segunda-feira, 7 de junho de 2010

Mas está tudo parvo?!?

Tudo muito bem, que cada um escreva aquilo que quer nos seus respectivos cantinhos virtuais. Tudo muito bem, que quem não gosta não é obrigado a ler. Tudo muito bem que a estupidez humana é infinita*, mas ele há coisas que nunca deviam sair nas mentes brilhantes de quem as pensa! "Aí que me está mesmo mesmo a dar vontade de escrever esta idiotice que pensei!" Não há que enganar: vai-se buscar o caderninho da Hello Kitty, e as meninas vão buscar o bloquinho da Barbie, e vai de despejar os disparates como se não houvesse amanhã! Depois é só guardar... de preferência em segredo! Caso contrário, temos que levar com pérolas como estas:
 
Exemplo 1: 
"Caso de usurpação de identidade"... ou "Ai que a minha vidinha é tão enfadonha, que vou ali buscar ideias que parecem ser giras e dizer que são minhas"

Breve explicação: a Sô Dona Titinha, usava as frases publicadas pela Luna no seu blogue, e usava como suas, na página que tem/tinha no facebook! Isto seria grave se não fosse triste... é que a pobre chegou ao ponto de assumir tanto as doenças quando os pretendentes virtuais da autora do Crónicas das Horas Perdidas!

Exemplo 2: 
Exercício de parvoíce.
(Lido primeiro, no Blogue do Desassossego)


(...) Esta lei não surgiu do nada. Ela constitui apenas o mais recente passo de uma vasta campanha de promoção do erotismo, promiscuidade e depravação a que se tem assistido nos últimos anos. Por detrás de leis como o aborto, divórcio, procriação artificial, educação sexual e outras está o totalitarismo do orgasmo. Parece que o deboche agora se chama "modernidade". Mas se um dia, em vez de uma maioria porcalhona, tivermos um parlamento nihilista, espírita, xenófobo ou iberista, o que salva a identidade nacional?
Hoje mesmo, na actual composição parlamentar, não será difícil encontrar uma maioria para apoiar coisas abstrusas, como a proibição de touradas ou rojões, imposição da ordenação sacerdotal de mulheres ou a obrigatoriedade de purificadores atmosféricos. 

Breve explicação: Assim escreve João César das Neves, sobre a Lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Não sei o que me deixa mais chocada, se haver pessoas que pensam "isto", se "isto" ter sido publicado num Jornal de grande tiragem como é o DN (no caso, o de dia 31 de Maio de 2010).

Exemplo 3:
... burrice?!?... não me ocorre qualificativo melhor...
(...) Como bloguista que sou, tenho a total liberdade de expressão de vos apresentar o top 7 dos piores blogs que encontrei.(que por acaso coincide com os 7 pecados mortais)


Breve explicação: Aparentemente Portugal tem uma nova opinion maker - Rui Santos e Nuno Rogeiro, ponham-se a pau -, a Isilda! Ora, a Isilda, munida de argumentos tão válidos quanto "[os posts de determinado blogue] não têm introdução, desenvolvimento e conclusão", apresenta a sua listagem dos piores blogues, sob o chapéu da liberade de expressão!... Lá está, é preciso saber usá-la. 

Posto isto, volto a fazer a pergunta: mas está tudo parvo?

* "Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta." Atribuída a Albert Einstein

2 comentários:

  1. ...a par dos "sete blogs mortais" e dos "copy/paste's" catitas das Tititas deste mundo, preocupa-me bastante a falta de sensibilidade e profissionalismo do DN...em jornais locais este tipo de situações, para além de graves, imagino que sejam mais comuns...e sim...está tudo parvo!

    ResponderEliminar
  2. ah pronto!! não sou só eu a achar! antes isso!

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!