segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Deve ser a isto que chamam a Lei de Murphy...


Acordei no domingo de manhã na versão tuga e feminina (kind of) do Kingslayer: a minha mão esquerda deixou de funcionar e deu-me dores suficientes para me acordar às três da manhã com vontade de a cortar. Porquê? Não faço a mais pálida ideia... Mas uns brufenes depois a coisa passou e como não evoluiu para um ataque cardíaco devia ser qualquer coisa de tendões. Precisava de animar o dia e depois do sucesso do domingo passado achámos que nada como repetir a dose e ir, mais ou menos, no improviso. Vi que ia haver um festival de comida de rua (outro?!) no jardim do Museu da Electricidade e fizemo-nos ao caminho. Tudo correu bem durante uns 10 minutos... depois baixou o espírito do mau feitio na minha filha e foi vê-la e ouvi-la gritar sempre lhe tentávamos dar um bocado de carne. Desistimos de insistir para que comesse porque, apesar de estarmos parcialmente surdos, sempre que ela gritava os ouvidos ainda doíam. Ora, enquanto o pai a estava a entreter para eu poder acabar de comer assumiu uma posição já bem reconhecida por nós: muito quieta e muito vermelha. A sequência normal da coisa implica uma núvem de mau cheiro e um anúncio audível no raio de 15 km: "MAMÃ, COCÓ". Disse ela enquanto fazia os cem metros que nos separavam. Preparei o saco para a mudar mas... tinha tudo menos a fralda. Lembrei-me que na mala do carro ainda tinha as fraldas da piscina et voilá, uma mãe nunca se atrapalha mesmo quando um pai se esquece de confirmar que está tudo em ordem no saco da miúda. Fui trocá-la - para o homem comer em paz - e estava com ela deitada na mala do carro quando me desequilibrei e enfiei a canela numa espécie de lancil que estava mesmo ao meu lado. Vi estrelas e passarinhos e tentei não dizer um palavrão... mas a minha cara deve tê-lo dito por mim porque a Sardanisca disse "Mamã tem dói-dói". Voltámos para junto do pai, a uns 10 minutos de caminho que pareceram 10k, e pedi um copo de gelo para pôr na perna que já tinha o tamanho e o aspecto de um melão casca de sapo. Resolvemos que devíamos ir embora antes que acontecesse mais alguma coisa... a outra versão é que estava com umas trombas tão grandes que a malta do jardim emitiu um alerta laranja ao governo civil. Já com a miúda no carrinho oiço um "Mamã, xixi". Como a Sardanisca já anda quase sempre de cuequinhas vai-nos informando daquilo que tem para fazer. Respondi-lhe "Não faz mal 'Pocas', podes fazer na fraldinha". Quando a fomos sentar na cadeirinha do carro percebemos que estava toda molhada. Afinal as fraldas da piscina não contêm o xixi... sou eu a única a não saber disto?! Lá a embrulhámos numa toalha e tentámos que não acontecesse mais nada. Mas não... ainda consegui levar com o biquinho da porta no ombro quando estava a tentar entrar... No espaço de duas ou três horas estava com uma mão imobilizada, com um hematoma do tamanho da Rússia na perna, com uma pontada no ombro semelhante à da administração da vacina do tétano e uma dor de cabeça daquelas simpáticas. 
E pronto, aqui fica mais uma dica para uma manhã bem passada.

2 comentários:

  1. É lá... Só me ocorre dizer que pode ser q a semana corra melhor!
    Beijinhos da Costa alentejana

    ResponderEliminar
  2. Pensa que se assim não fosse não tinhas um post tão divertido... Há sempre lados positivos!
    Espero que estejas melhor.

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!