quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Eu tentei...

New York, New York. Getting a manicure while drying hair at Francois de Paris, a hairdresser on Eighth Street (LOC)


Na minha tentativa de me tornar uma pessoa com um ar apresentável fui a uma manicure. Expus o meu caso. Expliquei que tinha uma filha pequena, que cozinho e não tenho máquina de lavar loiça nem empregada doméstica, vai daí, o uso das mãos é diário e não se compadece com grandes cuidados. Acresce a este cenário o facto de ter unhas de papel. Tudo certo. Foi-me recomendado um verniz de gel (não percebo o suficiente do assunto para saber a diferença do verniz do gel, para as unhas de gel para o gelinho). Lá acedi porque a garantia de que podia estar até 3 semanas com as unhas impecáveis apesar de fazer a vida normalmente me agradou. Saí de lá com uma bela de uma unhaca, brilhante, sem marcas de almofada e sem os dedos pintados... mas... A unha grossa estava-me a baralhar o sistema. Ainda assim aguentei e, ao fim de duas semanas, voltei à moça para mudar o verniz. Lá pus a mão no potezinho da acetona durante uns 10 minutos. Apesar de estar convicta que ia ficar sem a pele dos dedos, nada me preparou para as lixadelas na unha!! Não era só aquela impressão semelhante a giz a passar na ardósia que faz arrepios nos dentes, não! Era também o aquecer da unha de cada vez que passava a lima, e a certeza de que ia ficar com a cabeça dos dedos a descoberto. Não fiquei. Pelos vistos é assim que funciona e até há vernizes que têm que ir à broca, segundo me contaram (não pedi detalhes mas a ideia é assustadora). Ao sair da porta, com nova unhaca impecavelmente pintada, tinha a certeza que aquele verniz iria sair nem que fosse à dentada e que a história das limadelas não se voltava a repetir. Durante as duas semanas em que achei que a as mãos estavam aceitáveis andei a ver tutoriais no youtube para saber como tirar o verniz. Lá fiz a média dos procedimentos e vai de aplicar a solução. Mãos de molho em acetona e supostamente a coisa dava-se. E foi-se dando... o que ficou por dar foi mesmo, literalmente, à dentada, tal como tinha previsto. Conclusão: tão cedo não devo gastar dinheiro em manicures. Primeiro porque as unhas ficaram num estado deplorável, depois porque não gosto das unhas grossas e por fim porque não gosto de estar amarrada a uma cor por mais de uma semana. Mas ainda tenho esperança de virar uma gaja à maneira!

4 comentários:

  1. A solução passa por seres tu a arranjar as tuas unhas ou ter uma amiga que o faça por ti. Sai mais barato e não danifica as unhas. Se precisares, posso ofercer os meus préstimos :-)
    Beijinhos,
    JB

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A verdade é que até acho piada a arranjar as minhas unhas... mas nunca fica grande espingarda! Se tiveres um segrego de como secar as unhas para não ficarem todas marcadas, por favor partilha!

      Eliminar
  2. hehe ... como te compreendo amiga!
    O ano passado decidi fazer unhas de gel para ir a um casamento, pensando que iria ter, por algum tempo, unhas decentes que resistissem a umas mergulhas (tanto no lava-loiça e como no mar.
    Ficaram todas giras (tinham um ar 'natural, não ficaram 'grossas') mas tive o mesmo problema 'pós-gel' ... as unhas nunca mais foram as mesmas.

    Resumindo: unhas de gel ... no more!!
    Beijocas grandes 'mamacita'

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto... não sou a única! Menos mal! Beijinhos

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!