terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Oh tempo....



Eu sei que o ano já começou há pedaçote mas eu ainda não entrei no espírito da coisa. Normalmente consigo fazer um balanço e traçar objectivos ainda em Dezembro. Este ano não. Podia dizer que foi uma opção, que este ano me libertei dessa espécie de macumba motivadora para os primeiros 60 dos 300 e tal dias que temos pela frente, mas não. A verdade é que o único bocadinho que tive para pensar no assunto foi nos 45 minutos da aula de natação da pequena, a semana passada, e soube-me pela vida! A verdade é que me dá jeito ter um plano de intenções porque de facto me ajuda a sentir bem durante uns 10 meses. Nos dois últimos meses do ano fico só deprimida por não ter conseguido fazer um terço do que queria. Vai acontecer, vou aproveitar os bocadinhos de tempo de espera que vou ter numa qualquer delegação da função pública para desligar o cérebro do trabalho e poder pensar um bocadinho no que estou a fazer nos dias em que me sinto uma galinha sem cabeça. Quem sabe não descobri aqui uma cena nova: fazer planos para o ano, já com o ano em andamento?! Se calhar ainda se vem a descobrir que assim é que resulta e assim é que viramos gurus da New Wave!... Entretanto vou só negar o "engolimento" (esta palavra, claramente, não existe) de que estou a ser vítima e desejar por uma ida às finanças, ou pela renovação do cartão de cidadão, para poder arrumar a minha vidinha antes de acabar o ano!

6 comentários:

  1. No geral, não faço grandes balanços do ano velho, nem traço objectivos para o ano novo. Especialmente, tento não pensar muito no ano que passou, quando este foi mau, como foi o caso agora. E resoluções? Só uma: deixar de fumar a partir da passagem de ano. Bem sucedido até agora. De resto, vou traçando ao longo do ano, porque, para mim, é mesmo assim que resulta ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh lá! Mas esse objectivo vale por muitos!! E muitos parabéns! Sei que não é nada fácil por isso, força!

      Eliminar
  2. olha, sou mais de fazer balanços em setembro, no pós-férias/silly season. mas sem grandes resoluções voltei à minha alimentação saudável, cheia de força de vontade, marquei tudo o que é consulta de rotina, e foquei-me nas minhas pessoas. A grande resolução (aquela que se arrasta, que é a mais dificilmente concretizável e por isso a mais desafiante) é tornar 2017 no ano da casa: arrumar, destralhar, arejar, redecorar, organizar). Conto com a ajuda de um livrinho precioso que uma blogger querida mas querida me emprestou :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já fui mais de Setembro. Nos últimos anos sinto que o 31 de Dezembro é mesmo o fim. Dá-me sempre para a choradeira e para a lamechice. Eu vou ser obrigada a arrumar e destralhar e estou cheia de medo do que me espera. Acho que não há livro que me salve, por isso, vai tirando notas para depois de dares dicas! ;)

      Eliminar
  3. olha eu tenho a certeza que 2017 me vai trazer novos desafios e coisas novas... mas depois conto mais!
    Não sou de grandes planos logo em Janeiro, sou mais como a macaca grava-por-cima e o meus anos recomeça em setembro! este 2017 tambem vai ser muito de casa... as circunstâncias vão me levar a destralhar a serio e arejar e organizar!
    Nada de mega objectivos que me levem ao desespero... vamos saboreando o sol, o mar e a vidinha!

    Beijos desta costa alentejana altamente gelada e fria como nunca me lembro!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... eu também já sei que vou ter novos desafios em 2017... mais daqui a uns dias também digo mais coisas. Eu sinto de falta de ter objectivos... sinto que nos últimos anos me ajudaram a perceber um caminho... mas pronto, as coisas são como são, e não vou ficar a matutar muito no assunto!

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!