- a água continua a correr;
- ??!?!
- wtf
[tempo a passar e a água a correr]
- omg
- e termina com os 2 pratos impecavelmente lavados e um mar de água e sabão por toda a cozinha.

Alguém tem uma tese fantástica a este respeito?

*Eu disse-te que não perdias pela demora...

quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

Ontem aprendi duas coisas:

Curgete ralada, cenoura ralada, ervilhas e milho passados, pimentos, cenoura roxa, coentros

Aveia, sementes de papoila, girasol e sésamo

Pão ralado


Congelar



A primeira:
- ainda não acertei com uma receita de hamburgeres de vegetais. Já não está muito longe mas ainda não está lá;

A segunda:
- não tenho pingo de talento para fotografar comida...

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Está feito!






Enquanto couber no macacão da Asos (que achei que nunca iria vestir apesar de o ter mandado vir depois de me ter apaixonado pelo corte mas, mais ainda, pelo preço) não haverá ocasião solene a que não o leve! Não quero saber! Já não me apanham em vestidos desconfortáveis e caros que só uso uma vez e nos quais não me reconheço! Cereja no topo do bolo: como os pés não se vêem não preciso ir de saltos! Tudo bem que pareço a prima "mai" nova do meu rapaz, dada a falta de altura (e de mamas), mas fora isso tudo "impecábel"!

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

Um acordar diferente...



Hoje, como de costume, lá fui eu ter com a Pequena Ditadora pelo romper da bela aurora. Depois dos miminhos matinais, depois de mudar a fralda e de pôr o soro no nariz da pequena, escanchei-a na anca e dirigi-me à cozinha para lhe preparar o leitinho. Foi no momento em que abri a porta que percebi que tínhamos passado a noite com uma convidada indesejada... Logo acima da janela estava la madre de todas las cucarachas! Uma coisa absolutamente nojenta! Segundo reza a história, tempos houve em que eu convivia pacificamente com bichos quitinosos mas isso foi antes de um besouro me ter entrado para dentro do capacete em plena viagem e de ter tido um escaravelho a emaranhar-se no meu cabelo! Nos dias que correm a visão destes seres do inferno faz-me dar gritinhos histéricos daqueles que envergonham a minha mãe. Apesar disto, mantive-me calma e fui acordar o homem (é nestes momentos que fico feliz de haver outro adulto na casa porque se estivesse sozinha provavelmente chamava os bombeiros) que ficou espantado com o tamanho do bicho. À pergunta dele "como é que eu mato isto" eu respondi "com uma caçadeira de canos serrados". Ao que parece a sugestão não foi útil porque não temos armas em casa. Seja como for, ele lá lhe deu chá de sumiço (é um corajoso o meu consorte) e a sacana voltou à vida dela fora de casa... mas o caraças é agora... Estou cheia de comichões, estou a lutar para não deitar fora todas as embalagens abertas que estão na despensa, só consigo imaginar a bicha a passear-se por cima de nós durante a noite e estou em pânico a pensar que há um ninho destas maledetas algures escondido em casa!

Questão: há algum produto, macumba ou reza que eu possa usar para garantir que não voltamos a ter um amanhecer destes?

Haja paciência!



Confesso que não tem sido fácil! As últimas semanas a vontade de calçar as sapatilhas (tradução para sul-mondeguense: ténis) e me fazer à estrada para correr é nenhuma! Como a corrida não é a minha cena e o que vou fazendo é sempre contrariada (pelo menos no início), sempre que mudo de circuito fico um bocado ansiosa (é palerma, eu sei) e aquilo que já fazia com alguma tranquilidade vai por água abaixo... E depois, perceber que tenho de voltar a alcançar os objectivos que já estavam conquistados é qualquer coisa que me faz querer voltar para a cama e dormir 3 dias seguidos!... Isso e experimentar umas calças e ver gordura a saltar por todos os lados ao fim de tanto esforço e sacrifício! Depois de uma semana sem mexer o rabo prometi que esta semana me ia forçar a recomeçar sem medos e sem a pressão de fazer os tempos que já tinha conquistados! Por isso, 'bora lá pessoal, there's no time like the present e outras tangas auto-motivantes!

sexta-feira, 5 de Setembro de 2014

Estação de Caminhos de Ferro*



Ontem fui pôr o aparelho no maxilar inferior. Not nice! O de cima já está confortavelmente instalado, já não dou conta que o tenho. Agora o debaixo... não é só a tensão que se alastra para o resto da cara, não são só os braquetes a espetarem-se no lábio... o que verdadeiramente incomoda é não conseguir morder, trincar e mastigar porque os dentes de cima batem nos braquetes debaixo... Eu sei que é uma questão de tempo até arranjar estratégias para lidar com a Fucoli que tenho na boca e para que comer não seja uma tortura mas que agora me está a deixar um bocadinho down, está!

* A piadinha é da autoria do tipo que dorme na minha cama... um poço de sensibilidade o moço... Não perde pela demora...

quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

Ainda sobre as listas de compras



Como tinha referido neste post, arranjei um sistema ultra complexo (aliás, os meus sistemas são sempre muito complexos... como esta outra solução para a reciclagem permite comprovar) para garantir que não me esquecia do que realmente fica a faltar em casa porque normalmente trago do supermercado sempre as mesmas coisas e ficam a faltar sempre as mesmas coisas... Tenho alguns 20 pacotes de natas para bolos, 30 latas de feijão frade e 18 pacotes de sal mas ando a rapar o açucareiro há semanas, os guardanapos são, durante grande parte do mês, feitos de papel higiénico e tenho de improvisar sempre que quero lavar roupa à mão. Assim, com quatro molas da roupa está o problema resolvido! Bem sei que esta não será uma solução digna da secção DIY do Pintrest e que muito provavelmente há um milhão de pessoas com esta solução toda quitada ou outras bem mais simples e práticas mas eu fiquei toda orgulhosa de mim quando dei conta que tinha tido uma ideia (o que nos dias que correm é raro)! Além do mais o facto de poder anotar logo o que está em falta tem-me ajudado bastante a ser mais eficaz nas idas às compras e saber onde estão os talões de desconto e qual a validade deles também me ajuda a, efectivamente, os usar!! E é isto! Guilhim Maria a "inovar" desde... há pouco tempo...

domingo, 31 de Agosto de 2014

Dia internacional de... mim?


Normalmente não sou dada a estas coisas. Não reforço o óbvio, o que toda a gente disse e escreveu sobre um determinado assunto mas, desta vez, o facto de hoje ser o dia internacional do blogue (?) fez-me pensar um bocadinho no assunto. No meu blogue, nos blogues que leio, no que foi (não) mudando em mim enquanto leitora e o que foi mudando em quem escreve. Tendo em consideração este intróito é fácil de perceber que este post vai ser uma seca... é o post ideal para passar à frente e não ler (quem é amiga, quem é?)!

Aqui a chafarica fez em Junho ou Julho 6 anos. Antes de começar o blogue, não com o intuito com que escrevo nele actualmente (que não sei bem qual é) mas antes para vender bugigangas que fazia, já seguia alguns blogues e foi desde essa altura que o vício ficou! Gosto verdadeiramente de ler blogues. Tenho vergonha de admitir quantos blogues sigo... são muitos! Mais do que devia até porque por muitos deles passo e só vejo os bonecos... Não me dou ao trabalho de os ler. Este é normalmente o primeiro passo para saber que estou a perder o interesse. Aliás, dos tais blogues que seguia há 6 anos, 98% deles já não sigo e eram blogues bons, muito bons. Em algum momento deixaram-me de interessar... E são vários os motivos de desinteresse: 

1. Há poucos dias comentávamos, eu e a minha irmã, que partilha comigo a leitura de alguns blogues sobre os quais gostamos de cuscar quando nos encontramos que, assim que as autoras começam a querer dar lições (diferente de conselhos e dicas) de como bem gerir a vida, as finanças, as relações, a educação das crianças, o que comprar, como comprar... que a coisa deixa de nos interessar! Pessoalmente, não tenho pachorra para gente que acha que Nosso Senhor desceu à Terra e lhes passou toda a iluminação divina sobre todas as coisas! Acho que é de gente pouco humilde e, do meu ponto de vista, de gente pouco madura... sou adepta daquela ideia de que quanto mais vivemos menos sabemos e é com essas pessoas, sem grandes certezas, que gosto de aprender. Gente cheia de opiniões inabaláveis lembram-me os adolescentes que são bichos que prefiro ver ao longe.

2. Blogues fofinhos da vida perfeita, das famílias perfeitas, cheios de mantras, de citações profundas dão-me nervos e tédio!! Gosto de gente a sério, que às vezes se passa da marmita e manda tudo para o c$#%# mais velho, que se chateia com o marido, com o filho, com o patrão e consigo mesmo! Que diz que a vida é injusta e que chora até os olhos saltarem das órbitas! E que depois acalma, põe as coisas em perspectiva e ri-se com a parvoíce! Porque nem sempre temos o que precisamos, nem sempre o amor vence, nem sempre as filhas da putice que nos fazem têm que ter um significado e uma lição transcendental! Fazem-me lembrar as casas Ikea: decorações lindíssimas, em branco, madeira e ráfia, muito rústicas e arrumadas mas convém que ninguém viva nelas para não lhes roubar o encanto.

3. Sou uma frustrada do estilo! Queria ter pinta, um closet digno da Vogue e a confiança para me vestir como as raparigas que aparecem na revista. Não tenho! Por isso gosto de ver/ler como é que miúdas como eu se arranjam e inspirar-me. Gosto de pensar que  consigo fazer aquilo que aparece num determinado blogue a que acho piada e que acho que se identifica comigo. Que tenho como o reproduzir adaptando à minha realidade. Disso gosto! O problema é que, quem normalmente faz isso muito bem, acaba por ser “descoberto” pelas marcas e lá vai tudo para o diabo! A partir do momento em que, as raparigas que eu via como sendo iguais a mim, começam a calçar sapatos que custam mais do que uma mensalidade da creche da minha filha (ou 20 idas ao médico, ou toda a roupa que irei comprar à pequena durante um ano) começo a deixar de lhes achar graça! Por muito que as malas, os óculos e as jóias sejam giras e eu não me importasse de as ter, não me sentiria bem com a minha consciência se gastasse essa quantidade de dinheiro por um acessório! Não estou com isto a fazer um juízo de valor! Acho óptimo que quem pode, quem trabalha para ter, tenha... Para mim é que não dá! Além do mais, num dia bom terei 45 minutos a uma hora para me arranjar (desde o banho até sair da porta) e não tenho uma equipa de maquilhadores e cabeleireiros residente na minha casa de banho (até porque não cabiam) para me porem com o aspecto que essas moças entretanto ganharam! E mesmo que tivesse, não tenho uma irmã gémea boazinha, que fique a fazer de escrava e a tratar das tarefas domésticas enquanto eu me emboneco. E mesmo que tivesse uma equipa de cabeleiros e maquilhagem e uma empregada tenho uma filha que normalmente gosta de passar as mãos cheias de baba/bolacha/ranho/iogurte pela minha cara e pela minha roupa... Assim, e para evitar enervar-me, deixo de as seguir!

4. Ainda na linha do ponto anterior, não gosto de ler quem recebe tudo de mão beijada. Dor de cotovelo? É sim senhora! O que é que me adianta saber que há um ginásio, um plano de treinos muito bom, um PT extraordinário se eu não tenho como o pagar (até pode ficar mais barato que o psiquiatra daqui a uns anos mas para já não há como)?! Se é uma realidade a anos-luz do que é o meu dia-a-dia? Ou, para que é que eu quero saber que há um creme que faz milagres (ou será que o dizem porque a marca lhes pediu?) se eu não o posso comprar e experimentar? Ou um relógio que era mesmo o que eu queria mas que, a menos que me-o ofereçam, nunca o poderei ter? Entre a dúvida do grau de genuinidade da opinião e a intangibilidade dos produtos anunciados deixo de estar interessada no que me possam ter para dizer.

Acho que o (meu) problema (?) é que não evoluo enquanto leitora ao ritmo que os blogues evoluem enquanto negócio... porque basicamente gosto de ler gente como quem me identifico. Que, tal como eu, não se leva muito a sério e que está a apanhar bonés nesta tentativa de manter as bolas todas no ar (filhos, trabalho, casa, marido). Adoro espreitar a casa de quem não tem muito dinheiro para a decorar e não tem uma empregada para a limpar mas que tem boas dicas de como fazer isto tudo com bom gosto! Gosto de ver a evolução de pessoas que, sem ter um PT ou inscrição num ginásio todo XPTO mas com força de vontade, muito estudo e pesquisa conseguem vencer a inércia e tornarem-se mais saudáveis. Não perco uma boa dica de um programa para ser feito com as crianças (de preferência, sem gastar de dinheiro). Fico agradecida aos anjos pelas moças que nos seus blogues mostram os truques de beleza que usam, resultam e são, efectivamente, fáceis de reproduzir pelo comum dos mortais. Gosto de saber que séries posso ver entre as temporadas do Game of Thrones. Gosto de ver gente que fotografa bem, não porque contrata fotógrafos mas porque de facto tem uma visão diferente sobre as coisas que nos rodeiam...

Há, claramente, espaço para todos, logo, espaço para mim enquanto leitora! Aliás, tenho na minha lista de leitura diária um rol de gente que me alegra o dia, que me ensina coisas novas e que me faz sentir mais acompanhada neste mundinho de Deus... e é isso que me interessa! A vocês, feliz dia internacional do blogue e obrigada!



sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Engenharia aeroespacial deve ser mais fácil... A lista #2

(a continuação)

A lista #2
Nome de código: I don't like surprises

Ora, não sei se sou só eu, mas entusiasmo-me facilmente no supermercado... Menos do que quando vou à Zara mas ainda assim, mais do que devia a bem das finanças. Para não perder o controlo da coisa temos um orçamento semanal de supermercado e o orçamento de supermercado pós-férias que é maiorzito. Esta é também uma das duas alturas do ano em que aproveitamos para descontar o saldo que temos em cartão (a outra é no Natal). Como no meio da emoção começo a imaginar que a minha casa é o estúdio da Martha Stewart e meto tudo para dentro do carrinho tive de arranjar uma estratégia específica para esta ida às compras. Neste ponto as dicas da Joana Roque do blogue As minhas receitas foram uma grande ajuda! Tanto no blogue (que sigo há uns anos valentes) mas especialmente nos livros (que tenho quase todos) encontramos listas de essenciais que assentam cá em casa que nem uma luva! Foi a partir de uma dessas listas, combinada com a semanal (que tenho no buy me a pie) que fiz a mega lista de supermercado no site on-line do estabelecimento onde faço compras. As vantagens são significativas:
- é possível ficar com uma ideia do quanto vamos gastar;
- podemos fazer a escolha de um modo mais racional tendo em conta a relação quantidade/qualidade/preço;
- mais facilmente nos apercebemos dos artigos em promoção e podemos fazer investimentos em função disso;
- conseguimos saber facilmente quais os cupões de desconto dessa semana e usá-los de forma eficaz;
- por cinco euros (mais coisa, menos coisa) podemos ter as compras em casa. O ano passado, como tínhamos a bebé com dois meses, tinha sido impensável passar duas horas no supermercado, ter carregado tudo para o carro, ter levado tudo para casa subindo dois andares sem elevador e isto tudo sem que a miúda tivesse feito uma fita daquelas e sem que as minhas mamas tivessem explodido! Soube muito bem ver as coisas a aparecer lá em casa! Este ano já não deve ser assim...;
- depois de feita a mega lista no site do supermercado podemos adaptá-la sempre que quisermos;







As desvantagens:
- fazer a mega lista demora muito tempo!! Correr categoria por categoria o milhão de produtos disponíveis é coisa para ser uma seca por isso, eu vou fazendo este exercício ao longo dos últimos dias de férias (como se pode constatar sou uma pessoa muito divertida, com uma vida muito preenchida e que ocupa as férias com actividades radicais);
- nem sempre temos a noção das quantidades/tamanhos das embalagens;
- nem sempre a coisa corre como queremos e volta e meia recebemos o telefonema dos senhores da loja a dizer que a pasta de dentes que queríamos não está disponível e se queremos trocar por outra ou não comprar e lá se vão as contas!;

Hoje em dia, os supermercados já têm aplicações para se fazerem listas com os preços associados mas, daquilo que explorei, implica ir de telemóvel em riste para o supermercado fotografar códigos de barras e isso é coisa que, apesar de útil, leva muito tempo para o meu gosto! Ainda assim, estas aplicações têm a vantagem de ter os cupões de desconto todos guardadinhos por ordem cronológica o que dá muito jeito!

Depois disto, confirmar a lista, ver se bate certo com o orçamento, se não nos esquecemos das nossas paneleirices, optar por imprimir a lista on-line ou completarmos a da aplicação de telemóvel, tomar um lexotan e seguir para o supermercado! Wish us luck!

Engenharia aeroespacial deve ser mais fácil... A lista #1


A lista #1
Nome de código: quem vai ao mar avia-se em terra

A anotação que fomos fazendo durante a limpeza dá uma ajuda preciosa para não nos esquecermos daquelas coisas que só compramos de ano a ano mas que dá jeito ter em casa (icing sugar, papel vegetal, aquelas ceninhas para afastar as traças, lâmpadas e por aí fora). Mas depois há todo o resto!! Para isto, para além da lista que ficou feita, mas onde falha sempre qualquer coisa, uso uma aplicação para smart phone e tablet, muito intuitiva e prática, só para fazer uma espécie de revisão da matéria. Há milhentas! Umas que para se usarem tem que se tirar um curso de física quântica outras muito simples mas/porque temos que fazer tudo à unha! O único problema daquela que uso - buy me a pie - é que, como sou forreta, aquilo chateia-me com a publicidade! Fora isso parece-me porreirinha:
- como disse antes, é muito intuitiva, que é como quem diz que mesmo que não se perca tempo "a ler as instruções" conseguimos utilizá-la sem problema;
- a lista de base que apresenta é bastante detalhada mas também oferece opções de simplificação, por exemplo, em vez de indicarmos um por um os vegetais ou frutas que queremos comprar podemos escolher o item vegetais ou fruta (porque verdade seja dita, a maior parte das vezes compro os frescos pela cara);
- podemos acrescentar produtos que não estão na lista base e atribuir-lhes a categoria em que achamos que eles se enquadram;
- tem duas formas de organização dos conteúdos igualmente úteis: por ordem alfabética e por categoria do produto. Para mim, uma e outra maneira de correr a lista é útil de forma isolada ou combinada;
- podemos usá-la durante a ida ao supermercado para irmos risacando o que já não há. À medida que riscamos o que já está no carrinho a lista não se perde. Fica abaixo do que ainda não foi comprado e é facilmente recuperada para idas futuras à Meca do consumo.





Apesar de todas estas vantagens há alguns pontos fracos:
- está em inglês (se bem que hoje em dia quase toda a gente se safa o suficiente para fazer uma lista de compras);
- não permite associar os preços dos produtos: o que se poupa em trabalho neste ponto às vezes resulta numa surpresa pouco simpática para a carteira;
- as funcionalidades mesmo fixes, como partilhar a lista (porque cá em casa quem faz as compras é quem está disponível) só está disponível para quem comprar a versão mais completa;

Ora, esta é a primeira parte da estratégia que é a que funciona durante todo o ano mas esta é uma ida atípica... Falta o resto.

(continua)

Engenharia aeroespacial deve ser mais fácil...



Nos dias que correm gerir uma casa devia ser digno de um número do Cirque du Soleil (assim em bom e chique porque circo com animais é coisa para já (?) não ter piada). Por esta nova forma de arte temos que agradecer aos senhores do governo que, todos os meses, nos fazem aprender novas habilidades financeiras que parecem impossíveis de concretizar, assim ao nível do contorcionismo chinês! Mas como dizia o outro, em situações semelhantes de "tough love" (de natureza mais carnal e menos pedagógica), "aguenta e não chora". Depois, há que saber lidar com uma outra cambada (ou serão os mesmos?) mais subtis na forma como nos vão ao bolso... Com dotes de ilusionistas fazem desaparecer o nosso pilim em troca de meio engano em cartão! Como de lamurias não reza a história e já o nosso amigo Darwin dizia que quem não se adapta e evolui vira adubo, o melhor é puxar pela cuca!

Verdade seja dita que neste capítulo ainda tenho muito que aprender mas à conta de tanto meter os pés pelas mãos já não me atrapalho tanto! E chegou o momento do ano para provar os meus dotes de engenharia financeira doméstica! Vamos lá então perceber o que os próximos dias nos reservam!

Lá por casa as "limpezas de Primavera" acontecem antes de irmos de férias (de primaveris têm pouco). Damos a volta a tudo, deitamos fora o que está estragado e sem solução, checamos tudo quanto é produto que tenha uma data de validade. À medida que vamos deitando coisas fora ou que damos conta do que está em falta vamos anotando o que temos de comprar num complexo sistema de registo que temos no frigorífico (o pregnancy brain fez-me criar verdadeiras obras de engenharia a bem da minha sobrevivência e da da garota). Deixamos a despensa e o frigorífico ir a zeros e vamos a banhos. Ora, quando voltamos de férias a casa está impecavelmente limpa e arrumada (impecavelmente deve ler-se razoavelmente) mas sem uma migalhinha para alimentar as formigas! E é neste momento que acontece a mais temida ia ao supermercado do ano! Temida pela quantidade de coisas a comprar e pelo rombo no orçamento! Tendo em conta tudo isto, montamos com antecedência uma operação militar digna dos rangers! 

(continua)

quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

Receitas em 5-7 segundos!

 
Estes vídeos já são antigos (ver aqui e aqui) mas estive a revê-los e achei que fazia bem lembrar! Tenho que ver se convenço o homem a repetir a graça! 

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

Licença (de maternidade) sabática







Desde que a minha pequena nasceu, há quase um ano e três meses, que nunca passei um dia e/ou uma noite longe dela... até hoje! Adorei cada um dos 440 e muitos dias consecutivos em que lhe enchi as bochechas de beijos mas... confesso que estava a precisar de dormir uma noite sem estar de ouvido à escuta da tosse, do choro, do palrar. Estava também a precisar de passear sem ter horas, olhar para as montras sem estar a olhar para o relógio, para o carrinho de bebé ou para as nossas mãos dadas. Estava a precisar de tomar um banho que durasse mais de 10 minutos e passar creme hidratante bem cheiroso em mim. Estava (estou e estarei) ainda a "precisar" de trabalhar... e muito! A corda que está no pescoço há largas semanas já começou a apertar e a verdade é que não consigo trabalhar 30 minutos seguidos quando estou com ela em casa! É todo um novo mundo que estou a explorar há umas horas valentes e, apesar de meio perdida, até me estou a sentir bem... vamos lá ver se estamos no mesmo estado de espírito amanhã!

sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Só para dizer que...







Devo ter a filha mais vaidosa deste mundo e arredores! Não há nada que não ponha ao pescoço a fingir que é um colar e tudo quanto é pulseira (ou pode fazer de pulseira) vai-lhe parar ao pulso acompanhado de um "aaahhh" enquanto vira para nós a jóia para admirarmos o quão bonita é! Resumindo: estou tramada!

quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Cantemos aos anjos e santos!!!





Ontem fui à Tosquia e adorei!! Já andava a desejar um corte de cabelo como deve ser há uma eternidade (ou desde que nasci porque, como é sabido . ver aqui, aqui, aqui, aqui, ... -, a minha relação com o cabelo é tudo menos pacifica!) e até julgava ter encontrado alguém que me compreendia na capital mas sempre que dizia que queria uma coisa mais arrojada o moço ficava a olhar para mim como se eu estivesse a falar grego e o resultado final era invariavelmente ficar parecida com a minha mãe (nada contra porque até é uma senhora bem jeitosa, mas já passou dos 60...). Na Tosquia foi bem diferente... Uma horinha para falarmos em frente ao espelho sobre o que eu queria, sobre o que me favorecia e o que era possível. Tudo com um detalhe inacreditável, com direito a uma foto de rosto, medições e o diabo a sete. Depois foi cortar e cortar mas sempre a explicar o que estava e ia acontecer e à espera de uma opinião da minha parte. No fim ainda houve tempo para aprender a tratar da juba em casa! Para além disto tudo o espaço está muito bem conseguido. Fiquei fã!

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Fugi... para Coimbra e Piódão


















Se juntarmos a uma praia com mais gente que espaço o feriado de dia 15 de Agosto a calhar a uma sexta-feira; emigrantes acabadinhos de sair da Cova da Iria e desejosos por ir molhar os pés; Beach Party no areal durante 4 dias e o entra e sai próprio da mudança de quinzena o que é que temos? Confusão de sete em pipa! Vai daí resolvemos dar um pulinho a Coimbra para pôr as saudades da terrinha em ordem, dar umas corridas pelo Choupal, visitar o Portugal dos Pequinitos e ainda dar um pulinho a Quiaios. Como o Piódão não é muito longe e queremos dar sequência à visita das Aldeias Históricas (ver aqui e aqui) fomos ver as casinhas de Xisto e perder o fôlego com a imensidão da Serra do Açor!