quarta-feira, 2 de julho de 2014

O arco-íris da corrida



Uma pessoa resolve mexer o rabo gordo e flácido para ver se consegue, ao fim de 30 anos, virar uma rapariga gira (até aos três era um borracho). Compra uns calções, ressuscita umas t-shirts velhas (eu sei que isso não é nada in, eu sei fazer desporto com roupa velha é coisa de pobre mas que fazer... eu nasci assim, eu cresci assim lá lá lá Gaaabbrrriiieeeeeeeelllllaaaaa) e põe perninhas ao caminho com muito empenho e consciente de que se está a enganar a ela própria.
Ao fim (do que parecem ser) muitos dias desta vida de atleta wannabe resolve inspecionar-se ao espelho, coisa que muito sensatamente não fazia desde 1985. E o que é descobre?... Que ali ao níbel do pernil há toda uma linha, um palmo ou dois acima do joelho, que separa um tom branco-já-não-apanhas-sol-há-dois-anos de um tom castanho-esverdeado-de-quem-tem-má-circulação-e-bronzeia-de-forma-irregular. Avançando um pouco mais para Sul nova linha ali na zona do artelho. E o que temos abaixo do tal tom castanho? Um bege-arroxeado tipo nude, muito fashion, que cobre todo o pequeno chispe desta vossa escriba. Ora, não fosse a vontade de cortar a carótida pouca e resolvo olhar com mais cuidado para o dedo do pé que me dói de há uns dias a esta parte e constato que, muito provavelmente, por baixo do verniz vermelho há uma unha preta que vai cair assim que eu toque nela. Resolvi ignorar este facto... não estou preparada para andar sem unha no dedo do pé.
Pensando que o panorama acima da linha da cintura poderia ser mais optimista continuo esta minha demanda. Sou um bocado lerda e devia ter percebido que nada de bom poderá acontecer. Então, para além das bonitas ronchas (é como se diz na minha terra love handles) estou num tom acinzentado-semi-transparente que contrasta, de uma forma que dói nos olhos, com o castanho-sarro dos braços, ombros e uma figura geométrica estranha nas costas... uma espécie de logo da Chanel mas com os "C's" mais afastados. Já a cara está pontuada por manchas que herdei da gravidez e que se agravam com o sol. E onde estão essas manchas? Ora nem mais nem menos do que por cima do lábio superior dando a aparência de um buço farto e escurinho!
Perante este cenário pergunto-me se não estava mais "boa" antes de me ter dado a paranóia de querer ser uma pessoa saudável mai'rija de carnes?... Seja como for agora é tarde porque já ganhei o gosto à coisa!

2 comentários:

  1. Como sempre, quando aqui passo, solto uma gargalhada matinal com uma vontade que assusta!!! Não sei que sugestão dar, apenas continua a escrever maravilhas destas, mesmo que para isso as consquências não sejam as mais agradáveis!!!
    Beijos grandes daqui do norte, obrigada pela boa disposição que me provocas-te!!!!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!