domingo, 14 de outubro de 2012

Tratamento à base de ovo


Estava tudo controlado: eu de banho tomado e cabelo cheiroso, o almoço a ser feito, enquanto arrumava a loiça lavada e lavava a loiça suja. Pelas minhas contas dava para deixar o almoço no fogão e, enquanto isso, apanhava uma corda de roupa e punha outra na máquina a fazer. Tudo controlado. Resolvo que quero cozer ovos. Li algures que se pode cozer ovos no microondas. Aliás, a Mãe Fatinha já o fez com as orientações que lhe dei à distância enquanto lia as indicações de um bolgue qualquer. Taça com água, ovo lá dentro, temperatura do aparelho no máximo, cronómetro a marcar sete minutos. Plim! O aspecto é de ovo cozido, com aquelas rachinhas na casca e tudo. Passo as mãos e o ovo por água fria levanto um pedaço da casca e PUM! O ovo explode na minha cara! Literalmente! Ao mesmo tempo, os tachos que estavam ao lume começam a verter e inundar o fogão. Lá consigo desligar os bicos enquanto vejo que a loiça lavada estava coberta de flocos amarelos, bem como a roupa que tinha apanhado e que estava no cesto. Panorama idêntico vivia-se no meu peito, cara e cabelo. Perdi o apetite mas fiquei feliz por ser um ovo de galinha e não de avestruz.

2 comentários:

  1. Este episódio fez-me lembrar uma vez em Coimbra eu e uma amiga tivemos a brilhante ideia de cozer ovos no microondas...não esperámos sequer pelo Plim do microondas porque os ovos voaram literalmente numa explosão. Éramos ovos da cabeça aos pés!!! :)
    Nunca mais cozi nada no microondas. Tudo o que lá faço é aquecer leite, que aquilo é uma máquina medonha!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Great minds think alike... para o bem e para o mal! O meu também se vai limitar a aquecer!

      Eliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!