quinta-feira, 2 de março de 2017

2026 é agora...


Agora que a barriga já está assumida já dá para escrever sem ser por meias palavras e por meias ideias o que vai dentro da caixa de pirolitos que tenho em cima dos ombros. Para além da novidade que é uma segunda gravidez, o que verdadeiramente me tem alugado os pensamentos e a paciência é o facto de ter uma filha adolescente. Sim, tem três anos e meio e entrou na adolescência! Li algures a expressão "threeagers" e aplica-se que nem uma luva! O que é que lhe aconteceu?! Agora deu para ser do contra, passar da felicidade extrema ao choro à mínima contrariedade, sai de rompante das divisões, fecha-se no quarto a fazer queixa de nós aos bonecos e acaba sempre a dizer que somos feios e que não vamos à festa dela (deve ser a de aniversário... mas ainda estamos a tentar perceber). Há dias que sim senhora, consigo respirar fundo, dar-lhe o espaço que precisa, peço-lhe para me explicar o porquê de estar triste/chateada/zangada, faço-a rir ou dou-lhe um abraço consoante me parece mais adequado... mas há dias em que leva com dois berros e 10 minutos de castigo para garantir que não faço um estrago pior.
Tendo em conta a minha formação juidaico-cristã a única dúvida que tenho tem que ver com a natureza da culpa que devo carregar: será que já a estraguei ou que a estou a estragar?

7 comentários:

  1. Estás a educar! Lamento informar, a minha fez 4 e continua com essa bipolaridade emocional que pouco tem a ver com o facto de ter uma mana de 9 meses! Isto deve-lhes passar, lá para os 20. Ou então não porque as hormonas femininas são lixadas!! (Nem sabes como fiquei feliz por te saber grávida!! Depois da tempestade vem a bonança!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto... sendo assim já só faltam uns 16 anos de loucura!... Quer dizer... mais 4 porque entretanto temos a mais nova aí a aparecer... Está-se bem!
      (Obrigada pela partilha da felicidade!! Sabe muito bem!)

      Eliminar
  2. A minha está na mesma fase e diz precisamente isso "não vais à minha festa"... que já se tornou um clássico entre os meus amigos, que agora quando se chateiam com alguém já a usam como resposta. Estragar vamos sempre estragar...porque a culpa de tudo é sempre da mãe... mas como acho que são felizes...alguns dos nossos valores lá hão-de ficar. Há que ter fé :) bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A história da festa é certinha como o destino: eu contrario-a e ela diz que já não vou à festa!! Quando está numa de amor, diz que posso ir... Se ela ao menos se decidisse eu sempre podia planear um fim-de-semana prolongado... Assim, não sei se vou ter compromisso ou não! ;P

      Eliminar
  3. Opá, aqui em casa também não anda fácil. Essa do "não vais à minha festa" deve ser coisa de meninas ou então ainda não lhe ocorreu, mas de resto, é um stress! Contraria até poder (ou levar um berro, lá está), e, imagina, faz caras!! Cara de parvo, de sonso, esboça sorrisos, inclusive quando estou a falar a sério com ele. É de me pôr à beira de um ataque de nervos. Pois se estás a estragá-la não sei. Eu estou a estragar o meu, certinho, direitinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah! A Sardanisca também revira os olhos!! Como?!?! Como é que é possível?!?! Tem 3 1/2!!
      Haja psicólogos por aí para arranjarem o que estamos a estragar!!

      Eliminar
  4. olha isso nao é so de meninas.... lamento, mas o rapazola, acabado de fazer os 4 faz o mesmo! ca para mim isto é da geracao... ou do clima ou nem sei! acho que os estamos a educar... mas caramba que é dificil!!!!!
    por ca tambem vem outro (ou outra!) a caminho e estou como tu... a adolescencia comeca cedo e vai ser loooooooooooonnnnnnnnga!!!
    beijos a costa alentejana e muita coragem para nos maes (e pais!) destes seres tao desafiantes!!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!