quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O meu primeiro mês em Barcelona, por partes: 2/4

Quando o "senhorio" finalmente chegou, ficámos as 3 (neste ponto a D. já tinha chegado) com a boca aberta. O "Martin" não era nada feio - vamos pôr assim as coisas - teria poucos anos a mais que nós e era senhorio by day e camarero by night... or so we thought! Apesar do preço da casa, do tamanho reduzido dos quartos, de estarmos por cima de um pub irlandês, e de ao todo sermos 4 portuguesas (a S. chegou uns dias depois) duas "hospedeiras*" argentinas (que nós julgávamos ser de bordo... sim, eramos bastante tótós) e o Martin, ficámos com a casa.
Não se passou um dia, para que fizesse parte da rotina, acordar com hóspedes na sala. Magrebinos, Marroquinos, mas sobre tudo Bolivianos, Argentinos, Peruanos... Mais uma vez voltei a pensar:

"-meus netinhos... vocês têm uma avó mesmo bacana, que um dia viveu numa casa multi-cultural..."

Era frequente, de madrugada, ouvirmos falar de "papeles"... mas nunca nos despertou grande curiosidade... Um belo dia, o Martin pediu-nos para recebermos uma encomenda dos correios. Estava à espera da carta de condução do primo. O primo, que continuava na Argentina, era, segundo nos contou muito parecido com ele, e assim ele podia usá-la cá em Espanha. Primeiro sininho de alarme e voltei a pensar nos meus netinhos, mas desta vez, a ideia era não contar este detalhe.Também frequente, eram ver o Martin, por volta das 4h00 da manhã a limpar a casa de fio a pavio cheio de energia... Chegámos a comentar que era um tipo muito "speedado"... mais uma vez, mal nós sabíamos.

Photo @ Flickr by ONETERRY
tudo isto acontecia a poucos metros do mercado de St. Joseph de la Boqueria

* para quem está com dúvidas, as hospedeiras, são animadoras de eventos e acompanham os visitantes desses eventos... mas há "hospedeiras" e "hospedeiras"...

to be continued...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!