quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Eu, pirosa, me confesso

Sempre que entro numa daquelas épocas em que se tivesse tim-tins estariam do tamanho de uma ervilhinha ressequida, encontro na bela da MPB, dos forrós e sambas, aquela energia e alegria necessária para, pelo menos, simular o gesto de arregaçar as mangas e contrariar a gravidade para levantar a cabeça. Vai daí, por estes dias a banda sonora aqui da piquena passa por pérolas como esta:

 Reconhece a queda e não desanima, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima

esta
 Pois ganhei muita força tornando maior a amizade... Nem mesmo a força do tempo irá destruir Somos verdade... Nem mesmo este samba de amor pode nos resumir...

ou até mesmo esta
Estou certo que o riso não tem nenhum valor. A lágrima sentida é o retrato de uma dor...

Podem dizer mal 'quer'cá saber. Estou alegrinha (ainda com os meus virtuais testículos mirradinhos) e com genica e isso é a única coisa que conta neste momento!

2 comentários:

  1. Já há O DIA marcado?!

    Conta-me tudo ;)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Há sim senhora... digamos que para a semana (exactamente para a semana), a esta hora que te escrevo, conto já estar de volta de um belo vinho tinto, para esquecer a porrada que apanhei tu sabes onde!

    Estou a panicar em velocidade inversamente proporcional à aquela a que preparo a apresentação. Os "bonecos" já estão quase todos no lugar, mas ainda me falta afinar o relambório e ler cada uma das palavras até à exaustão... Até que a coisa saía mecanicamente... Quando à parte da porrada, acho que sei onde vou ter de me defender... na medida do possível.

    Para a semana vou estar por Coimbra, a alucinar, mas em Coimbra. Combinamos um cházinho ou uma paulada na cabeça?

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!