segunda-feira, 30 de março de 2015

Vamos jogar um jogo?!



Objectivos: 
- Fazer 400km num dia usando os vários transportes públicos de três distritos, no meu caso, Lisboa, Porto e Coimbra; (este post foi escrito no Alfa depois de ter apanhado um autocarro para a Gare do Oriente... conto ainda apanhar o metro no Porto e um expresso para chegar a Coimbra);
- Levar uma só carteira (gigante... aquela que a mãe Fatinha fez) com a roupa para três dias, equipamento de corrida, material de trabalho e comida para o dia;
- Conseguir não parecer uma sem-abrigo ao chegar ao local de uma conferência onde vou falar (creio que o ponto anterior invalida este...);
- Chegar ao destino final (casa de papai) com as peças todas;

Quem está comigo?!

sábado, 28 de março de 2015

#EarthHour: o mote perfeito para parar!!



Há alturas em que é assim: acontece tudo ao mesmo tempo. Depois já sei que abranda e passa um bom bocado de tempo até que volte a acontecer alguma coisa de interessante mas para já, está tudo a mil! Por isso hoje vou parar! Estava aqui um bocado embatucada, naquele stress do "não sei para onde me virar por isso vou deitar-me em posição fetal até que chegue Abril", quando me apercebi que hoje se assinala a #EarthHour o que quer dizer que entre as 20h30 e as 21h30 devemos procurar reduzir os nossos consumos energéticos! Encantada da vida! Uma horinha só para mim e para os meus pensamentos sem televisão, sem net, sem rádio, sem nada! Vai saber-me bem! Até lá é tentar dar despacho ao trabalho!

quinta-feira, 26 de março de 2015

É feio enganar criancinhas... mas assim pode ser!



Felizmente a minha filha é uma pequena debulhadora. Come tudo o que lhe puserem à frente e abre muito a boca quando, depois de acabar o que tem no prato vê que ainda estamos a comer, para lhe darmos mais um bocadinho. A questão é que a garota aprendeu a dizer um não reforçado com um vigoroso abanar de cabeça e cerrar de boca e normalmente é o que faz quando o conduto é peixe. Não percebo porquê porque o peixinho que lhe pomos no prato é pescado pelo avô paterno que o prepara especialmente para ela. Depois de perceber que estes episódios me tinham feito crescer mais quatro cabelos brancos (que terei de arrancar entretanto), recorri à sabedoria ancestral (não que seja assim tão antiga) da mãe Fatinha. Ora, reza a lenda que, há muitos muitos anos (vá, alguns anos... não muitos, muitos!), a minha mãe teve de conseguir convencer uma de suas filhas a comer qualquer coisa que fosse (não, não era eu... eu era aquela que comia um croissant depois de almoço... true story). Receita infalível: sufflé de peixe! Como tinha feito peixe no forno e tinha sobras (é uma forma porreira de aproveitar os restos peixe, carne e legumes) não pensei duas vezes! Além do mais, mesmo que não comesse muito, o pouco que fosse estava cheio de proteínas e vitaminas biológicas (porque não me passou pela cabeça deixar para trás os bróculos e a couve flor da Quinta do Arneiro que de tão bons são quase rebuçados) e outras coisas igualmente nutritivas. Para além do mais, é fofinho e não se parece com peixe. Não é a receita mais rápida e fácil do mundo, é boa para ser feita durante o fim de semana sem pressas, mas se pensarmos que basicamente tem peixe (carne ou legumes), leite e ovos (vá e farinha Maizena mas é só um bocadinho) não é assim tão má! E quase se qualifica como paleo (se não contarmos o leite e a farinha)... Fica a dica para quem estiver a passar um mau bocado com a alimentação da criançada. 

quarta-feira, 25 de março de 2015

Está sol!

Credits

Ando numa fase tipo AA. Viver um dia de cada vez... [estive a pesquisar e aparentemente o programa não refere esta ideia de dia mas sim de passo. Não interessa] até porque se começo a olhar muito lá para a frente dá-me a sulipampa e acaba-se a festa! Já tinha percebido, por alturas das crises do final da adolescência, que andar viver por antecipação não ajuda à paz de espírito e fui fazendo por respirar fundo e tentar resolver os problemas (ou o que for) à medida que eles aparecem. Por isso, hoje vou aproveitar que o dia está bonito, superar as três reuniões que tenho (uma de cada vez), fazer compras, preparar o material e a casa para as limpezas de Primavera (que este ano vão contar com a ajuda da tropa de elite: mãe e sogra), fazer o meu exercício, planear o jantar e riscar pelo menos uma tarefa de trabalho da lista. Amanhã logo vejo o que tenho para fazer... Sendo certo que, se ouvirem nas notícias que há uma mulher de com cerca de 30 anos (mas que aparenta ter 20), a vaguear na estrada, enquanto fala sozinha e faz uma lista, provavelmente serei eu!

terça-feira, 24 de março de 2015

O meu mundo perfeito







Há um lugar onde a minha vida é perfeita! O meu closet faz inveja às Olivias Palermo deste mundo, encontro tudo o que preciso para ter a casa mais espetacularmente decorada do mundo, onde tudo o que eu imagino pode ser feito por mim e fica sempre com um ar super-profissional, onde encontro tudo o que preciso para me manter organizada... É um mundo bonito, em constante renovação onde sou feliz!... O problema é que, até que se arranje uma forma de se poder viver no Pinterest vou ter de me contentar com os álbuns virtuais...

segunda-feira, 23 de março de 2015

Museu do Mês II - Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota






Já andava com esta fisgada há algum tempo e este fim de semana finalmente aconteceu! O programa de passar a tarde no CIBA (Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota) foi o que eu tinha imaginado! Ok... não é um museu na verdadeira acepção da coisa mas, como está lá muito perto, acho que podemos dizer que serve. 
O Centro tem óptima pinta (critério tão válido como outro qualquer para visitar espaços culturais) mas creio que a melhor característica é a aposta no "less is more". Não há um milhão de salas para ver, carradas de objectos em exposição e textos de legendas (que são só uma das coisinhas mais importantes dos espaços museológicos) que compilados dão para escrever 20 teses de doutoramento. Em vez disso temos suportes multimédia fantásticos e que funcionam (o que nos dias que correm não é algo que devamos ter por garantido) o que, tendo em conta que levei o meu pequeno diabo da Tasmânia, é importante. As salas apresentam um discursos super-simples, completo e diversificado o que evita aquela sensação de seca... principalmente se pensarmos que o CIBA representa um dos períodos da história de Portugal mais importantes e complexos que existem... Uma espécie de Game of Thrones medieval à portuguesa: casamentos políticos, filhos bastardos, amantes interesseiros, rainhas malvadas, justiceiros implacáveis, irmãos a lutar contra irmãos, guerras com proporções desleais, estratégia, intervenção divina... está lá tudo e percebe-se tudo com muito mais clareza no ponto alto da visita que é, sem sem dúvida, a projecção multimédia. O filme é projectado numa sala tipo cinema, o enredo é representado e bem por actores de primeira linha (o Gonçalo Waddington vai muito bem de Nun'Alvares para além de deixar uma pessoa com outra disposição para aprender factos históricos!) e é possível acompanhar as partes mais complicadas com gráficos que nos dão conta das movimentações dos dois exércitos (sou uma pessoa muito básica que precisa destas ajudas). Aqui é que é preciso ter alguma atenção, porque o filme e o som são tão intensos que as crianças mais pequenas podem assustar-se... 
Depois de tudo isto, estamos prontinhos para dar um pulo ao exterior e ver onde tudo aconteceu de facto e o ambiente ganha logo outra magia. Aqui é que a meu ver a coisa podia estar melhor... bem sei que há audioguias que devem tornar a passagem ao exterior muito mais interessante mas, por algum motivo não os levámos. Mas mesmo sem audioguias, acho que podia haver mais informação sobre as formas e ocupação e transformação do espaço. Em compensação, o facto do campo de batalha ser agora um campo aberto fez a delícia da minha filha que bateu os recordes de sprint, apanha de flores e trambolhões em sub 24 meses.
Programinha e tanto, é o que tenho a dizer! Melhor, só se me tivesse conseguido organizar de modo a dar um pulo ao Mosteiro da Batalha (que fica a uns 500 metros dali... mas tem o centro de interpretação fechado... apesar de ser novo... daqueles mistérios da criação)... fica para a próxima e fica a dica. Aliás... se for para viajar e ir até essas bandas, eu sugiro um dia inteiro e um livro de apontamentos porque, numa distância muito curta, temos (para além do Mosteiro e do CIBA) o Castelo de Leiria e de Porto de Mós (que são espaços fundamentais para compreender a batalha)... para além do Castelo de Ourém que também está ligado a este episódio! As maravilhas deste Portugalito!

sexta-feira, 20 de março de 2015

Eu tentei...

Credits

Aqui há uns dias participei num passatempo e, contra todas as probabilidades, ganhei uma participação no 1º Afterwork do Club Women's Health. Como nunca ganhei nada na vida, nem sequer uma rifa da quermesse da paróquia, achei que nunca seria seleccionada, por isso, quando me disseram qual era o plano da tarde pensei que estava tramada! Então vamos por partes:

1. A sessão aconteceu num ginásio;
Não entrava num ginásio há pelo menos uns 8 anos! Quando quis fazer o saco com o material para treino cheguei à conclusão que... não tenho um saco para ir ao ginásio (o que faz sentido!);

2. Implicava o convívio com outras mulheres que, por serem leitoras da Women's Health seriam de certeza superjeitosas e cheias de equipamento todo gym-ó-fashion;
Não estava enganada... basicamente eu era a anãzinha anafada que por lá andava aos saltinhos. Para além disso, como não ando no ginásio não tenho roupa de ginásio. Tenho dois pares de calças de corrida umas todas surradas outras nem tanto... foram essas as eleitas. A t-shirt foi rapidamente substituída por uma da organização.

3. Do treino constava uma corrida de 4k;
Aqui tudo bem!

4. E uma aula de Zumba...
Já aqui há tempos tinha dado conta do meu talento para coisa. Nenhum. As coisas poderiam ter mudado mas não. Foi uma bonita sessão cómica acentuada pelo nervoso miúdinho de haver câmaras a apontar para o grupo.

5. Sorteio de um relógio Tom-Tom que faz muita coisas gira;
Aqui a tendência manteve-se: não só não ganhei como ganhou a amiga que levei para participar comigo nesta sessão.

Por tudo isto foi... Fantástico! Adorei e repetia tudo já amanhã! Zumba incluída! Há muito tempo que não me divertia tanto e não transpirava tanto! A boa notícia é que este foi só o primeiro Afterworkout da Women's Health!! É uma questão de se estar atento à revista, de ir espreitando página do facebook da WH e tentar!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Num está fácil...










A sério que estou a tentar visitar um Museu por mês mas Fevereiro e Março não têm sido amigos das resoluções anuais! Em Fevereiro dá-se o Carnaval e a nossa vida fica virada do avesso porque essa é a única religião que o Homem cá de casa professa e nada, nem ninguém, se pode meter entre ele e as noites passadas a tocar nos bálhes (um dia explico), vai daí a vidinha cóltural vai para o espaço. Não faz mal! Compenso em Março e visitamos dois Museus (eu até já visitei mais de dois este mês, mas a trabalho não conta). A questão é que Março tem sido uma desagradável surpresa no que toca a viroses e outros imprevistos... No fim de semana passado, com a garota já livre de frebres, o plano para sábado passava por irmos levantar o dorsal para uma corrida ao Parque das Nações e dar um pulo ao Museu da Carris. Lá fomos e na volta encontramos uma hora de fila antes de chegar ao Terreiro do Paço e a vontade de irmos ao Museu, bem como tempo que tínhamos para o fazer, escapuliu-se! "Não faz mal vamos amanhã!" Domingo pela fresca estávamos os três prontos e contentes porque íamos finalmente fazer a visita. Chegámos à porta e... Museu fechado!! Então mas os Museus não fecham só às segundas?! Aparentemente este é a excepção (fica o aviso!). Ainda andámos a passarinhar pelo espaço que vai até ao Village Underground e ainda deu para espairecer... mas Museu "biste-lo"! Tenho outro plano para o fim de semana que se avizinha mas já não digo nada! 

terça-feira, 17 de março de 2015

E porque hoje é dia de receber cabaz de frutas e legumes...




Eu achava que já não me podia apaixonar mais por batata doce e abóbora (estou viciada em batata doce!)... Eu achava que a minha filhota não podia gostar mais de sopa... Estava enganada! Fiz uma sopinha com legumes à séria (da Quinta do Arneiro) e está qualquer coisa de muito muito boa! E é sopa, portanto o mérito não é meu! Eu limitei-me a descascar (não só as batatas e a abóbora, acrescentei o bonitos alhos franceses, um punhado pequenino dos espinafres verdes e fofos, os brócolos e os alhos pequeninos mas cheios de sabor, cenoura, xuxu e courgette), cortar, pôr na panela, cozer, juntar sal, azeite e passar! Com esta chuvinha há poucas coisas que me deixem tão bem disposta!

segunda-feira, 16 de março de 2015

Liebster award ou como saber um bocadinho mais sobre quem está atrás dos ecrãs

É a segunda ou terceira vez em quase 7 anos que sou nomeada por outro blogue (ainda por cima um de que gosto muito) para me dar a conhecer um bocadinho mais. Tenho que agradecer à Isa do Corrida de Obstáculos pelo desafio e vamos lá ver se não subverto muito as regras.

É suposto dar a conhecer 11 factos sobre mim.

1. Não sei ao certo de que signo sou porque faço anos num dia que deve ser de transição. Dependendo da revista e do conteúdo escolho o signo que mais me agrada;
2. Adorei estar grávida. Detestei parir.
3. Já desmaiei ao som do Frágil durante um concerto do Jorge Palma na Latada;
4. É frequente não conseguir ligar à minha mãe/irmã/pai porque nos lembramos de ligar todos uns aos outros no mesmo exato momento;
5. Desenterrei gente para ganhar a vida durante alguns anos;
6. Toquei bandolim numa orquestra juvenil... durante mais ou menos o mesmo tempo que fui escuteira... ainda hoje não percebo porque é que não era a miúda fixe da Escola...;
8. Odeio levantar voo mas adoro aterrar;
9. Quando o meu homem não está em casa, durmo com a pequena na minha cama;
10. Nunca parti nenhum osso;
11. O 11 é o "meu" número. Foi o meu número muitos anos no ciclo e no liceu, foi o meu número quando jogava Pólo Aquático (sim, joguei pólo aquático 6 anos e fiz ballet uns 12...), foi o meu número na Universidade.



Agora tenho de responder às perguntas de quem me nomeou:

1. Como surgiu a ideia e o nome do blogue?
O verde é a minha cor preferida e a água é o meu elemento preferido e foi dessa forma que cheguei ao nome. O que levou à criação foi a ilusão de que ia fazer fortuna a vender bugigangas a partir do blogue... rapidamente percebi que estava enganada mas nessa altura já estava encantada com a dinâmica da coisa e só dava para continuar ainda que sem um plano definido.

2. O que significa para ti o teu blog? Que importância tem na tua vida?
Acho que, hoje em dia, o blogue é essencialmente uma plataforma de partilha. Hoje (e reforço a ideia do "hoje" porque nem sempre foi assim) gosto de ver como é que outras pessoas aproveitam a vida e, por isso, mostro na medida em que gosto de ver. É uma parte importante dos meus dias porque me dá prazer, porque me anima e porque me diverte. Faz-me falta mas tenho a plena noção da proporção que tem que ter na minha vida e que tem fora dela.

3. Qual foi o livro que mais gostaste de ler até hoje?
Qualquer um do Eça... Acho sempre que a malta antiga não dizia/fazia asneiras, não tinha pensamentos impuros, não era sacana... E o tipo veio mostrar que podemos ter todo os nossos podres só não parecem tão maus quando são bem escritos.

4. Qual foi, até hoje, a viagem da tua vida?
As duas primeiras viagens aos Açores (S. Jorge 2002; Flores 2008). Foram dois momentos muito importantes na minha vida. Momentos de mudança profunda... daqueles que percebemos que já não dá para fingir que não estamos a crescer. Por algum motivo, aquela terra deu-me um fôlego novo.

5. O teu maior desejo para este ano?
Perceber onde está o caminho a seguir.

Blogues que nomeio

Perguntas para quem nomeei:
1. Livros ou Kindle?
2. Praia ou Piscina?
3. Água ou Vinho tinto?
4. Carro ou Mota?
5. Sapatos rasos ou Saltos altos?

Acho que está tudo!

sábado, 14 de março de 2015

Estive a brincar aos designs...


Explicação para este momento de devaneio:
- é sábado;
- são 9h20;
- estou acordada desde as 5h30 para trabalhar;
- parei às 7h00... porque é normalmente a hora em que a Sardanisca salta da cama e acabou o sossego;
- mas a miúda ainda não acordou!!! (estou quase emocionada)
- já confirmei que está tudo bem;
- posso aproveitar para explorar coisas que basicamente não servem para nada... tipo isto;
- apesar da minha incompetência para as artes visuais (e já agora, para as outras também) este site permite-me viver um bocadinho na ilusão de que sei fazer coisas com pinta (não me contrariem);
- há modelos gratuitos e a pagar;
- fica a dica: canva.com



sexta-feira, 13 de março de 2015

quinta-feira, 12 de março de 2015

Girls day out










O fim de semana passado tive um dia só de raparigas com a minha Sardanisca. Gosto cada vez mais desses dias! Implicam um bocadinho mais de esforço, dá vontade de ter oito braços mas ainda assim é muito divertido. Como ela anda numa fase em fica, literalmente, a dar pulinhos de alegria sempre que vê uma animal e não se cansa de ir buscar o livrinho, onde estão alguns mil bichos, para nós dizermos o nome da criatura e ela fazer o barulho (by the way, alguém sabe qual é o som que faz a girafa?... ela fica a olhar para à espera mas não sabemos o que lhe dizer), resolvi levá-la à Quinta Pedagógica dos Olivais. Foi a loucura! Não consegui tirar muitas fotos porque a garota ficou histérica e só queria trepar pelas vedações (e se ela sabe trepar!!) para dentro dos recintos vedados enquanto eu tentava garantir que não perdia peças pelo caminho (casaco, água, bolachas, banana, fraldas, carteira, telemóvel...). 
Não consegui explorar muita coisa e não tive oportunidade de ver ou participar nas actividades que sei que têm, mas ainda assim, deu para ver que o espaço está bem pensado tanto para as crianças quanto para os adultos. Há um cafezinho, esplanada, lugares de sombra... Tudo como manda o figurino! No recinto há animais que andam à solta, essencialmente galinhas e patos mas também vi um coelho, o que me parece óptimo já que é uma oportunidade para ensinar a não chatear os bichos e perceber que podemos olhar para eles, divertirmo-nos, aprender sem termos de os chatear. É também fácil de fazer festinhas a burros, cavalos, porcos, cabras... porque as vedações não são muito altas e a rede não tem uma malha muito fechada mas, por isso, é preciso ter atenção aos dedinhos... não vá algum animal não achar piada à intromissão. Connosco não houve stress! Fizemos festinhas aos burricos, aos cabritos e cordeiros... o cavalo não me parecia muito animado por isso não arrisquei. Vimos ainda maternidade das galinhas e pintainhos com dois dias que entraram em pânico quanto a minha miúda começou a fazer "piu-piu" muito alto e a "bater as asas" com muita convicção...
Apesar de ter acabado a visita a sentir que tinha corrido uma maratona, valeu muito a pena pela alegria dela, pelo espaço que é muito agradável, por ser um momento só de miúdas... Estou feita uma lamechas!

On the creepy side: há por lá uma galinha que anda solta e que tem o pescoço partido... o pescoço faz uma espécie de um "S"... e a tipa corre com a cabeça mais ou menos enterrada nas asas... mas está viva...

terça-feira, 10 de março de 2015

Se entretanto começar a vestir roupões cor-de-laranja, rapar o cabelo e desatar a cantar "hari-hari", dêem-me um estalo!

sim... o meu nome está gravado nas caixas... sinto-me importante!

Ainda na saga da nova vida saudável do homem (há que aproveitar a maré enquanto ela dura), resolvemos procurar alternativas às frutas e legumes que normalmente compramos nos supermercados e que normalmente sabem a nada. Depois de ver esta dica, resolvemos experimentar. Ainda troquei alguns mails para tentar esclarecer as minhas dúvidas e lá nos decidimos. Recebemos hoje a nossa encomenda de frutas e legumes vindos da Quinta do Arneiro e... estou nas nuvens! Entregaram-nos em casa uma caixa cheia de coisas boas, bonitas, cheirosas e frescas e ficaram com a chave para entregas futuras (à moda antiga). Sabe bem conversar com as pessoas que nos vendem o que comemos (o que parecendo que não, é só uma das coisas mais importantes que podemos fazer pela nossa saúde), trocar ideias, receitas, novidades! Mas melhor que isto tudo (que já é muita coisa) foi ter os espinafres todos arranjadinhos! Confesso que quando fiz a encomenda estive quase para os deixar de fora porque não estava para passar a noite a penicar as folhas, por isso, quando vi um saco verde e fofo fiquei a dar pulos de alegria!
Tenho medo de pensar no que o homem vai sugerir a seguir... mas aviso já que não abdico dos meus banhos diários, dos meus cremes e champô... há limites para o "natural living"...

segunda-feira, 9 de março de 2015

Não é a mesma coisa mas...


O dia chegou em que dissemos adeus ao pão por culpa sugestão do tipo cá de casa que agora deu em saudável. E aqui está a evidência de que não é preciso casar de papel passado para se dar provas de que é amor do sério... Só por este marmanjo eu abdicaria do meu pão!!! Deus-Nosso-Senhor é minha testemunha que tenho sido forte... que tenho tentado olhar para o lado e que as facadinhas têm sido dadas com parcimónia... Mas, para evitar ser presa por má conduta e figura indecente à porta de uma qualquer pastelaria, lá me aventurei a fazer um pão de amêndoas. Não está sequer perto daquilo que um bom pão da avó, de água, mistura, leite... significa para mim... mas temos de ser solidárias, não é?...

A video posted by Cris (@cbscruz) on

sexta-feira, 6 de março de 2015

Insta.me





Então... há uma conta muito gira de instagram que é de ver... coisas ainda mais embaraçosas do que as que deixo aqui, bem como a minha veia pseudo-intlectual, podem ser vistas por lá! Basta carregar no quadradinho que está ali ao lado ou então clicar aqui.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Séries novas... please!

Credits

Não sei se sou só eu mas aquelas horinhas entre o deitar a miúda e cair para o lado a dormir como se tivesse desmaiado são o meu tesouro! Não está em causa a o quanto gosto da minha filha mas se me vir sem esse bocadinho, acho que me dá o badagaio. É durante essas horinhas que desligo o cérebro e a minha única preocupação é garantir que mantenho as funções vitais para ver se não me levam para o hospital. É/Era normalmente o momento ideal para ver uma série mas, até que chegue o dia mais desejado do ano - 12 de Abril... que, digo eu, devia ser feriado! - o cenário não é animador... Vi o "The affair" e, apesar de ser interessante, não é nada de ficar a contar os minutos para a segunda temporada... Acho que o que verdadeiramente me chamou a atenção foi o miúdo do (velhinho e fraquinho) Dawson's Creek que está giro que se farta. A "The good wife" ainda é a que me entusiasma mais apesar de já conseguir começar a prever o que vai acontecer... mas sim... às terças lá estou eu na Fox à espera de ver a Alicia emborcar meio litro de vinho tinto. A "Grey's Anatomy" já é uma cena bizarra de ficção científica com os actores que nem no banco estiveram durante as primeiras temporadas. E é isto! Não fosse o Master Chef Australia (o que eu adoro aquilo!! é que gosto mesmo!!) morria de tédio!!
Sugestões de séries giras, alguém tem?

quarta-feira, 4 de março de 2015

Com jeitinho dá para tudo... e para falecer também...

 Acordar || Trabalhar || Acordar o resto da tropa || Preparar e dar pequeno almoço

 Sair de casa (garantindo que temos todas as peças necessárias)

 Trabalhar || Voltar para casa || Preparar e comer o almoço (tardio) || Trabalhar

 Recolher e arrumar roupa || Ponderar cortar os pulsos || Recolher e arrumar roupa || Correr

 Brincar com a Sardanisca

Preparar jantar || Jantar || Pôr a Sardanisca a dormir 


Trabalhar

Vegetar || Ler || Dormir