domingo, 31 de agosto de 2014

Dia internacional de... mim?


Normalmente não sou dada a estas coisas. Não reforço o óbvio, o que toda a gente disse e escreveu sobre um determinado assunto mas, desta vez, o facto de hoje ser o dia internacional do blogue (?) fez-me pensar um bocadinho no assunto. No meu blogue, nos blogues que leio, no que foi (não) mudando em mim enquanto leitora e o que foi mudando em quem escreve. Tendo em consideração este intróito é fácil de perceber que este post vai ser uma seca... é o post ideal para passar à frente e não ler (quem é amiga, quem é?)!

Aqui a chafarica fez em Junho ou Julho 6 anos. Antes de começar o blogue, não com o intuito com que escrevo nele actualmente (que não sei bem qual é) mas antes para vender bugigangas que fazia, já seguia alguns blogues e foi desde essa altura que o vício ficou! Gosto verdadeiramente de ler blogues. Tenho vergonha de admitir quantos blogues sigo... são muitos! Mais do que devia até porque por muitos deles passo e só vejo os bonecos... Não me dou ao trabalho de os ler. Este é normalmente o primeiro passo para saber que estou a perder o interesse. Aliás, dos tais blogues que seguia há 6 anos, 98% deles já não sigo e eram blogues bons, muito bons. Em algum momento deixaram-me de interessar... E são vários os motivos de desinteresse: 

1. Há poucos dias comentávamos, eu e a minha irmã, que partilha comigo a leitura de alguns blogues sobre os quais gostamos de cuscar quando nos encontramos que, assim que as autoras começam a querer dar lições (diferente de conselhos e dicas) de como bem gerir a vida, as finanças, as relações, a educação das crianças, o que comprar, como comprar... que a coisa deixa de nos interessar! Pessoalmente, não tenho pachorra para gente que acha que Nosso Senhor desceu à Terra e lhes passou toda a iluminação divina sobre todas as coisas! Acho que é de gente pouco humilde e, do meu ponto de vista, de gente pouco madura... sou adepta daquela ideia de que quanto mais vivemos menos sabemos e é com essas pessoas, sem grandes certezas, que gosto de aprender. Gente cheia de opiniões inabaláveis lembram-me os adolescentes que são bichos que prefiro ver ao longe.

2. Blogues fofinhos da vida perfeita, das famílias perfeitas, cheios de mantras, de citações profundas dão-me nervos e tédio!! Gosto de gente a sério, que às vezes se passa da marmita e manda tudo para o c$#%# mais velho, que se chateia com o marido, com o filho, com o patrão e consigo mesmo! Que diz que a vida é injusta e que chora até os olhos saltarem das órbitas! E que depois acalma, põe as coisas em perspectiva e ri-se com a parvoíce! Porque nem sempre temos o que precisamos, nem sempre o amor vence, nem sempre as filhas da putice que nos fazem têm que ter um significado e uma lição transcendental! Fazem-me lembrar as casas Ikea: decorações lindíssimas, em branco, madeira e ráfia, muito rústicas e arrumadas mas convém que ninguém viva nelas para não lhes roubar o encanto.

3. Sou uma frustrada do estilo! Queria ter pinta, um closet digno da Vogue e a confiança para me vestir como as raparigas que aparecem na revista. Não tenho! Por isso gosto de ver/ler como é que miúdas como eu se arranjam e inspirar-me. Gosto de pensar que  consigo fazer aquilo que aparece num determinado blogue a que acho piada e que acho que se identifica comigo. Que tenho como o reproduzir adaptando à minha realidade. Disso gosto! O problema é que, quem normalmente faz isso muito bem, acaba por ser “descoberto” pelas marcas e lá vai tudo para o diabo! A partir do momento em que, as raparigas que eu via como sendo iguais a mim, começam a calçar sapatos que custam mais do que uma mensalidade da creche da minha filha (ou 20 idas ao médico, ou toda a roupa que irei comprar à pequena durante um ano) começo a deixar de lhes achar graça! Por muito que as malas, os óculos e as jóias sejam giras e eu não me importasse de as ter, não me sentiria bem com a minha consciência se gastasse essa quantidade de dinheiro por um acessório! Não estou com isto a fazer um juízo de valor! Acho óptimo que quem pode, quem trabalha para ter, tenha... Para mim é que não dá! Além do mais, num dia bom terei 45 minutos a uma hora para me arranjar (desde o banho até sair da porta) e não tenho uma equipa de maquilhadores e cabeleireiros residente na minha casa de banho (até porque não cabiam) para me porem com o aspecto que essas moças entretanto ganharam! E mesmo que tivesse, não tenho uma irmã gémea boazinha, que fique a fazer de escrava e a tratar das tarefas domésticas enquanto eu me emboneco. E mesmo que tivesse uma equipa de cabeleiros e maquilhagem e uma empregada tenho uma filha que normalmente gosta de passar as mãos cheias de baba/bolacha/ranho/iogurte pela minha cara e pela minha roupa... Assim, e para evitar enervar-me, deixo de as seguir!

4. Ainda na linha do ponto anterior, não gosto de ler quem recebe tudo de mão beijada. Dor de cotovelo? É sim senhora! O que é que me adianta saber que há um ginásio, um plano de treinos muito bom, um PT extraordinário se eu não tenho como o pagar (até pode ficar mais barato que o psiquiatra daqui a uns anos mas para já não há como)?! Se é uma realidade a anos-luz do que é o meu dia-a-dia? Ou, para que é que eu quero saber que há um creme que faz milagres (ou será que o dizem porque a marca lhes pediu?) se eu não o posso comprar e experimentar? Ou um relógio que era mesmo o que eu queria mas que, a menos que me-o ofereçam, nunca o poderei ter? Entre a dúvida do grau de genuinidade da opinião e a intangibilidade dos produtos anunciados deixo de estar interessada no que me possam ter para dizer.

Acho que o (meu) problema (?) é que não evoluo enquanto leitora ao ritmo que os blogues evoluem enquanto negócio... porque basicamente gosto de ler gente como quem me identifico. Que, tal como eu, não se leva muito a sério e que está a apanhar bonés nesta tentativa de manter as bolas todas no ar (filhos, trabalho, casa, marido). Adoro espreitar a casa de quem não tem muito dinheiro para a decorar e não tem uma empregada para a limpar mas que tem boas dicas de como fazer isto tudo com bom gosto! Gosto de ver a evolução de pessoas que, sem ter um PT ou inscrição num ginásio todo XPTO mas com força de vontade, muito estudo e pesquisa conseguem vencer a inércia e tornarem-se mais saudáveis. Não perco uma boa dica de um programa para ser feito com as crianças (de preferência, sem gastar de dinheiro). Fico agradecida aos anjos pelas moças que nos seus blogues mostram os truques de beleza que usam, resultam e são, efectivamente, fáceis de reproduzir pelo comum dos mortais. Gosto de saber que séries posso ver entre as temporadas do Game of Thrones. Gosto de ver gente que fotografa bem, não porque contrata fotógrafos mas porque de facto tem uma visão diferente sobre as coisas que nos rodeiam...

Há, claramente, espaço para todos, logo, espaço para mim enquanto leitora! Aliás, tenho na minha lista de leitura diária um rol de gente que me alegra o dia, que me ensina coisas novas e que me faz sentir mais acompanhada neste mundinho de Deus... e é isso que me interessa! A vocês, feliz dia internacional do blogue e obrigada!



7 comentários:

  1. Concordo completamente com tudo o que dizes (mesmos com os fashion blogs, vá, que desses fujo a 7 pés). Ando nisto dos blogs há quase 9 anos e tb noto uma evolução constante deste pequeno mundinho. Umas para melhor, outras nem tanto. Neste momento prefiro blogs mais realistas, de mulheres reais, com problemas reais e filhos fixes. Gosto de ver fotos dos petizes (mesmo que seja só ao longe) e ler sobre os disparates que vão fazendo. Gosto de gente cuja vida simplesmente não parece perfeita, porque, de facto, a vida não o é. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu bem queria conseguir fugir dos blogues de moda mas sou uma fraca... Se gostas de ver disparates dos mais novos então estás no lugar certo! Desconfio de dentro de pouco tempo (agora que a rapariga começou a andar) não terei outro assunto!

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Não fazia a mínima ideia que tinha sido internacional dia do blogue, acho que isto da blogosfera já foi mais popular, ou é impressão minha?
    De qualquer forma era só para dizer mesmo que gostei do texto e como costumo vir aqui mas nunca comento, pensei, e porque não hoje?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S. está muito mal passar aqui pelo cantinho e não dizer nada!! Alguém que tem fotografias tão bonitas no blogue só pode ter coisas interessantes a dizer!

      Não sei se o mundo dos blogues já foi mais popular... acho que, num determinado nicho/circuito é muito popular! A vantagem é que quem quer pode escolher fugir do main stream... Até porque, os muito populares repetem ideias, sugestões e o raio ad nauseam!

      Beijinhos e volta pra dizeres coisas!

      Eliminar
    2. Acredita que nada tenho a dizer ao mundo, ou pelo menos em forma de palavras, talvez por isso fotografe tanto!
      Sim, ser popular na blogosfera nem sempre (quase nunca) é bom sinal... ;)
      Voltarei sim, aliás já cá venho há muitos anos.
      :)

      Eliminar
  3. AMEI este post e partilho de muito do teu perfil de blogger e de leitora de blogs! bjs e continua genuína, que acho que é realmente a melhor qualidade, na blogosfera e na vida real!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que fazer um movimento patrocinado pela Dove: real bloggers!
      Obrigada pelo teu carinho! Conta com muita parvoíce genuína!

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!