segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

"Museu" #1 - Mosteiro de Alcobaça









Na realidade não se trata de um Museu mas antes de um Monumento... não importa: tem história dentro para aprender e é grátis uma vez por mês (ao contrário daquele que visitámos ontem, mas sobre isso falarei para o mês que vem).
Há aqui um ponto prévio importante: a nossa filha tem a capacidade de ficar tranquila por 3,5 segundos, depois disso entra no modo destruição e tem ir ao colo e/ou agarrar-se ao ó-ó (mantinha) e/ou pôr a chucha e/ou beber água e/ou comer... o que convenhamos não são as condições mais espetaculares para se visitar espaços que apelam à calma e ao silêncio como é o caso do Mosteiro de Alcobaça. Ainda assim, não correu mal de todo.
Fomos relativamente cedo, por volta das 10h30 e estacionámos junto ao mercado, porque é mais fácil, e assim ainda aproveitámos para passear um bocadinho pela zona histórica de Alcobaça que está mesmo muito gira e arranjadinha. Quando fomos levantar os bilhetes a missa estava prestes a começar e por isso tínhamos de esperar para ir visitar os altares e os túmulos do Pedro e Inês. Vimos as salas em volta dos claustros no piso térreo e no equivalente ao primeiro andar. O espaço está cuidado, mas há pouca informação que remeta para o enquadramento histórico dos espaços. Há audioguias, mas só em inglês, e há legendas que na minha opinião ficam um bocadinho aquém. Eu, porque gosto, acabei por comprar na loja do Mosteiro, um guia que tornou a visita mais interessante. Se me tivesse organizado um bocadinho melhor, tinha feito algum trabalho de casa e levava informação preparada para poder desfrutar um bocadinho mais da visita. Não era a primeira vez que visitava o Mosteiro, aliás, já lá tinha dormido em garota, mas lembrava-me de pouca coisa. Lembrava-me da cozinha e da chaminé gigante, do jardim, do primeiro andar lembrava-me de pouco. O que eu tenho a certeza que não havia era o concerto gratuito de um contra-tenor maravilhoso!! Ficámos os três agarrados à sala pequenina onde ele cantava. Às vezes apanhamos coisas do género que dão uma graça ao espaço mas não têm grande qualidade, neste caso, acho que o Mosteiro ficou ainda mais bonito durante o recital! Quem voz maravilhosa, que enquadramento fantástico! Apercebi-me há pouco tempo que esse miminho que a Direcção Geral do Património Cultural oferecia aos visitantes está em risco de acabar, se assim for, é uma pena porque é claramente uma mais valia. Depois de uns vinte minutos a ouvir o cantar dos anjos lá fomos visitar os túmulos e os altares... e aí sim faltava um bocadinho mais de informação. Passámos uma manhã muito porreira e é um espaço que claramente é de visitar mas, mesmo sendo de borla, gasta-se gasolina para lá chegar, por isso, deixo algumas dicas em jeito de sumário para não dizerem mal da vossa vida quando lá forem:

- Alcobaça é bonita e tem muitos estacionamentos fora da zona histórica. São a melhor aposta;
- Se forem à hora da missa não podem visitar de imediato o interior do Igreja. Consultem o site do Mosteiro para se organizarem;
- Se gostam de História façam o trabalho de casa e levem informação ou comprem lá o guia porque não se safam só com as legendas;
- Se ainda houver recital, guardem os telemóveis no bolso e desfrutem porque dificilmente se tem oportunidade de ouvir uma coisa tão bonita;
- À saída há restaurantes mas essencialmente pastelarias onde se pode comer um almoço rápido;
- Vale a pena dar um vista de olhos no resto da vila que é bem bonita;

Sem comentários:

Enviar um comentário

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!