quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Queria ser "gorda" como a Jéssica!

...é que se fosse "gorda" como a Jéssica não andava feita parva a apagar fotografias do verão em que aparece a minha barriga cheia de coisas a mais! E muito possivelmente estava a correr (como corro) e a fazer os exercícios do demónio australiano (como faço) mais pelos motivos certos (que também me motivam) do que pelos motivos errados (querer parecer tão "gorda" como as Jéssicas deste mundo). A verdade é que não teria coragem de desfilar de biquini... Acho mesmo que é preciso "tê-los" no sítio para o fazer! E não seria capaz porque cheguei ao absurdo de achar que só se me aproveita o que está entre os ombros e o queixo e dos joelhos para baixo e, assim sendo, fica complicado ter onde pendurar o fato de banho! Acho... achei... que todos os meus entretantos deveriam ser escondidos a bem da paz emocional do resto da humanidade! Penso que se a minha filha me dissesse algo do género que ficava com o coração partido por muitos motivos: porque era sinal que achava que o valor que se tem está dependente da beleza, porque estaria muito mais vulnerável às críticas das outras pessoas, porque não teria confiança em si, nas suas capacidades... E isso é meio caminho andado para se ser apenas uma sombra daquilo que se pode ser... É meio caminho andado para se ser o tipo de pessoa que se senta escudada por um computador apontando nos outros os defeitos que se julga ter, para se ficar feliz com o mal-estar que se pode provocar... Se esta história toda não serviu para os/as pobres de espírito perceberem o estúpido que é perder tempo a olhar (à lupa) para a barriga de uma miúda gira e insistirem no erro de perder tempo a mandar bitaites cuja a única contribuição para o mundo é aumentar a poluição visual e a emissão CO2, serviu para eu percerber o tipo de mãe quero ser para a minha filha e o tipo de mulher que quero que eu e ela sejamos e que será sempre muito mais do que um par de pernas, mamas, barriga ou carinha laroca!... O que não quer dizer que vá andar à caça de uma passadeira para desfilar as minhas carnes... Não é preciso chegar a tanto!

2 comentários:

  1. Tens de escrever um livro... Eu farto- me de rir com a imaginação que tens... Que inveja ;)
    Qt a Jessica só me ocorre um " enfim" para esta novela toda...
    Ahhhhh e do alto das minhas 37 sem de gravidez, a minha filha hoje de manhã disse-me " Oh mãe o teu CÚ ta muito gordo "... Devo- me preocupar???
    Ahahah ...filhas com 6 anos ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh lá, que elogio bom logo a começar o comentário Celine!! Muito obrigada!

      Ainda bem que avisas que as filhas nos tratam com esse "carinho" aos seis anos... pelo sim pelo não vou já comprar um bilhete só de ida para ir visitar a tia por volta de 2019...

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!