terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Cesar Millan, onde estás tu?!





Neste momento a Manga dorme debaixo da minha mesa de trabalho. Olhando para ela ninguém desconfia na esquizofrenia que 10 quilos de cão pode ter! A verdade é que não saber do passado de um cão, ou melhor, saber que um cão teve um passado complicado, é uma experiência muito diferente das que tenho tido até aqui. E de facto a Manga mostra, em vários momentos, que não deve ter tido uma vida fácil! É o primeiro cão que tenho que tem que ser subornado para ir à rua! Não quer ir!! E quando finalmente conseguimos fazer com que passe a ombreira da porta é o caos! Tem medo do vento, de pessoas, pessoas com chapéus de chuva fazem-na entrar em pânico, foge de crianças (o que tendo uma em casa se torna complicado) e quando o medo é muito reage com umas trincas. Em casa com os adultos é um doce! Derrete-se por um miminho, brinca com tudo o que apanha mas tem alguma dificuldade em perceber que tem de haver limites! A parte boa da dinâmica é que tanto a Manga quanto a Sardanisca estão na mesma fase de aprendizagem de comportamentos: perceber quais são os limites e saber que estão seguras e que têm mimo perto de nós, por isso não tenho que mudar o meu chip mental muitas (à conta disso já mandei a minha filha sentar e já chamei filha à Manga mais vezes do que as que gostaria...). Temos trabalho pela frente... muito! A primeira tarefa é dominar o passeio à trela. Acho que já sei como a controlar sem tensão nem stress... assim que confirme que a técnica de facto resulta partilho. Entretanto, digam-me tudo: têm ou tiveram cães com as mesmas questões? Deve levar tempo e paciência a torná-los sociáveis, mas alguém tem alguma dica milagrosa?

7 comentários:

  1. Imagino que um cão com um passado difícil seja realmente um cão difícil mas ao mesmo tempo amoroso.

    Tenho uma cadelinha, a Mia, com cerca de 3 anos mas veio para casa bébézinha, portanto não posso opinar sobre o que é melhor ou pior para a Manga. Mas penso que muito carinho e paciência resolvem muita coisa; num caso mais difícil a opinião de um veterinário é sempre uma boa aposta e ajuda.

    Blog - Desabafos e Coisas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que ir ao veterinário (devemos ir hoje) e vou aproveitar para pedir dicas! Beijinhos para ti e para a Mia!

      Eliminar
  2. Dicas não tenho, mas a minha Luna não perdeu nunca o medo às crianças - sendo que o facto de o filho ser bastante brutinho não tem ajudado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a Luna dá-se bem com o teu pequeno ou é arisca? É que a Manga já quis mordiscar a minha filha duas vezes, que até é muito meiguinha e compreensiva (levou uma grande ensaboadela porque já tinha medo que a cadela pudesse não achar piada a um ser pequeno e barulhente) e agora tentamos gerir os espaços das duas... Como é que tu fazes? Eles conseguem estar juntos? A Luna afasta-se?... Diz-me como é.

      Eliminar
  3. Sorry, só agora li a tua resposta. Então é assim: agora, 2 anos e meio depois, ela já não se encolhe tanto com ele e até já aceita as festas dele (há dias bons) sem fugir à primeira oportunidade. Mas ele é mesmo brutinho (gajos, pá, eu disse que queria uma menina, ninguém me ouve!!!) e gosta de chatear a Luna quando (ele) está com os azeites, bate os pés no chão perto dela, (já) não lhe dá pontapés mas da-lhe uns empurrõezinhos com os pés, atira-lhe brinquedos, enfim. Temos insistido muito com o puto que a Luna é amiga, que já é velhinha, que é muito pequenina, que gosta tanto de nós, etc., etc., mas também ralhando (mesmo!) com ele sempre que lhe faz maldades e tirando-lhe o brinquedo com que lhe fez mal. Não sei se estamos a conseguir convencê-lo ou se ele já estaria melhor se tivéssemos sido mais relaxados - a falta que faz um manual de instruções... Quanto à Luna, tentamos resguardá-la um pouco mas castigamo-la sempre que ela lhe rosna (uma vez tocou-lhe com os dentes, deixou um arranhão). Um castigo que parece funcionar com ela é pô-la trancada sozinha noutra divisão quando se porta mal com o miúdo, quer ele a tenha provocado ou não (afinal, aqui na matilha ele manda mais que ela), por alguns minutos. Ela detesta e vê-se mesmo que percebeu que agiu mal ou, pelo menos, que nós não gostámos da reacção dela. Normalmente também ralhamos com ela (não gosto de lhe bater e também não quero dar mais ideias ao miúdo) explicando que fez mal, que o Jaime é "pequenino" e que às vezes não sabe o que faz, mas isto é mais para o miúdo ouvir do que propriamente a pensar que ela vai compreender.

    E agora vou dar uma de "Cesar" e dar-te uma dica... Baseada no meu profundo conhecimento da psique canina e nos muitos episódios do Cesar que vi. Podes tentar conquistar a Manga pelo estômago, que nos cães está ligado directamente ao coração - o meu marido conquistou a Luna assim, ela tinha pavor de homens quando veio para nós. Ou seja, põe a Sardanisca a dar-lhe a taça da ração nas refeições em vez de vocês, diz-lhe de vez em quando para ir dar biscoito ou osso de roer à Manga, tudo o que estiver associado com comida serve (para lhe dar biscoitos diz-lhe para pôr o biscoito na palma da mão aberta, evita mordiscadelas nos dedos). Tenho a certeza que já li ou ouvi algures que para um cão quem o alimenta é que é o dono, pode ser que funcione.

    Espero ter dito alguma coisa de jeito! Boa sorte, não desistam, elas merecem. ;)

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!