quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Já não bastava ter voz de cana rachada!



Quem tem crianças de certeza que, num daqueles momentos raros de desentorpecimento, tomou consciência do conteúdo das letras do cancioneiro popular infantil. Eu cá não estou muito segura se é o tipo de mensagem que quero passar à minha descendência. Assim de repente ocorrem-me os seguinte exemplos:

Linda falua
Oh senhor barqueiro deixe-me passar, tenho filhos pequeninos não os posso sustentar...
Logo aqui a coisa começa bem! O cenário é simpático... Uma mãe que não consegue sustentar os filhos... é fofinho...
Passará, passará mas algum ficará, se não for o da frente há-de ser o de trás.
Continuamos num tom simpático. "Passe lá à vontade, só tem de escolher que filho quer deixar como pagamento!" Só me vem à cabeça corações, flores e arco-íris... NOT!

Carochinha
Quem quer, quem quer, casar com a carochinha, que é muito rica além de ser bonitinha.
A carochinha é o quê? Inteligente? Bem sucedida? Independente?... Não! É rica e bonitinha! Prevejo um futuro cheio de trastes que vão querer uma "shugar momma" e/ou uma "trophy wife"... Isto para não falar que a cabra... ou melhor, que a carochinha, acabou por se enroscar com o João Ratão (depois de dispensar o boi, o gato e o cão) que não é da mesma espécie que ela o que só por si me parece um bocado kinky.

Minha machadinha
O meu par sei eu bem quem é! É um rapazinho chamado José... Chamado José, chamado João, é o rapazinho o meu coração.
Nota-se que sabe bem quem é o par... É o coise... aquele... ai... aquele tipo... ou então é o outro! Mas é o rapazinho do meu coração! E tenho para mim que a Machadinha é amiga da Criada de Papelão que tem 7 namorados e não gosta de nenhum... Devem fazer sucesso na escola, lá isso devem...

João Pestana
Era preciso a letra toda... e mesmo assim não sei a que conclusão chegar! Possivelmente terei de comer um daqueles cogumelos engraçados para perceber alguma coisa.

As pombinhas da Catrina
Minha mãe mandou-me à fonte e eu parti a cantarinha. Oh minha mãe não me bata qu'ainda sou pequenina... tenho quatro ou cinco anos, ainda sou uma menininha...
Eu cá não sou psicóloga mas quer-me parecer que se a Catrina reage assim é porque tem apanhado porradinha da mãe sempre que, ao executar trabalhos dedicados a adultos, estraga alguma coisa... mas isto é o que me parece!

Resumindo: entre homens adultos que aceitam criancinhas como pagamento de portagem, seres que praticam a zoofilia, raparigas que não sabem ao certo como se chama o namorado, exploração do trabalho infantil seguido de violência doméstica há todo um mundo de mensagens ternurentas que podemos alegremente passar aos nossos filhos!

5 comentários:

  1. Oh mulher também as cantaste e ouviste e tás aí ;)
    A minha nunca achou piada a nenhuma dessas, agora é só Violetta mas antes era só panda e caricas ... Há que manteres a esperança ;)
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu canto e continuarei a cantar! Mas que a mensagem que passa é no mínimo estranha, é!

      Eliminar
  2. eu canto-lhe Carlos Paião (Cinderela) e ele adora!! :-)
    tb gosta muito daquela muito pedagógica: "naquela linda manhã, estav a abrincar no jardim, a certa altura a mamã, chamou-me e disse-me assim..."

    Nem mencionaste a mais polémica de todas as canções infantis: ATIREI O PAU AO GATO!!! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos Paião!! Ainda não me tinha lembrado!! O atirei o pau ao gato é mítica!

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!