quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Síndrome Peter Pan


Tenho um problema grave... não me revejo neste mundo de adultos. É um problema meu. Tenho a certeza que não é o mundo inteiro a estar errado e eu certa... O caraças é que sendo eu a estar errada isto é coisa para me dar trabalho a resolver e eu sou uma pessoa pouco dada a desatar este nós cegos que volta e meia aparecem. Mas estava eu a dizer que não me estou a ver a vestir o papel de pessoa crescida que passa algumas 18h a trabalhar feliz e contente e chegar a casa já com toda a gente a dormir. Já aconteceu... muitas vezes. Vezes suficientes para num primeiro momento achar um piadão à coisa e sentir a adrenalina de quem está a produzir acima da média. Depois, ficar vaidosa e achar que se o tinha de fazer era porque já me tinham atribuído responsabilidades suficientemente importantes para que eu tivesse de dedicar tempo "meu" ao trabalho. Depois, lembro-me de achar que estava a ficar cansada. Depois disso fiquei triste porque afinal pelo caminho tinha tido uma criança (que não teve tempo de licença de maternidade e foi muitas vezes amamentada a correr) que não merecia que eu a abandonasse por outras pessoas que não dependiam de mim para sobreviverem (ao contrário dela). Depois comecei a ficar frustrada por achar que a vida me estava a passar ao lado... já não vou ao cinema há dois anos, a última vez que fui jantar com o meu homem foi em Agosto e coincidiu com a última saída à noite. Depois irritada porque entretanto os amigos (será que eles ainda andam por aí?...) foram ficando para 92755 plano tanto pela distância quanto pela falta de tempo. E quando sobra tempo não sobram os tostões que permitiriam compensar os sacrifícios que se foram fazendo. E sei que tenho muita sorte por ter um trabalho, por ter bons colegas... mas acho que finalmente cheguei à conclusão de que se é isto que implica ser-se crescido então não tenho perfil para o ser... Tenho a mais profunda convicção de que o trabalho é o que nos deve permitir viver, aproveitar a vida... E, acredito com ainda mais convicção, que a minha vida não é o meu trabalho...
Alguém tem direcções para a Terra do Nunca?

4 comentários:

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!