segunda-feira, 28 de maio de 2012

"Do fundo do baú" ou "Este post não interessa a quem não conhece Coimbra"


Vou com cada vez menos frequência a Coimbra e por isso as diferenças vão me parecendo mais óbvias. Numa destas viagens tentei lembrar-me de como era a cidade quando era garota. Algumas coisas serão únicas daquele cantinho, mas outras devem ser universais! Indo lá aos lugares mais recônditos da memória vem-me isto à idea:

- A zona do Pólo II era "Marrocos";
- Havia miúdos a tomar banho nas margens do Mondego;
- O(s) States não eram um país e o Scotch não era uma bebida. Eram antes duas discotecas em espectros opostos de estilo;
- O Teixeira já não tinha a companhia do Tatonas;
- O Sócrates não era filósofo e muito menos ministro. Era um cão que andava pela Universidade e que periodicamente era tratado pelos estudantes de medicina;
- A queima das fitas acontecia do lado do parque da cidade e a entrada podia ser feita de jangada. Os concertos aconteciam onde hoje é o parque verde/estacionamentos;
- No Associação dos Trabalhadores de Celas havia mais do que reuniões de proletariado. Música muito improvável passou por aquelas "garagens".
- O mesmo se passava com a cave das Químicas;
- "Vision", não era um casaco pipi das betinhas. Era antes a forma delas se deslocarem pela cidade;
- Os rapazes (que podiam) andavam de DT;
- É possível que ainda houvesse sinaleiro no largo da portagem e que o comboio da Lousã ainda por lá passasse;
- No Verão os momentos refrescantes eram passados no actual Dolce Vita entre "a dos pequenitos", "a média" e a "olímpica". Estou a falar das piscinas municipais;
- Na praça da República ainda existia o Mandarim;
- A juventude masculina andava com uns sacos pequeninos debaixo do braço e de equipamento do União vestido;
- O conservatório de música tinha sede numa antiga maternidade na Sé Velha;
- O cortejo da queima acontecia à terça e todas as escolas secundárias aguardavam em ânsias pela chegada dos gaiteiros;
- Havia quem andasse na ih/cambridge, na aliance e no goethe institut;
- As meninas do ballet da ACM esperavam a hora da aula a assistir aos treinos de Judo;
- A Casa de Trás-os-Montes servia copos até tarde;
- A feira do livro acontecia na Praça da República e a CIC ali para os lados da Praça dos Heróis do Ultramar;
- O Vinil e a Broadway tinham matinés bem como o Bonzão e o Lagar;
- Dava para assistir aos jogos da Académica de borla no peão;
- O choupal no domingo estava à pinha;
- No Avenida havia 2 cinemas e 1 cineteatro que passava filmes alternativos;
- As festas da Rainha Santa eram um dos poucos momentos em que havia bom fogo de artifício;
- O "Zé Falcão" era a escola dos estilosos, a Brotero dos alternativos e o Dona Maria dos meninos-bem;
- Comia-se mal e barato no restaurante dos Jardins da Manga e na Democrática;
- Havia um violador na Universidade;
- Adolescentes passavam tardes inteiras na Tupik a comer gelados como se não houvesse amanhã;
- A roupa gira comprava-se no Infinito e numa loja pequenina num centro comercial da Visconde da Luz;
- Era no OAF que se passavam os melhores serões;
- Compravam-se sapatilhas na Chuteira;
- Bebia-se Brisa na casa da Madeira;
- Ia-se ao Combinado jogar bilhar e videojogos;
- Via-se o presépio nos Bombeiros Voluntários e a mão da Rainha Santa;
- Ia-se à Feira Popular lá para as bandas da Guarda Inglesa (?)
- Havia carrinhos de choque perto da Brotero e da Eugénio de Castro, quando o Espírito Santo ficava na Praça dos Heróis do Ultramar;
- Os rapazes do D. Maria faziam excursões para ver as meninas do Dona Maria;
- Faziam-se visitas às grutas e à Casa Amarela;
- Nevou em 82;
- Roubavam-se flores onde hoje se faz compras (no Coimbra Shopping);
- As iluminações de Natal eram fantásticas e eram um momento muito aguardado;
- O trânsito circulava na Ferreira Borges e na Visconde da Luz;
- O Diário de Coimbra (aka Calinas) dava luz uma das suas mais ilustres parangonas: "Ontem faltou a luz, na Rua Visconde da mesma";
- Os exames de condução acabavam no estádio e nos exames de acelera só era preciso acertar em três sinais de trânsito e fazer um 8 sem pôr o pé no chão, cair ou bater no muro!

Falta-me alguma coisa?

22 comentários:

  1. Ai... Há anos que ninguém me falava da Tupik, pá :)

    ADOREI!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu, durante uma época, era cliente habitual!

      Eliminar
  2. Viagem ao passado muito bem conseguida... Atrevo-me a complementá-la com um ou outro ponto. Nessa Coimbra que descreves, bebia-se Brisa na Casa da Madeira (onde chovia como na rua, nalguns sítios), jogava-se bilhar ou jogos de vídeo no Combinado (na Fernão de Magalhães), ia-se ver o presépio no Natal aos Voluntários, a mão da Rainha Santa, nos anos de Festas da Cidade, ao Convento, rumava-se à CIC (ao pé do antigo estádio) para ver as maravilhas comerciais e industriais (e sacar o máximo de brindes possível) todos os anos, não se faltava à Feira Popular, comprava-se sapatilhas na Chuteira (idealmente, em saldo...)...

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sô Filipe, vou já acrescentar o que está em falta! (Mas olha que a CIC já lá estava!)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Sabes lá! Mas só agora é que dou conta...

      Eliminar
  4. e o Espírito Santo era na Praça heróis do ultramar, carrinhos de choque à mão de semear quando se saía do Eugénio ou da Brotero

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está... andei num outro liceu não tive essa experiência! Mas vou acrescentar!

      Eliminar
  5. Falta a referência às matinés no Bonzão (Monte Formoso) e no Lagar (Ceira); faltam também as excursões da fauna masculina da Brotero ao D. Maria para ver as meninas ou então à Rubyana para o mesmo fim. Faltam as visitas às grutas (que mais não eram do que esgotos de aguas pluviais) e à Casa Amarela junto do Eugénio de Castro; E quando nevou em 1982? E os morangos que se roubavam onde hoje é o Coimbra Shopping e a R. Paulo Quintela? E as iluminações de Natal que cobriam practicamente a baixa toda? E quando ainda passava trânsito na Ferreira Borges e Visconde da Luz e os autocarros paravam em frente ao Novais, em frente ao Nicola e em frente ao Sta Cruz? Enfim muitas histórias desta cidade que muito me deu...Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é que é informação! Ainda me lembrei de incluir o trânsito da Visconde da Luz... mas achei que estava a alucinar e que isso não tinha acontecido!

      Obrigada!

      Eliminar
  6. O cão Sócrates!! :)

    Não sabia que ao Pólo II chamavam "Marrocos" mas lembro-me que diziam que a zona de Celas era a zona "bem" e eu nunca percebi porquê.

    Ainda sou do tempo em que os exames de condução terminavam no estádio de Coimbra :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuela, lembraste-te de uma boa: os exames de condução de carro e acelera!! Vou juntar!

      Eliminar
  7. Muito bom! Eu "só" estou em Coimbra há 15 anos, mas também me lembro de quase tudo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então e mais memórias para juntar ao rol, não se arranjam?

      Eliminar
  8. Comia agora uma tosta do after hours :)

    ResponderEliminar
  9. É pá, de momento, não me vem nada à cabeça. Mas vou pensar no assunto com carinho, sim? :)

    ResponderEliminar
  10. Que maravilha! Um verdadeiro assalto às memórias e às vivências de outros tempos.

    Hoje praticamente tudo mudou e, dessas coisas tão de Coimbra, só ficam mesmo as memórias de quem as viveu e experimentou... como nós! Ainda catraios de boa colheita e que experimentaram coisas tão boas como as piscinas municipais e os gelados da Tupik!

    Bom post! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda pensei em juntar à lista o Mutamba... mas depois lembrei-me que era uma referência só para alguns sortudos!

      Beijinhos!

      Eliminar
  11. eu comi a minha dose de "Slendid Towers" na Tupik!!

    ResponderEliminar
  12. Eh pá....que viagem às minhas memórias! :)

    Ai o gelado de manga da Tupik....:) :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!