segunda-feira, 7 de março de 2016

Parecendo que não, este é um post sério


Quem lê estas letras, escritas numa qualquer fonte pré-definida, não percebe que os dedos que escrevem estas palavras não os mesmos de há uns meses atrás. Os dedos do passado não eram particularmente bonitos mas ainda assim, eram elegantes e fininhos. Os que agora tenho, são o cruzamento entre uma Linguiça de Bragança e uma Alheira de Mirandela. Cumprem a função? Sem dúvida mas com dor. Nada disto está a fazer sentido, certo? Pois, sinto exatamente o mesmo, não em relação ao volume dos dedos e à dor, mas antes ao que os transformou. Ao que parece sou uma pessoa doente. Sempre achei que sim, que não fechava a tampa bem mas, fora isso, era sã que nem um pêro. Sempre fiz muita vaidade disso. Agora, do pé para a mão, levo com resmas de papéis a dizer que afinal não... não só tenho uma doença crónica, como é uma doença crónica de velhos*! A sério universo? Não havia aí nada mais glamoroso? Artrite reumatóide. Toma e embrulha! Boa noite e até amanhã.

Já tive tempo de desmoer a novidade, de ler sobre o assunto, de ouvir quem devia ouvir e agora vou começar a perceber como é que vou integrar esta nova realidade na minha vida. Para já, tirando as dores e as inflamações que, verdade seja dita já não são novidade, o impacto não é extraordinário. Há coisas que não consigo fazer mas isso varia de dia para dia. Não posso dizer que a minha vida seja monótona estou sempre à espera de saber qual é a novidade: tenho de andar a arrastar a perna porque o joelho virou trombolho? consigo pegar numa caneta e escrever? vou parecer uma agarrada porque os olhos vão chatear-me? Assim escrito para um bocado assoberbante mas a verdade é que o é mais para quem está de fora. Lidar com a coisa na primeira pessoa não é assim tão complicado, apesar de ser um desafio. Aliás, até agora, tenho continuado a fazer quase tudo como antes, inclusivamente as corridas (que mantive) e acrescentei dias de ginásio à rotina (diz que fazer desporto ajuda a minimizar os sintomas). O que tenho vindo a mudar é a alimentação, com a ajuda da minha irmã, que domina tudo o que é receita de alimentação saudável, sabe de trás para a frente o que é que faz bem a quê e me ameaçou de porrada se não fizesse o que ela diz... mana mais nova sofre! Mas a verdade é que o pouco que já mudei com a ajuda dela (substituir os lacticínios por outras alternativas) tem surtido algum efeito e não tenho sentido a ressaca da coisa... Tenham lá paciência se começarem a ver aqui mais receitas e coisas do género e sintam-se à vontade para fazer sugestões!

A ideia é que o blogue não mude muito, mas, sendo que eu tenho de mudar um bocadinho, isso vai reflectir-se por aqui.

Nota final: aceitam-se articulações em bom estado para a troca!

* sei que não é doença de velhos, mas é ao que normalmente se associa.

11 comentários:

  1. Este é sem dúvida um grande desafio...a adaptação a uma condição que não era suposto fazer parte dos teus dias...não percebo nada do corpo (medicamente falando) mas percebo qualquer coisita da mente...e ela será a tua melhor aliada se conseguires que ela e esta condição não te dominem...já consegues! Keep Strong!! Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... foi uma surpresa difícil de encaixar porque não estava nos planos. Quanto à cuca... isso é mesmo o mais complicado... a dor gere-se durante algum tempo, as limitações gerem-se durante algum tempo agora, a perspectiva de ser para sempre e de deixar a minha condição inabalável de saudável deitou-me ao chão... Mas acho que já chorei o que tinha para chorar e acho que já percebi, se não o caminho, a direcção a seguir! Mas dá dicas! Se percebes alguma coisa da cabeça isso é fantástico! Dá dicas de como dar a volta à coisa porque pode ser útil para outras pessoas!

      Beijinho e obrigada pela força!

      Eliminar
    2. Nãos ei se já ouviste falar no Mindfulness...http://www.breathworks-mindfulness.org.uk/meet-vidyamala. Esta senhora para mim é inspiradora...e o Mindfulness sendo bem utilizado pode ser uma mais valia nos momentos que tenhas mais dificeis ou a nível físico ou a nível psicológico...vê se te ajuda! O que precisares....Beijinhos

      Eliminar
    3. Já e desde que sei que tenho esta coisa que, a conselho de quem também tem, tenho tentado a meditação que acho que é mais ou menos próximo da mindfulness... mas tenho ainda muito que explorar. Vou ser o site que recomendas! Obrigada!

      Eliminar
  2. cum caneco!!! tudo o que por aqui mudar serà um reflexo da tua pessoa, por isso ca estaremos! receitas saudaveis e afins... venham elas que nos damos outras de volta!
    beijinhos da costa alentejana Xana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Xana! Com sorte muda pouco e para melhor!

      Beijinho grande!

      Eliminar
  3. Tens substituido os lacticínios com o quê?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, os iogurtes substituí pelos de soja o que trouxe outra alteração importante: reduzir o número de vezes que como iogurtes (que eram muitas) porque não gosto especialmente do sabor. O leite vou alternando entre o de amêndoa e soja; Queijo e manteiga, quase não uso e não encontro substituto à altura (a minha irmã está a ver se me orienta nesse capítulo)... já me sugeriram a manteiga clarificada mas ainda não experimentei. Natas culinárias para receitas saudáveis tenho substituído por leite de côco. E acho que para já é isto

      Eliminar
  4. Que chatice à seria! Mas, hoje em dia, estando bem seguida e controlada, já não é uma doença que evolua como antigamente! Agora há que dar luta às inflamações articulares! Força nisso e que domines a doença muito rapidamente! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo! Acho que a apanhei cedinho mas agora tenho de fazer a medicação e ver onde é que pára. Entretanto já tenho as luvas de boxe postas para dar porrada na bicha!

      Obrigada pela força!!

      Eliminar
  5. Eh pá...ânimo e siga, vai pela mana que as manas sabem. beijinhos e tudo a correr (literalmente) pelo melhor!
    Sara nº 5 (que tb tem os dedos todos tortos)

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!