quarta-feira, 30 de abril de 2014

Agora é que é, agora é que vou ser expulsa do clube das mamãs perfeitas!



Disclaimer: este post não é aconselhado para quem está prestes a ser mãe.

Está um monte de gente a parir à minha volta e, talvez por isso, esteja a reviver algumas das emoções dos primeiros dias de vida da nossa cachopa e a verdade é que não tenho saudades! Não tenho saudades do estado em que estava o meu corpo e das dores constantes - dos pontos, da subida de leite, das dores nos mamilos, daquelas coisas que começam por H e se alapam no sim-senhor e nos fazem sentar em cima de uma almofada redonda, dos lóquios... - que não me deixavam descansar. Não tenho saudades de não saber se no meio daquilo tudo me voltaria a encontrar, se algum dia iria voltar a ter tudo nos devidos lugares. Por isso, quando me perguntavam se tudo aquilo que eu estava a viver não era a coisa mais linda do mundo, eu acenava com a cabeça que sim - não fossem as pessoas chamar a segurança social para me tirar a miúda e internarem-me num hospício -, mas toda eu gritava "não"! E pedia ao Criador que, por favor, aquele não fosse o expoente máximo de felicidade porque as minhas expectativas eram bem mais altas. É claro que tudo isso era pequeno, muito pequeno, comparado com o quão feliz eu estava por ter a nossa Gordinhas nos braços, mas estava longe de ser um momento perfeito! É impossível ser um momento perfeito quando há tanta coisa que tem que sarar e tanta hormona a ter que voltar ao lugar! E mesmo esse gostar da pequena não era o mesmo de hoje! Era um amor gigante mas não tinha a dimensão do amor que sinto hoje! Hoje fico com zumbidos nos ouvidos de cada vez que a abraço e tenho para mim que é o excesso de amor a sair-me pelos ouvidos. Nos primeiros tempos ficava feliz ("feliz" é pouco mas não encontro outro adjectivo que se adeqúe) de a ver perfeita, saudável e linda mas ainda não estava a transbordar do peito! Por isso, não pergunto a quem acabou de ser mãe "se não é tudo maravilhoso" quando tenho a certeza que a vontade de chorar e de panicar está à distância de uma porta fechada. Acabo sempre por dizer que "vai ser cada vez melhor" porque não acho, que depois de tudo pelo que as mulheres passam durante 9 meses e um parto, ainda tenham que sentir a culpa por não estarem pedradas de felicidade e se vejam obrigadas a mentir para não serem vistas como ingratas e descompensadas! Ou então sou só eu que sou esquisita...

6 comentários:

  1. Não não és só tu que és esquisita. Eu teve de ficar na cama durante 7 meses e meio para que a Joana nascesse, e depois dois dias para me provocarem o parto que a rapariga no final dizia que estava ali muito bem instalada, se gostei? Claro que não? Se fiquei Feliz? Claro que sim!. Se vive coragem para falar como tu.... não. Mas é e qual como tu dizes. Pinta

    ResponderEliminar
  2. Sem ser exatamente com o mesmo tema, falei sobre isto da perfeição que esperam de nós mães, quando acabamos de dar à luz. Percebo-te tão bem...
    http://digamquevoei.blogspot.pt/2014/03/blog-post.html

    ResponderEliminar
  3. As mamãs perfeitas têm filhos nerds. Deixa lá isso.

    ResponderEliminar
  4. Me too... e és apenas sincera. Devíamos formar um Clube das Mães Realistas e Imperfeitas. A perfeição faz-me comichão.

    ResponderEliminar
  5. Fartei-me de rir com este post, hoje tenho um amor interminável pela minha filha, mas lembro-me que um dos meus pensamentos quando a ouvi berrar a primeira vez foi..."pra que que me fui meter nisto??"
    Enfim, somos todas iguais, umas mais sinceras que outras
    Bjs

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!