quinta-feira, 26 de abril de 2012

Porque a alma já não tem salvação!



A treta do mau tempo e a minha preguiça crónica puseram um travão às minhas caminhadas/corrida... Uma vez por semana lá me faço ao caminho, mas mais que isso é boato! A verdade é que noto todos os sintomas que a Júlia Pinheiro anuncia enquanto enfarda meia dúzia de iogurtes e aborrece-me, para não dizer que me deprime, olhar para baixo e ver uma pança arrebitada e cheia de personalidade. Quando a coisa bate com mais força, lá perco uma hora a fazer abdominais, agachamentos e magia negra... mas o "durante" e o "depois" dói e sou moça para não gostar de dor. Vai daí resolvi pegar por onde não custa tanto! A comidinha. Não sou moça de grandes alarvidades nem pontapés na alimentação (esqueçam lá a história dos cereais com azeitonas, sim?) por isso é só tomar mesmo mais atenção e reforçar o que já fazia bem e que já vem de família. A minha avó Ilda teve um problema grave que a levou a ter de tirar parte dele. Isto há 60 anos era uma carta directa para o cemitério da Pederneira. Mas a "m'na Ilda" era rija e lá arranjou maneira de dar a volta à coisa. Ainda que na altura não tivesse nome, a verdade é que a alimentação dela (que se estendeu para nós) teve sempre muita influência da dieta macrobiótica graças às dicas do "naturista" lá da terra. 

Chega de blábláblá e vamos às novidades. Estive a ler (e já tinha visto no blogue da Tweed) e parece que a vitamina C é tipo um canivete suíço das vitaminas, isto é, faz bem a tudo: pele (que é o meu ponto fraco), ao cabelo, à saúde das articulações (?). Uma forma de garantir que tenho a minha dose diária passa por beber um copo de água com limão mal me levanto da cama (assim consigo escoar os quilos de limão e laranjas que trago sempre do pomar de papai). Para mim é a melhor estratégia, porque  por um lado, não consigo comer logo que acordo e por outro tenho a sensação de que a primeira coisa que como vai condicionar a forma como me vou sentir o resto do dia. Assim, ao fim de uns 30 minutos, já estou pronta para um pequeno almoço à séria!

A outra peça do puzzle é a semente da linhaça (moída... caso contrário a coisa sai da mesma maneira que entrou), que já usava no pão (normalmente sou eu que faço o pão e ponho tudo quanto é sementes na farinha) e nas saladas mas agora vai ter papel de destaque nos iogurtes, na frutinha e em tudo mais que me lembre, já que o rol de benefícios é para lá de longo*. 

A acreditar nisto tudo, vou virar uma super-mulher!

1 comentário:

  1. olaré! a linhaça é optima para diversas coisas, entre elas o colestrol! eu descobri as suas propriedades exactamente porque tenho o dito colesterol alto... descobri também as sementes de chia! estas são poderosíssimas e têm imensos ómegas! pode-se deitar umas colher num iogurte ou deixar em água e beber! são optimas, experimenta e vê os benefícios aqui http://www.celeiro-dieta.pt/index.php?id=95&t=229

    beijinhos da costa alentejana, Xana

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!