sexta-feira, 14 de agosto de 2015

5 coisas que dão direito a esgotamento durante as férias


Tenho para mim que 75% da população portuguesa sofre de SPFV (stress pós férias de Verão). Sendo este o meu 34º Verão creio já ter argumentos suficientes para diagnosticar esta condição e até avançar com algumas soluções. É verdade que ninguém gosta de não estar de férias mas também é verdade que, para os tais 75%, há ali um momento em que muito facilmente se desatava ou estalo ao parceiro da mesa ao lado que já contou a mesma piada trinta vezes. Ora, o grande impulsionador do SPFV é a falta de dinheiro que nos leva tirarmos férias nos mesmos lugares porque são baratinhos e de não fazermos verdadeiras férias porque temos na mesma que cozinhar, limpar e fazer as outras merdas que fazemos quando não estamos de férias... Os 25% que não sofrem deste mal podem ir para um hotel. O SPFV é agravado pelos seguintes comportamentos para os quais também proponho soluções fáceis:

1. Andar em bloco:
Bem sei que as férias grandes é o tempo da família e da união... mas a será que isso tem que acontecer em tttooooddddoooossss os momentos? Será que pai, mãe, filho, filha, avó, tia, gato e piriquito têm de andar lado a lado no passeio? É que o pessoal que vem atrás até gostava de andar mais depressa mas ou leva com um carro pelas trombas ou se senta e espera que chegue Setembro. 
Solução: porque não andar dois-a-dois? Ou, se o andar em bloco de facto for importante porque aquece a alma para o resto do ano, olhar por cima do ombro e ver se há fila e, eventualmente, deixar passar as pessoas?

2. Achar que toda a gente está de férias:
Parece impossível, há até quem ache que é mito... mas não! É mesmo verdade!! Há gente que trabalha enquanto outras pessoas gozam as férias de Verão! Depois de ultrapassado o choque aposto que há coisas que começam agora a fazer sentido: "ah! então se calhar aquele senhor que se fartou de buzinar porque não conseguia passar com a carrinha cheia de hortaliças porque nós íamos a andar no meio da rua ao som da "única mulher", estava a trabalhar!"; "vais ver era por isso que aquela senhora se irritou quando eu estava a pôr a conversa em dia com a prima do Luxemburgo enquanto ocupava a única caixa multibanco da aldeia"...
Solução: aqui a coisa é tão simples quanto complicada: bom-senso e compreensão! 

3. Parar em tudo quanto é atracção:
O homem estátua faz as suas "performances" naquela rua, com aquela fatiota e aqueles gestos lentos desde 1985; os peruanos que chegaram com as suas pan-pipes quando vieram animar o pavilhão do Perú na Expo voltam todos os verões; desde há cinco anos que se vendem aquele pirilampos que atiram muito alto enquanto emitem umas luzes... não interessa! Chegamos ao Verão e ficamos com a memória de um peixinho de aquário: "olha tão giro... não se mexe... vais ver está a dormir e não sabe"; "esta é aquela da Celine Dion... eles não estão a cantar mas eu sei que é essa..."; "vês tão giro... isto sobe depois desce e tem luz...". Nos entretantos incorremos numa variante do ponto 1.
Solução: se há dez anos que vemos as mesmas coisas quando fazemos o passeio higiénico da noite é de acreditar que daqui a 10 anos elas por aí continuarão (infelizmente). Se calhar não é preciso parar todos os dias no mesmo lugar para ver o que se viu na noite anterior!... Uma vez por semana só para checar que continua tudo como antes deve ser o suficiente.

4. Achar que as as regras sociais e legais se deixam de aplicar quando chega a Agosto:
Era bom mas não é verdade. Bem sei que durante o Verão é difícil de estacionar nas praias mas isso não quer dizer que durante esses 15 dias, como que por milagre, passe a poder-se estacionar em frente da garagem do vizinho. Não pode... a malta pode ter que sair por exemplo para trabalhar (ver ponto 2). Há fila na padaria... mas isso é para os outros não é para mim que estou de férias e não estou para me chatear. Também não é verdade... as filas são chatas independentemente de se estar ou não de férias. O tipo que não parou na passadeira vai levar com o chinelo no retrovisor só por causa das tosses!! Então um gajo está de férias e tem que se pôr a olhar para ver se há carros? No café com os amigos, minuins e mines... o que é se faz?! Dizem-se car@&#$das alto e bom som! No café lá do bairro não... eh pá, mas a malta está de férias e aqui ninguém nos conhece... 
Solução: dizer o mantra "eu sou igual aos outros, os outros não têm que levar com as minhas merdas". Esta é aliás uma sugestão que serve para muitos campos da vida!

5. Achar que não há gente a viver nas terras que são invadidas por turistas no resto do ano:
Outra coisa que parece um mito urbano mas não é... Há mesmo gente a viver onde outros vão só passar o Agosto, durante o resto do ano! Mais... é pessoal que até gosta de ver a terra limpa e calma... Mais... não têm que aturar merdas só porque dependem do turismo! Ui tanta coisa que parece mentira mas é verdade! Para quem só está interessado no bronze e em micar os rabos das miúdas e os peitorais dos miúdos (e vice-versa) deixar a areia cheia de beatas e guardanapos, o passeio cheio de copos, urina e vomitado pode parecer inofensivo... para quem vive nesses lugares é chato.
Solução: a mesma do ponto 2.

É isto... vamos combater esse flagelo que é o SPFV?! Vamos!

2 comentários:

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!