quinta-feira, 24 de março de 2016

Gestão de tempo para tótós como eu



Bem sei que há um certo charme em se dizer que se é uma pessoa muito ocupada, que o dia devia ter 48h e outras coisas do género. Há dias que sim senhor, nem que fizéssemos uma directa conseguíamos dar conta do recado mas há outros que é só má organização. Comigo as coisas funcionam de forma estranha: quanto mais tempo livre tenho menos faço. Quanto tenho mil coisas para fazer, consigo encaixá-las e fazer tudo. Aparentemente a resposta para este fenómeno está mesmo à frente dos olhos. Quando temos muitas tarefas olhamos com maior detalhe para o tempo que temos e preenchemo-lo como se fosse um jogo de tétris: "sobram 15 minutos ali então nesse tempo posso fazer X", "antes de dormir posso dedicar 20 minutos a Y e ainda me sobram 7h40min de sono". Quando o dia está livre (ou mais livre) vamos empurrando com a barriga aquilo que temos para fazer e às tantas é de noite e não fizemos nada!! Para me organizar de modo a garantir que vou dormir com trabalho feito tenho que recorrer ao "time blocking". O princípio da coisa é simples mas confesso que a primeira vez que li sobre o assunto, talvez há uns dois anos, achei parvo e um bocado redutor hoje em dia estou rendida (não quer dizer que consiga sempre cumprir... para isso era preciso voltar a nascer sem ser preguiçosa). Mas então o que é o time blocking? Consiste em olhar para o dia como tendo 24h (uuhhh!! que novidade!!) e preencher essas 24h com tudo o que se tem para fazer nesse dia. Mas tudo mesmo... Assim como na imagem:



Pode parecer que se retira a espontaneidade toda ao dia, e em certa medida é verdade, mas também é verdade há sempre imprevistos e por isso nada nos garante que por muito planeado que esteja o dia que o consigamos cumprir como queremos. Ainda assim, ajuda-me a perceber a relação entre o tempo que tenho e as tarefas que tenho e que são diferentes todos os dias. Às vezes o jantar já está preparado e o que tenho para fazer é tratar da roupa. Às vezes, e apesar de combinarmos que de manhã quem trata da cachopa é o Homem, podemos ter de trocar... ou seja, porque muito que tentemos manter rotinas a margem para imprevistos é gigante.
Em traços gerais é isto que me ajuda, mas há mil e um artigos a explicar isto, a acrescentar a esta visão mais simplista uma lógica de prioridades e há mil e uma apps para fazer a gestão dos dias (eu uso o calendar do computador porque está sincronizado com o telemóvel e torna as coisas mais simples)... o que passa é a haver menos desculpas... para isso é que eu ainda não encontrei solução ou aplicações...

1 comentário:

  1. A organização é, de facto, muito importante. Mas a falta de tempo é uma praga! Às vezes, precisava MESMO de mais horas!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!