terça-feira, 30 de novembro de 2010

Note to self

Oferta aconchegante da princesa mais bonita da Rua do Miradouro 


As amigas, que arriscam pedir-me opiniões quando alguma coisa na vida delas está mais complicada, já sabem que invariavelmente em algum ponto da conversa irei dizer: 
(Eu) - "Tem calma e põe as coisas em perspectiva. Vais ver que não é assim tão grave!" 
(Amig@ desesperado)- "Ah e tal, mas amputei um braço, fiquei cega de um olho, o meu cão fugiu com o vizinho e descobri que afinal o meu namorado é gay..."
(Eu) - "Sim, mas vê bem... podia ser mais grave.. e se deres muita importância a estas coisas aí é que é pior..."

É que aos (quase) 30, já todos levamos daquelas rasteiras da vida (intencionais ou não) que nos fazem ficar sem chão e sentir um soco seco na barriga


E não é só paleio. Acho mesmo, do conforto de quem vê de fora, que às vezes as coisas não são de facto tão importantes nem tão graves como quem está do lado de dentro sente. Basicamente, acho que as pessoas/problemas só têm a importância que lhes dermos. Hoje, só depois de ter dado espaço para um insectozinho passageiro, crescer em tamanho e problema, percebi que afinal o conselho, não é assim tão mau conselho.

Já tomei nota e já está tudo na proporção certa. Vamos lá ver se não volta a acontecer.

Para os amiguinhos do coração: está tudo bem! Bad day at work! That's all!!

2 comentários:

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!