segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Museu do Mês 1 – Museu da Eletricidade









Exposição: Sete mil milhões de outros

Uma das resoluções de novo ano foi a de visitar um Museu por mês. Janeiro ainda não tinha começado e eu já tinha a certeza daquela que seria a primeira exposição a visitar em 2015: 7 mil milhões de outros no Museu da Eletricidade da Fundação EDP. A verdade é que era impossível a exposição passar-me ao lado. A fundação EDP tem feito uma divulgação fantástica dos acontecimentos e iniciativas que promove - btw, tenho de ir responder às perguntas da exposição para ver se ganho o DVD - e se deixei escapar a exposição passada - porque sou parva e achei que no último a fila para entrar não seria um problema - não ia correr o mesmo risco com esta!

Quanto à exposição e começando pelo fim: tenho de lá voltar... pelo menos mais uma vez! O conceito da exposição é super simples e talvez por isso incrivelmente difícil de passar para uma linguagem expositiva mas a verdade é que foi muitíssimo bem conseguido! Passo a explicar: sabem aquela sensação de reset com que ficamos quando falamos com alguém que, com a sua experiência de vida, nos ajuda a pôr a nossa em perspectiva? Aquela sensação de que às vezes complicamos muito, às vezes dramatizamos muito, às vezes esquecemo-nos de viver? A exposição é isso! Aliás, acho que é uma exposição sobre o que é a vida e viver... e está tudo lá... e esse tudo foi muito bem resumido por uma das entrevistadas, uma mulher do Mali, quando lhe perguntaram pelo sentido da vida: “às vezes é boa, às vezes é má e um dia deixamos de existir.”. Assim de simples... e de complicado! É uma forma de aprendemos um bocado mais sobre nós próprios a partir do testemunho dos outros. E estes outros são pessoas extraordinárias porque são como qualquer um de nós, dos nossos pais, avós, amigos... com histórias de vida do caraças. Tudo isto acontece num conjunto de sete “aquários” em que ouvimos pessoas falarem-nos da família, do amor, da violência, de Portugal, dos sonhos de infância, dos medos, dos desafios da vida... Acho que a exposição tem impacto porque dirá alguma coisa a qualquer pessoa em qualquer momento da sua vida! E dei por mim perdida no tempo... Não fosse ter ouvido a minha garota a destruir metade do edifício e acho que ainda lá estava! Por isso é que digo que quero lá voltar, pelo menos mais uma vez, para poder ouvir todas as histórias com atenção... e, tendo em conta a quantidade de pessoas que por lá andavam, não devo ser a única a querer voltar! Confesso que me senti orgulhosa de ver um Museu em Portugal cheio de gente de todas as idades a aproveitar para ter uma experiência diferente!

Cereja no topo do bolo: a entrada para o público geral custa dois euros que revertem inteiramente a favor dos Dentistas da Turma do Bem e o ciclo de conversas que prometem ser pelo menos tão inspiradoras quanto a exposição.

Se os restantes 11 museus que quero visitar me deixarem tão bem disposta então, é meio caminho andado para que 2015 seja um ano fantástico!

4 comentários:

  1. eh pá isto é que é um desafio que me apetece abraçar... a ver se consigo organizar-me! Gostei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também quero ver se o consigo levar até ao fim... Vou deixando as minhas impressões e pode ser que sejam boas escolhas também para ti!

      Eliminar
  2. Está na minha lista...ver se não deixo passar.

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!