terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Do sistema

O "sistema" é um bicho grande e cheio de braços de nomes e formas diferentes... cada um mais podre que o outro. Como é esperto, e só mesmo isso, escolhe a cobardia como estratégia. Sabe com quem é que se deve meter, para garantir que com pouca luta e jogo sujo, consegue alcançar os seus propósitos: parasitar e sugar o sangue de quem anda feliz na sua vidinha... e a fazer por ela.

Photo @ Flickr by [rich]

Na pele, já vivi a desilusão de perceber que de facto só ajudamos a engordar este monstro. Houve um tempo em que acreditava que o "sistema" era um animal fofinho que nos protegia se nos portassemos bem. Estava enganada. Aos dois anos de trabalho que não foram pagos devidamente, somei despesas de tribunal e de solicitadoria*, para no final me dizerem que tinha razão, mas que os vários milhares de euros que me eram devidos não existiam e logo não me seriam pagos. Engoli o sapo (a custo... a muito custo) e combinei com o destino que ele me devia esta!

Agora, coisa menor mas que chateia por ser tão descaradamente imoral. Eis que do nada, chega uma conta para pagar. Nada de anormal. Não fosse dar-se o caso da carta não vir acompanhada de qualquer tipo de documento que explicasse o que era devido. Mais incompreensível é o facto da dívida dizer respeito a um serviço devidamente cancelado há mais de 10 anos, contratualizado por alguém que já faleceu há pelo menos esse tempo e que nunca faltou com qualquer pagamento. Descontos de "dívida" (que não chega a ser mais do que 50 cafés) seguidos de ameaças de tribunal, e eis que temos a aplicação da fórmula cobarde, que nos faz vergar mais uma vez. Usamos as armas que temos* e protelamos até podermos, para afinal, não sermos roubados por uma daquelas companhias que dão prémios chorudos aos funcionários para fugirem ao "sistema" e não terem que pagar impostos... assim, como assim, os trabalhadores que pagem! Só com muita disponibilidade financeira, um caso como este poderia seguir e para variar, fazer vergar o sistema. Mas há coisas mais importantes...

Photo @ Flickr by plassen

É por isso que admiro a Jonas! Abdica do tempo, do dinheiro e da paz de espírito para garantir que é feita justiça! Tal como a Bad diz, isto da solidariedade também se pode tornar um bicho poderoso... de recursos mais subtis mas eficazes, já que apela não ao medo mas há capacidade de cada um tomar decisões e ponderar as escolhas que são feitas.




Eu estou esclarecida e sei de mais uma loja que não me terá como cliente!

* nada como termos amigos advogados com o coração do tamanho mundo e prontos a arregaçar as mangas e lutar ao nosso lado, só porque pedimos.

4 comentários:

  1. O sistema... o sistema... essa grande besta de costas muito largas que é o sistema...

    Beijinhos, querida*

    ResponderEliminar
  2. Pior do que não haver regras é elas serem deturpadas por quem nos rege para nos prejudicar. E pior ainda é acreditar em algo e ter a desilusão de ver que esse algo não funciona. Em qualquer caso, bom 2011!

    ResponderEliminar
  3. R: obrigada por tudo!!

    Goldfish: lá está... é o bom e velho chico-espertismo a funcionar para lixar o próximo!
    E já agora, um 2011 muito feliz também para ti!

    ResponderEliminar
  4. Não fiz nada, minha pipoca. Sou mais uma que já evita travar algumas lutas com o sistema... Reservo-me para meia dúzia... sabendo de antemão que, mesmo essas, dificilmente vencerei!
    Beijinhos*

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!