segunda-feira, 12 de maio de 2014

11/31. O momento de que mais me orgulho

O meu primeiro instinto seria dizer que não há nada de que me orgulhe verdadeiramente mas como quero abandonar esta atitude de que não faço nada de jeito faço um esforço e chego à conclusão há três momentos de que me orgulho (por ordem cronológica):

- ter marcado dois golos num jogo de pólo aquático;
- ter salvado um miúdo de se afogar;
- ter terminado o doutoramento;

Explicar os motivos do orgulho cai na categoria da caguinchice a que sou pouco dada, por isso ficamos por aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!