segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Sobre o estado de coma deste blogue e para memória futura



Não voltarás a procurar sarna para te coçares porque vais encontrar.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Stripes are the new black (?!)



Sou só eu que acho que as riscas vão bem com tudo?! Se sou, bem... azarucho! A verdade é que dia sim, dia não lá vou eu para a rua às riscas, independentemente dos padrões, cores ou acessórios que esteja a usar. Haverá coisas piores... de certeza!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Devo ter um "Castelo Lopes" a nascer dentro de mim, oh o raio







Sou só eu, ou este ano são muitos os filmes bons, ou com potencial para serem bons?! Assim de repente, para além do The Revenant, que já vi, gostava de ver o Room, The hateful eight, The Danish Girl, Joy e o Youth. Há por aí quem já os tenha visto? Quais é que valem a pena?

Update: esqueci-me do Spotlight e do Big Short

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Deve ser o Zika do mundo virtual



Estava eu aqui cheia de fezes que andava com o blog largado aos ratos e sem condições para melhorar o panorama, pelo menos no curto prazo, quando percebo que metade dos blogs que leio se queixam do mesmo!
No meu caso não sei bem por quanto tempo é que vai estar assim mais paradote, mas como ando com um olho à Camões não posso abusar muito... além do mais, troquei a inspiração por uma pala e articulações enchouriçadas (eu sei que isto não faz muito sentido... bear with me, quando passar eu explico).
Vou fazer força para transformar a minha vidinha da tanga em posts super-altamente! Haja fé!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

A minha vida, nos dias que correm, em funny quotes

 daqui (a menos que estejamos entrevadas e aí abanamos só a cabecinha)

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

"Museu" #1 - Mosteiro de Alcobaça









Na realidade não se trata de um Museu mas antes de um Monumento... não importa: tem história dentro para aprender e é grátis uma vez por mês (ao contrário daquele que visitámos ontem, mas sobre isso falarei para o mês que vem).
Há aqui um ponto prévio importante: a nossa filha tem a capacidade de ficar tranquila por 3,5 segundos, depois disso entra no modo destruição e tem ir ao colo e/ou agarrar-se ao ó-ó (mantinha) e/ou pôr a chucha e/ou beber água e/ou comer... o que convenhamos não são as condições mais espetaculares para se visitar espaços que apelam à calma e ao silêncio como é o caso do Mosteiro de Alcobaça. Ainda assim, não correu mal de todo.
Fomos relativamente cedo, por volta das 10h30 e estacionámos junto ao mercado, porque é mais fácil, e assim ainda aproveitámos para passear um bocadinho pela zona histórica de Alcobaça que está mesmo muito gira e arranjadinha. Quando fomos levantar os bilhetes a missa estava prestes a começar e por isso tínhamos de esperar para ir visitar os altares e os túmulos do Pedro e Inês. Vimos as salas em volta dos claustros no piso térreo e no equivalente ao primeiro andar. O espaço está cuidado, mas há pouca informação que remeta para o enquadramento histórico dos espaços. Há audioguias, mas só em inglês, e há legendas que na minha opinião ficam um bocadinho aquém. Eu, porque gosto, acabei por comprar na loja do Mosteiro, um guia que tornou a visita mais interessante. Se me tivesse organizado um bocadinho melhor, tinha feito algum trabalho de casa e levava informação preparada para poder desfrutar um bocadinho mais da visita. Não era a primeira vez que visitava o Mosteiro, aliás, já lá tinha dormido em garota, mas lembrava-me de pouca coisa. Lembrava-me da cozinha e da chaminé gigante, do jardim, do primeiro andar lembrava-me de pouco. O que eu tenho a certeza que não havia era o concerto gratuito de um contra-tenor maravilhoso!! Ficámos os três agarrados à sala pequenina onde ele cantava. Às vezes apanhamos coisas do género que dão uma graça ao espaço mas não têm grande qualidade, neste caso, acho que o Mosteiro ficou ainda mais bonito durante o recital! Quem voz maravilhosa, que enquadramento fantástico! Apercebi-me há pouco tempo que esse miminho que a Direcção Geral do Património Cultural oferecia aos visitantes está em risco de acabar, se assim for, é uma pena porque é claramente uma mais valia. Depois de uns vinte minutos a ouvir o cantar dos anjos lá fomos visitar os túmulos e os altares... e aí sim faltava um bocadinho mais de informação. Passámos uma manhã muito porreira e é um espaço que claramente é de visitar mas, mesmo sendo de borla, gasta-se gasolina para lá chegar, por isso, deixo algumas dicas em jeito de sumário para não dizerem mal da vossa vida quando lá forem:

- Alcobaça é bonita e tem muitos estacionamentos fora da zona histórica. São a melhor aposta;
- Se forem à hora da missa não podem visitar de imediato o interior do Igreja. Consultem o site do Mosteiro para se organizarem;
- Se gostam de História façam o trabalho de casa e levem informação ou comprem lá o guia porque não se safam só com as legendas;
- Se ainda houver recital, guardem os telemóveis no bolso e desfrutem porque dificilmente se tem oportunidade de ouvir uma coisa tão bonita;
- À saída há restaurantes mas essencialmente pastelarias onde se pode comer um almoço rápido;
- Vale a pena dar um vista de olhos no resto da vila que é bem bonita;

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

"E antes da Lua está a sua sede..."


Este ano estou mesmo determinada a visitar, pelo menos, doze museus diferentes aproveitando as entradas gratuitas dos primeiros domingos de cada mês. A malta é pelintras... Entretanto, vou tendo a sorte de poder fazer umas visitas com alguns amigos e colegas que andam nesta vida dos museus e a que de outra forma não teria acesso (há quem crave aos amigos entradas para o Lisbon Moda Fashions Coises eu cravo para ver exposições... já disse que sou pelintra?!). Este intróito todo para o seguinte: o segundo primeiro domingo do mês está à porta e se não têm planos eu dou a dica: Museu Nacional de Arqueologia, Exposição "Lusitânia Romana. Origem de Dois Povos". Para começar vai estar bom tempo, para dar sequência à coisa, o museu fica nos Jerónimos em Belém. Acho que há poucas combinações tão boas! Espera... afinal há! A exposição é única! E quando digo única é em todas as dimensões da palavra: resultou de um consórcio de 14 museus portugueses e 5 museus espanhóis, ou seja, há peças que de outra forma dificilmente veríamos... a menos que façamos um périplo por 19 museus e consigamos ir a reservas e coisas do género. São 120 peças fantásticas, todas acompanhadas pela informação dos audioguias e ainda dos QR codes que nos permitem reviver a experiência em casa.
Vá, agora é explorar o site para depois aproveitar a exposição de borla (mas só no próximo domingo).

Nota: para quem tenha crianças no sexto ano, naquela fase que nem amarrados ficam em casa sem destruírem alguma coisa, é levá-los porque ainda aproveitam para rever matéria de História.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

My kind of joke...


Nada como umas piadolas para mudar o mood aqui do estaminé! O problema é que acho que ao todo sei duas piadas que me fazem sempre rir: a das dúvidas (que já contei aqui), a do Donald e Mikey* e agora esta. Sei que sou uma pessoa doente, mas só este género de piadas é que me faz rir!
Cromos para a troca, há?

* Diz o Mikey para o Donald: "Donald, I have something to tell you..."
Donald - What is it?
Mikey - I've been cheating on Minnie...
Donald - ARE YOU FUCKING CRAZY?!?!?!
Mikey - No... I'm fucking Daisy...
(é tão boa, não é?)