quarta-feira, 23 de março de 2016

Dos improváveis do dia de ontem


Como é normal nos dias como os de ontem (e é pena que já possa haver normalidade nos dias de ontem), não havia telejornal que não tivesse um especialista a comentar e a trazer os esclarecimentos possíveis sobre o inimaginável, à luz da sua especialidade. Cá para mim, nada contra! Até agradeço porque ficamos sempre a achar que sabemos mais qualquer coisa. Ora, mas ontem aprendi um bocadinho mais do que queria. Durante o almoço estava a ouvir as notícias e falava-se sobre se o acto terrorista tinha um cunho amador ou profissional e nisto, um dos espertos na matéria diz qualquer coisa do género: "a questão não é a bomba, qualquer um de nós pode fazer uma bomba! Basta comprar água oxigenada, ácido sulfúrico, pózinhos de fada, chifre de unicórnio e lágrimas de rinoceronte, misturar tudo levar a lume brando durante 15 minutos, deixar arrefecer à temperatura ambiente e aplicar num cinto channel e está feito!" É fácil perceber que estes últimos ingredientes e procedimentos foram inventados por mim mas, na realidade, o que o senhor fez foi explicar como é que se fazia uma bomba artesanal passo por passo. Acho que há receitas no 24 Kitchen que não são tão detalhadas. No momento pensei que o homem se tinha passado e que o pivot deveria estar a ouvir indicações pelo pirolito da orelha para não lhe travar a verborreia. Juro que aquilo me ficou a fermentar nas ideias. Já quase me tinha passado o mau-estar quando, durante as notícias das 20h, o mesmo especialista (somos um país pequeno, não haverá grandes alternativas) volta a dar a mesma explicação repetindo a receita passo-a-passo! Estava um palavrão a saltar-me boca fora quando o Rodrigues Guedes Carvalho lá lhe disse a meio da coisa que se calhar não era boa ideia continuar a explicação.
A sério?! A sério que alguém que é perito em questões de terrorismo não percebe a sensibilidade do tema?! Principalmente quando o público-alvo para quem está a falar é todo e mais algum?! Desde pessoas normais às mais tresloucadas?! Moço, se sabes muito do assunto, fixe para ti e muitas palminhas. Se calhar, guardavas algumas coisas só para a privacidade do lar, ok?

2 comentários:

  1. Porra, que é burro. Tal é a necessidade de mostrar que sabe. Há gente que tem, realmente, a inteligência de um sapato!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quer-me parecer que há sapatos mais espertos... ;)
      Beijinhos

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!