quarta-feira, 14 de março de 2012

Always Look on the Bright Side of Life*


* porque com a ajuda dos Monty Python tudo fica melhor

Depois da notícia dos últimos dias sobre o aumento da gasolina para os €1,71 (grandes filhos de uma quenga barata) resolvi ver o lado positivo da coisa e...vou cumprir dois sonhos meus: ter uma bonita pasteleira de fabrico português (para as pequenas distâncias) e adoptar um burrico (para mimar e para os percursos mais longos)! É que como as coisas estão fica mais em conta ir a Alfeizerão comprar pão-de-ló para alimentar o Fagundes (nome que o bicho irá ostentar) do que dar de comer ao meu velhinho volkswagen... que, by the way, anda numa dieta rigorosa há já uns meses valentes! E não, não me estou a esquecer que tenho de alojar o animal, mas tendo eu crescido a ver cavalos nas varandas do Ingote (bairro complicado de Coimbra), não vejo que o "estábulo" seja um problema!

8 comentários:

  1. ahahahahahah

    Vai contando como corre porque estou tentada a imitar-te.

    Caramba, que nunca vi cavalos nas varandas do Ingote, grande falha!

    ResponderEliminar
  2. Vai esperando por notícias!!

    E sim, o Ingote tinha pelo menos um cavalo na varanda!!

    ResponderEliminar
  3. Vai esperando por notícias!!

    E sim, o Ingote tinha pelo menos um cavalo na varanda!!

    ResponderEliminar
  4. Morei 3 anos no Bairro de São Miguel (Eiras), ali há beirinha do Ingote! As good as it gets.

    E estudei 3 anos (secundário) na Marinha Grande onde me lembro de haver um bairro a que chamavam "bairro dos índios" onde se dizia que havia quem criasse porcos nas banheiras. Só ouvia os rumores mas confesso que sempre me intrigaram. Cavalos na varanda e porcos na banheira? É de respeito!

    ResponderEliminar
  5. Eu conhecia o mito das hortas na banheiras e das galinhas na sala... mas esses rumores não posso atestar. O cavalo garanto! Era na varanda que fica do lado direito (de quem sobe) do prédio que tem um túnel no primeiro andar... Da Marinha Grande, só de passagem e das histórias da minha mãe que deu lá aulas...

    Mas mais interessante que isso: fomos vizinhas... ou pelo menos moramos próximo! Eu vivia na estrada de eiras (onde agora há um milhão de armazéns de móveis) e andei na D. Dinis (onde também se vivia o duelo entre índios e cowboys)! Mundo pequeno este!!

    ResponderEliminar
  6. Porra, por momentos assustei-me com o título do post! :p

    ResponderEliminar
  7. O mundo é uma ervilha!

    E eu vi agora e nem quero acreditar que escrevi "há beirinha", mas que paragem cerebral!

    ResponderEliminar
  8. Raquel, no worries! Nesta casa os erros têm todos direito a perdão... caso contrário eu própria não poderia escrever, tal é o número de "paragens cerebrais" (às vezes é mesmo ignorância) que acampam na minha mona!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!