domingo, 12 de fevereiro de 2012

Coração fora do peito


É assim que estou. O coração está na boca, nas mãos, no pescoço... mas não me está no peito. O Bogas está internado. Literalmente, do dia para a noite, adoeceu e o panorama, que incluiu vómitos e hemorragias, abriu um buraco no meu lado esquerdo. Tenho a certeza, do fundo do coração, que seguro agora com as duas mãos, que isto tudo é um episódio que serve para termos mais uma história para contar. Que amanhã ele vai agarrar a trela à saída do veterinário, como faz sempre que vamos à rua passear. Tenho a certeza que lhe vou ralhar por me estar a puxar cheio de força. A mesma força que não o deixou estremecer a cada palpação, a cada injecção e a cada colheita de sangue. A cabeça dele encostada no meu peito fez as vezes do músculo que me devia palpitar naquele lugar, e eu fui a força que lhe falhava nas patas. Foi essa união que me fez dizer parvoíces e fingir que lhe ralhava por estar assim, quando o coração no chão me desafiava a soltar a barragem de lágrimas de ter o meu amigo, o meu companheiro, o meu amor incondicional a procurar em mim com os seus olhinhos de mel, uma salvação, um escape que o levasse para longe daquele mal estar e que teve de ouvir de mim mais um "tu ficas", como lhe digo sempre que tenho de sair. Essa força está agora longe de mim e rodeada de gente competente... mas o coração não me volta para o peito.

14 comentários:

  1. =( vais ver que não vai ser nada!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. A sensação de impotência é horrível, mas vais ver que deve ter sido algo que comeu (têm a mania de apanhar tudo do chão e engolir à socapa, estes marotos) e lhe fez mal.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada a todos!

    O rapaz está longe de estar safo, mas há alguns sinais de melhoras!!

    Continuem a fazer forcinha da boa, sim?!

    ResponderEliminar
  4. Tendo também um companheiro desses cá em casa, estou contigo a 100%, amiga Guilhim! Muita força!

    ResponderEliminar
  5. Uma bela lambidela só até teres as verdadeiras de volta!

    ResponderEliminar
  6. Como vai a nossa vaquita loira, pipoca?!

    Beijinhos aos todos*

    ResponderEliminar
  7. Espero que o teu coração esteja aí forte para o receber novamente cheio de vida, quando ele vier para casa.
    Custa muito termos os nossos animais doentes.
    As melhoras rápidas

    ResponderEliminar
  8. Nem consegui ler o post até ao fim porque já passei por uma dor assim anunciada mas que depois de meses de sofrimento, acabou bem. apesar de dar uma vista de olhos na diagonal pelo outro post percebi que por aí as coisas não foram tão boas e só te posso dizer que estou MUITO solidária na tua dor e envio-te um abraço cheio de compreensão.
    Sílvia

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!