terça-feira, 21 de setembro de 2010

Vamos todos ajudar a Guidinha!!

É totalmente contra o meu feitio, dar tempo de antena ao que não merece! Tenho por princípio não alimentar a mediocridade e a má formação, mas depois de ter visto este post, perdi (e aqui é mesmo perder) 2 minutos a ler e fiquei chocada com a tacanhês da Margarida Rebelo Pinto.

Entre outras pérolas destaco este pedaço de porcaria, que aparece logo a abrir a "crónica":
Serve esta crónica para retratar e comentar um certo elemento que existe frequentemente em grupos masculinos e que responde pelo nome genérico de ‘Gordinha’. A Gordinha é aquela amigalhaça companheirona que desde o liceu cultivava o estilo maria-rapaz, era espertalhona e bem-disposta, cheia de energia e de ideias, sempre pronta para dizer asneiras e alinhar com a malta em programas. Ora acontece que a Gordinha é geralmente gorda e sem formas, tornando-se aos olhos masculinos pouco apetecível, a não ser em noites longas regadas a mais de sete vodkas, nas quais o desespero comanda o sistema hormonal, transformando qualquer bisonte numa mulher sexy, mesmo que seja uma peixeira com bigode do Mercado da Ribeira.

Depois, resolvi perder mais dois minutos, fazer um scroll down... e deparei-me com outro post e percebi que a senhora não está bem!
O que é certo é que as senhoras gordas que vejo na praia me parecem mais sorridentes e felizes do que as poucas magras que por ali se estendem ao Sol e que exibem curvas mais suaves e harmoniosas com muito menos garbo. Talvez o ditado que reza «gordura é formosura» – ao qual eu sempre respondo com «magreza é beleza» – vença no território nacional.
(...)
Conheci uma família de gordos que passava as refeições a relatar outros almoços e jantares de carácter histórico pelas inesquecíveis iguarias que deglutiram. Era uma família feliz, com excepção de um elemento – a minha amiga, da mesma idade que eu, desgraçadamente magra, como eu, e como tal, dada a tristezas e nostalgias. 

Precisa de apoio, de terapia*... ou então ir para uma daquelas casas onde se vestem umas camisas brancas, de mangas compridas que abotoam atrás... sempre lhe davam a comida à boquinha e saciava-se alguma da fome que com certeza anda naquele corpinho... já que a satisfação de outras "necessidades" da carne (também elas pecaminosas), só mesmo se houver por aí algum voluntário disposto a fazer uma obra de caridade!

*ou isso ou então é um golpe publicitário... tenho cá para mim que ela também conhece aquela frase: "falem bem ou falem mal, mas falem de mim"...

5 comentários:

  1. Eu sempre achei que as desgraças que a senhora escreve se deviam a alucinações provocadas pela fome...

    ResponderEliminar
  2. Nunca tinha visto as coisas desse prisma!! Só pode mesmo!! Ou então é só parva!!

    ResponderEliminar
  3. Eu mandei-lhe a resposta que está no meu blog. ;)

    ResponderEliminar
  4. Olá Polo Norte! Já vi a tua resposta, e lamento ser eu a dizer-te que tenho muitas dúvidas que o teu brilhantismo seja alcançado pela Guidinha... é o chamado pérolas a porcos... ou melhor, porcas!

    Aparece sempre!

    ResponderEliminar
  5. A resposta da Pólo está genial mas o teu * parece-me pôr o dedo na ferida. Desde que se fale... Coitada.

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!