sexta-feira, 29 de março de 2013

7 meses por pontos



- R'ais partam a filha de uma quenga da azia! Juro que já houve dias de ir às lágrimas! A médica já me deu um comprimido para SOS, o que quer dizer que nunca o vou tomar porque acho sempre que consigo aguentar mais um bocado, que não se trata verdadeiramente de um SOS e que a pequena não precisa de químicos estranhos a esta altura do campeonato;

- A barriga já pesa... ou melhor, já sinto os 5 quilos que aumentei desde o início da gravidez;

- A nossa cachopa é a minha melhor compincha! "Acompanha-me" em tudo... e estou a falar para além do óbvio. Nas aulas está acordada e vai dando uns toques quando me empolgo mais um bocadinho; quando vou caminhar, dá-me umas "festinhas" quando abrando o passo e eu deduzo que ela ache piada ao ritmo mais acelerado; adormece comigo e acorda dois minutos depois de mim! Parece que estamos sempre em sintonia! Espero que assim continue quando estiver cá fora;

- Temos aprendido MMMUUUUIIIIITTTTTTOOOO no curso de preparação para o parto! Não me imaginava a embarcar nesta viagem sem o apoio que o curso (qualquer curso) nos dá. Além do mais, é fantástico fazê-lo a dois. Sentir que estamos os dois sorfer todas as palavrinhas que são ditas e que contamos um com o outro para aquilo que nos possa falhar;

- O quartinho já tem forma, mas ainda faltam muitos detalhes;

- Ainda não domino a lógica e o vocabulário da roupa de bebé e, pela reacção das pessoas, estou a ver que isso me dá um bilhete directo para o clube das mães que possivelmente vão fazer um trabalho de caca. Não entendo o que distingue um pijama de um "fatinho". Tem dias em que acho que já sei o que é um babygrow e um body, mas depois descubro que estou enganada. E NÃO GOSTO de roupinhas bordadas, com picots, e coisinhas motivos angelicais, bonecos fofinhos, golas e o tudo mais que possa levar o bebé a ser confundido com um bolo de merengue e suspiros! Também não gosto de veludos e tecidos que não sejam algodão; E não percebo na totalidade a lógica das camadas de roupa e percebo menos ainda a utilidade dos sapatos para gente que não tem como caminhar com eles! Para ser sincera morro de inveja da capacidade dos bebé agarrarem nos pés e os meterem na boca e não quero roubar esses momentos à minha cachopa;

- É possível viajar pançuda, andar 10km por dia com uma criança no bucho. A parte chata é só o avião! No final da viagem em vez de pernas e pés tinha dois grandessíssimos repolhos. Nem nos dias em que dava 12h00 de aulas tal me acontecia;

- Continua a ser muito fixe... e confesso que ver a hora a aproximar-se me aperta o coração. É que enquanto ela está aqui dentro está tudo bem... mas e depois?! Toda a gente me diz que lá para o final do 8º mês já só a quero cá fora, mas para já essa ideia assusta.

3 comentários:

  1. Após meses de pesquisa e de muitos neurónios gastos a pensar na coisa, concluí que os bodies não têm pernas, os babygrows sim. Se alguém achar outra coisa dispenso que me digam.

    ResponderEliminar
  2. Que barriguinha linda!! Tens ido Às aulas de preparação da DM? Eu não tenho nem vou ter... mas gostava, confesso! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou a fazer um curso sim mas não é na nossa maternidade. A questão é que apesar de estar a vivier em Lx não me estava a ver a ter a criança cá por baixo, longe da família e sem qualquer apoio. Assim, temos ido todos os meses à consulta na DM e lá para o fim de Abril início de Maio devo ir para Coimbra esperar pela cachopa... Estar a fazer o curso em Coimbra implicava ir todas as semanas o que provavelmente iria fazer a pequenas nascer antes do tempo! Por isso optámos por fazer o curso aqui pela capital num centro muito simpático! Como não há bebés na família há mais de 20 anos, fazer o curso era uma necessidade! Um dia deixo aqui as coisas que aprendemos que me parecem importantes.

      Beijinhos e é bom ver-te por cá!

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!