quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Este post já é tradição...


Sim... estou a tornar-me numa velha chata... mas pelo menos sou consistente (2009, 2012, 2014).
O Halloween continua a arrepiar-me... mas não pelos sustos, e miúdos mascarados e o raio que o parta. Irrita-me porque "não há necessidade" (bem sei que este é um argumento que não faz muito sentido). Então agora os miúdos vão fazer "trik or treat" por essas ruas e prédios fora... É que é tão diferente de ir pedir o Pão por Deus ou os Bolinhos e Bolinhós que faz todo o sentido... not! E não me lixem! Não deve haver pai da minha geração e anteriores que não saiba o que é o Pão por Deus ou os Bolinhos e Bolinhós ou o Santoro... isto é moda que tem meia-dúzia de anos e que é palerma, pa-ler-ma!
Putos que possam vir bater a nossa porta este fim-de-semana: venham-me cá com tretas americanas que levam com um sermão a todo tamanho, um workshop para de Bolinhos e Bolinhós com direito música acompanhada à guitarra e só saem da nossa beira lá para meados de Novembro, que é para aprenderem a não me irritarem. Crianças que saibam pelo menos um verso das cantilenas que por estes dias se dizem à porta dos vizinhos, que não se mascarem (é que aposto que o pessoal que se mascara por estes dias é o mesmo que diz que não aguenta o Carnaval...) e que venham com velinhas e sacos de pano, confirmo que temos frutos secos, broínhas, um ou outro rebuçado e moedas q.b. para ajudar à conta do dentista.

6 comentários:

  1. Eu odeio o Halloween e, sorte minha, acabei prof de Inglês. Adivinha lá o que tenho feito esta semana inteirinha?!? Pois. E o entusiasmo dos putos é temível. Para mim, são as máscaras. É isso que torna o Halloween tão mais apelativo do que o pão por Deus e afins. Eu nunca pedi nestes dias, a minha vida sempre foi o mais longe da religião possível e, convenhamos, nem morta me punham a bater às portas a pedir fosse o que fosse. Quanto mais mascarada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas máscaras é no carnaval!! A miúdagem anda toda trocada!! E devo dizer-te que o mais me lembro dos bolinhos e bolinhós era da emoção de não ter idade para andar na rua àquelas horas da noite e poder fazê-lo, borradinha de medo e acompanhada por mais meia-dúzia de pirralhos igualmente medrosos!

      Eliminar
    2. Cá por Lisboa pedia-se o pão por Deus de dia, não de noite - perde logo a graça. E quanto ao outfit, porquê andar a fazer figuras apenas no Carnaval quando podemos pavonear mais um traste sintético dos chineses noutro dia?!? (Vá, é só mais um dia.)

      Eliminar
  2. Devíamos fazer um Movimento para salvar o "Pão por Deus".

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!