segunda-feira, 12 de junho de 2017

E quando o dia 10 era só um feriado e eu não tinha nada para fazer?!...





Isto de ter crianças a fazer anos é uma pressão do caraças! Ele é a festa que precisa de um tema, é arranjar um/a animador/a que não seja creepy e que saiba fazer pinturas faciais e bichinhos com balões, é arranjar o espaço, é arranjar comes que sejam sem lactose e sem glúten e sem açúcar (e sem piada) para serem ultrasaudáveis para as pequenas crias de humanos, paciência para controlar crianças a correr durante duas ou três horas e ainda ter o talento para fazermos tudo de origem para que as crias se sintam amadas e não precisem de psicólogo precocemente.

Eu cá dei o meu melhor: bolinho para a escola na sexta (dia de anos) e festa no sábado. Entre uma coisa e outra foi fazer as compras dos "comes" e das "decorações" para, no final, o resultado ser uma coisa tipo aqueles "memes" dos "fails" do pintrest. Em hashtags a festa seria um #nailedit #sqn... 

Por partes:
- O Tema: 
Princesas e, a pedido da criança, seria importante ter a presença da Branca de Neve e, já agora, do príncipe. Aproveitei logo a dica para lhe dizer que a Branca de Neve até era capaz de ir à festa mas que ela não dependia do príncipe para fazer as suas escolhas e que por isso o mais provável era ir sozinha, ao estilo "mulher independente". Acho que ficou convencida. Lá arranjei uma animadora supimpa que não saiu do personagem um único segundo!

- A Decoração: 
Ora, a ideia era ter a coisa em tons de rosa, branco e azul turquesa, sendo que pela miúda era tudo em cor-de-rosa. Na realidade tivemos direito a rosa, azul turquesa, verde, laranja, vermelho, azul claro e azul escuro. A porra das lojas não se organizam para ter as colecções consistentes no que respeita ao esquema de cores e vai daí a malta improvisa e no fim fica assim um bocado gay parade!

- Os Comes:
Fiz metade e comprei metade. Comprei miniaturas de coisinhas boas e dois bolos pequeninos e caseiros (um de beterraba outro de côco e ananás) e pipocas. O resto fiz: salada de frutas, guacamole, húmus, sandes de pães de leite, e o próprio do bolo de anos que ficou uma espécie pesadelo da pastelaria mas não sabia mal. Era um "sponge cake" de lima com um recheio de creme de lima (não sei como chamar ao creme que lhe fiz para pôr no meio). A decoração foi feita para distrair de tanto remendo na pasta de açúcar (que só estava lá para fazer género porque quando foi para servir tirámo-la).

- O Espaço:
A zona de merendas do Parque dos Poetas onde havia mais 85 festas de anos, pertinho da zona do inferno (também conhecida por escorregas).

Aconteceu a festa, não perdi nenhum miúdo e nenhum miúdo foi devolvido com peças a menos. Aconteceu também uma epifania: para o ano quero um aniversário "chave na mão"! É que a minha veia Martha Stewart está para lá de anémica, mesmo com a ajuda da minha mãe (sem ela ainda estava a fazer pãezinhos de leite a remendar o bolo de anos). Para além do mais, a paciência está canalizada para a dramática da minha filha que não consegue gerir uma reunião social sem chorar pelo menos quatro vezes. Apesar da dose gigantesca de cansaço, valeu a pena porque ao chegar a casa a Sardanisca lá me explicou que estava muito "enflismada" (acho que é entusiasmada e feliz) com a festa!

PS - Apesar das muitas horas de pé, das muitas corridas, dos muitos stresses e das 38 semanas, a criança ainda não nasceu.

4 comentários:

  1. adorei a descrição. mais uma vez, parabéns à piolha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada! Para o ano tentamos que a clebração seja na praia... sempre custa menos se houver mergulhos pelo meio!

      Eliminar
    2. Fogo, 4!! Como é que passam tão depressa?! Parabéns à Sardanisca, beijinhos para a mãe

      Eliminar
    3. Se não estou enganada o teu Peixinho também está com 4 ou quase, não é?

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!