quinta-feira, 10 de março de 2016

Ser mãe de uma criança de dois anos é...


... dizer-lhe "gosto muito de ti" e ouvir de volta "eu também [silêncio de meio segundo] gosto muito do pai"...

Nove meses a carregá-la, outros tantos a dar-lhe de mamar, noites de procissão de pé descalço enquanto o homem dorme ferrado, para isto! 

Mães de meninos, contem-me toda a verdade, eles gostam mesmo mais das mães do que dos pais?

12 comentários:

  1. a minha filha gosta mais de mim do que do pai. TOMA!

    lídia

    ResponderEliminar
  2. Oh caramba!! Isto é um complot!! Querem deprimir-me ainda mais! Olhem que sou uma pessoa doente!! Caramba... onde é que está a solidariedade feminina!! ;P

    ResponderEliminar
  3. A minha tem nove meses e claramente o pai é o amor da vida dela! Pfffff....:P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah... afinal não sou a única!! Ufa... já estava a ver a protecção de menores a bater-me à porta!! Obrigada!!

      Eliminar
  4. Por incrível que pareça (eu própria estou admirada comigo mesma), está aqui, a solidariedade feminina. :)
    A Bolachita prefere o pai. De longe. Ainda não o consegue verbalizar correctamente (também já tem dois anos. no entanto, o facto de ter de interiorizar duas línguas ao mesmo tempo, não está a ser fácil) mas nota-se a milhas que preferes o pai. Temos de nos conformar. Que remédio. :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mam'Zelle... o que eu gosto de te ver por aqui!! :D
      Olha que a Sardanisca tem já 2 anos e 9 meses (eu é que não sou muito fã de dizer que a criança tem 98749827 meses) e fala mmmmuuuiiiitttttoooo mas é muito chinês, nós é que já conseguimos decifrar e só ouve uma língua em casa!
      Agradeço reconhecida a solidariedade... já estava a ver que tinha feito alguma coisa mal! Diz que mais para a frente a coisa muda e passam a gostar mais das mães (e que por volta da adolescência volta a mudar... mas nessa fase conto enviá-la para uma ilha distante...). Haja coragem!
      beijinho

      Eliminar
    2. Eu nunca ando muito longe. ;)
      Pois, a Bolachita ainda 'só' tem 2 anos e cinco meses (fazes bem, também não sou grande adepta desses pormenores contabilísticos). É capaz de desenvolver a fala de repente. Não estou muito preocupada, na realidade.
      Mas és bem capaz de ter feito algo mal, tal e qual como eu, que aqui a Mam'Zelle não é um exemplo de mãe. ;p A sério? Muda? Quando? Quando? Que é para eu me preparar psicologicamente e aproveitar esse bocadito de tempo ao máximo. Coragem. E paciência. Muita. Ámen!
      Beijo!

      Eliminar
  5. Pelos meus lados o rebento prefere claramente a mãe, o que deixa o pai claramente aborrecido (muahahahah). O miúdo saiu igual ao pai, mas agora eu vingo-me! :D

    ResponderEliminar
  6. Há sem dúvida uma magia especial entre o progenitor de um género e o descendente do género oposto. Coisas da ...naturaleza.

    ResponderEliminar
  7. Não posso falar porque não tenho filhos, mas pelo que vejo dos meus dois priminhos, ela nitidamente tem uma adoração pelo pai. Assim que a vão buscar ao infantário um sorriso de orelha a orelha quando vê a mãe, mas só até se aperceber que o pai também vem lá atrás, é sempre para ele para quem corre. Mãe sofre... Lá para os 21 voltam a ver a luz ao fundo do túnel! ;)

    ResponderEliminar
  8. Cá por estas bandas o rapazola já teve períodos de ser tudo pai e outros de ser tudo mãe! Agora, do alto dos seus recentes 3 anos, tem dias e momentos...! Ora é só mãe, ora é só pai! Eu como filha não tenho preferido, tanto peço mimo e colo ao pai como á mãe!!
    Beijinhos da costa alentejana!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!