segunda-feira, 19 de março de 2012

19 de Março

Diz que "sou toda Mãe" mas há qualquer coisinha que ficou do Pai...

Somos uns bichos um bocado atrasados. Ou pelo menos eu sou! Tive 20 e tantos anos com os Pais e a Mana por perto e nunca soube aproveitar. Só agora que o trabalho (e a gasolina) nos obrigam à distância é que eu sinto na pele e no coração o peso da saudade. Só agora é que eu começo perceber o tamanho da sorte que tenho. Sinto agora, como em garota, aquele orgulho no Pai super-herói (e Mãe também... mas lá para Maio falamos sobre isso), depois de um interregno de estupidez minha (diz que faz parte do crescimento). Por isso tenho pena de não estar em Coimbra para fazer lhe fazer Cheesecake... idealmente com a ajuda da minha Irmã. Mas no próximo fim de semana regularizamos a situação. Para já fica o (excepcional e rápido) beijinho telefónico e mais logo acertamos as contas do coração: quem fez a caminhada mais longa... acho que é a nossa maneira de dizer que gostamos e nos preocupamos um com outro... assim disfarçadinho e sem grandes lamechices! Isso, para além do ver(de) dos olhos, também herdei dele!

4 comentários:

  1. Aiii, esse cheesecake :))
    Também sou das que só agora dá o real valor aos meus pais e lhes reconhece o tanto que fizeram por mim. Durante anos tinha uma ideia completamente desfasada daquilo que seriam os pais ideais... mas vá, antes tarde que nunca :)

    ResponderEliminar
  2. É isso mesmo Dulce: antes tarde que nunca! Acho que vamos sempre a tempo!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Esqueci-me de dizer o óbvio: que lindos olhos! ;)

    ResponderEliminar
  4. Dulce: eh pá... obrigada [corar, corar, corar]! são do meu Pai!... quer dizer, não literalmente... o meu progenitor conserva o seus nas suas órbitas!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!