sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Com delay, que a miúda anda cansada e rabugenta.

Medidas de austeridade... pois sim! Para as minhas bandas, pouco ou nada vai mudar:

- (riso incontrolável... respirar fundo, limpar uma lagrimita que se soltou do esforço) Não ganho mais de €1500 brutos, assim como assim, nem mansinhos... não ganho! Por isso vou continuar a ganhar pouco e a ter de sobreviver com isso e se eu consigo, toda a gente consegue!
- Apoios sociais reduzidos... e quê?! Não tenho direito a nenhum tipo de apoio do estado! Quando não sou bolseira trabalho a recibos verdes, por isso não há cá ajudinhas na saúde nem nada que se pareça! A única altura em que tive direito a subsídio de férias e 13º mês, a entidade faliu e fiquei a arder em €5000, mais o dinheiro do processo no tribunal e um "tem toda a razão do juíz" que é bom de se ouvir, mas não se pode converter em roupa, viagens, comida da boa...!
- Também não tenho direito a fundo de desemprego ou a subsídios, porque basicamente não existo enquanto trabalhadora!
- Reduzir o pessoal contratado da Função Pública... não há grande preocupação! Quem tem boas cunhas pode continuar a dormir descansado! Nada muda! Quem não tem, sabe como as coisas funcionam e já devia ter-se mexido e transformado uma má cunha, numa boa cunha!

Sobre estes aspectos não estou preocupada... mas vejamos outros.
- Chateia-me que o ministro não seja o primeiro a dizer que QUER ver o seu ordenado diminuído! Se tivesse tomates, cagava nos 3% - 10% e dispensava uns belos 20%! Já agora, o resto da ministrada também!
- Não percebi onde fica a história das auto-estradas novas, TGVs e assim! Se calhar tinha sido bem dizer qualquer coisa...
- Já agora, para além de cortar na frota de carros, também podiam cortar nos apoios que dão a tudo quanto foi bicho careta que passou pelo governo!! Compreende-se que os antigos PR tenham direito a carro?!

Agora as coisas chatas:

- Abono de família reduzido nos escalões mais altos... uuuuhhhmmm... não sei a quanto anda o abono nestes dias, mas se é como no meu tempo, 2 contos são ajuda pequena! Ainda assim, são uma ajuda, sem dúvida!
- IVA a 23%... ok aqui incomoda, mas já lá vamos!


Às vezes sinto que viramos um país de florzinhas de estufa! A sério!! Não acho, nem nunca achei, que se deva abdicar de direitos sociais justos adquiridos, mas caramba, vamos tocar violinos enquanto o barco se afunda?! Não me parece razoável!!! Não adianta estar a chorar sobre a merda que já está feita! Se é para tomar medidas que possam alterar (ou não) o estado das coisas, então há uma óptima oportunidade para o fazer: durante as eleições! Gostava de ver metade das pessoas, que nos últimos dias se levantaram de madrugada para se pespegarem na porta da segurança social, com medo de perderem os benefícios de que usufruem, levantar-se com a mesma vontade (e nem precisa ser tão cedo), num dia de eleições, para ir votar e aí sim, zelarem verdadeiramente pelo seu bem estar!
E quer dizer! Até parece que isto é novidade!! Qualquer pessoa da minha geração, ouviu os avós dizerem que houve um período em que alguns bens essenciais eram racionados, ouviu os pais dizerem que chegaram a receber o subsídio de Natal em certificados de aforro e isto em duas gerações que ao mesmo tempo tinham de alimentar uma guerra! E sobreviveu-se, e bebés continuaram a ser feitos... ou caso contrário não estaríamos aqui!

É uma valente merda o que está a acontecer? É sim senhora! E quais são, agora as alternativas*?...

* Demitir o governo não é uma solução inteligente! Eles que se aguentem à bronca, caso contrário, explode tudo nas nossas mãos e aí é que as coisas não ficam bonitas!

6 comentários:

  1. Andava a precisar de ver uma coisa assim escrita por alguém! Se andasse com cabecinha, talvez tivesse tido capacidade para ser eu a fazê-lo! Mas não ando... Portanto, MUITO BEM :)

    Beijinhos (que ainda não pagam impostos)

    ResponderEliminar
  2. Ena!! E eu a achar que ia ser apedrejada até à morte!!

    Beijinhos linda e mais uma vez obrigada!!

    ResponderEliminar
  3. É que há muito boa gente neste país que considera que bens essenciais são iPhones, carros novos de 2 em 2 anos ou uma colecção vernizes de 20 euros e vivem vidas enterradas em créditos.

    Espanta-me, enquanto colega trabalhadora a recibos verdes que sou, que toda a gente se indigne que vão cortar salários à função pública. A função pública tem horários de luxo a salários de luxo e regalias/subsídios de luxo.
    Eu, como a maioria dos meus colegas trabalhadores independentes, contribuo com mais horas de trabalho, mais descontos para a Segurança Social (apropriadamente, abrevia-se como SS... :D) e não tenho direito a subsídios de férias, desemprego, baixas e afins. Aliás, como sou considerada trabalhadora precária, não há cá instituições de crédito que me permitam comprar casas e carros. Tudo o que tenho, as férias e viagens que faço, saem-me do bolso e nascem desse conceito tão estranho aos portugueses de hoje que é a poupança.

    Se acho bem que cortem nas regalias sociais? Não. Se acho bem que se queixem mas, como dizes, não ajam (nem que seja pelo meio tão básico, mas tão significativo do sufrágio)? Não.

    ResponderEliminar
  4. Rachelet: muito bem dito! É isso mesmo! Parece que o horror dos horrores é ter de trabalhar!! Vejam bem se tivessem de acumular trabalhos como alguns de nós!!

    ResponderEliminar
  5. Kika,
    mas isto de acumular trabalhos não é para todos. Eu, que até já tinha alguma prática na matéria, vejo-me este ano a acumular três trabalhos, em três sítios completamente diferentes, mais todos os biscates que aparecem e que uma pessoa nunca nega porque "ah e tal... faz currículo", mais uma tese de doutoramento... e sinto que não preciso assim muito que pensem se há dinheiro para as reformas porque não estou certa se não dou o berro antes...
    Mas pronto... andando e vendo :)
    E sim... estou ali como a Rachelet. Com a distância de que também gosto dos vernizes da Chanel... mas não faço empréstimo para os comprar :)
    Beijinhos a tutti*

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!