segunda-feira, 15 de março de 2010

Não é tão fácil quanto parece

Hoje decidi que a banda sonora do meu dia, ia ser feita só de leitura de poemas! Estratégia deliberada para entrar num modo Zen, outrora característico da minha pessoa, mas que nos últimos dias tem andado perdido. A paz interior começava a instalar-se quando, num daqueles devaneios que me são característicos, percebi o quão difícil é falar baixinho ao ouvido! Murmurar romanticamente, deve ser mesmo considerada uma forma de arte que não está acessível a todos, porque em correndo mal, pode ser muito constrangedor! Vejamos:

Falar muito baixo: pode levar a que de facto a mensagem (função principal da linguagem) não passe. É uma daquelas situações, em que a única coisa que se ouve é o soprar das palavras, que têm o efeito semelhante ao de ir numa viagem de carro, com a cabeça do lado de fora da viatura sendo os ouvidos invadidos pelo vento, não deixando espaço para que qualquer outro som se torne perceptível! Todo este cenário, só piora se nos for feita uma pergunta, que é respondida com um sorriso vago que pode ser interpretado como desinteresse, quando na realidade reflecte a incompreensão e desconforto do momento, que piora necessariamente, depois do esforço mútuo. A partir deste ponto o clima para o que quer que fosse fica reduzido a zero!!!

Photo @ Flickr by t4tO

Falar muito alto: a mensagem chega a quem é suposto, sim senhora... e a todas as outras almas que possam estar por perto e que a partir dessa altura, vão ter assunto para o resto da noite, matando mais uma vez qualquer faísca amorosa que possa surgir e provocando novamente a distância entre os convivas, na esperança vã de introduzirem confusão na avaliação de quem possa estar por perto.


Agora, quando devidamente dominada a arte de sussurrar, o seu poder pode ser devastador! O efeito perturbador que provoca, só é superado pela escolha (que terá de ser sempre inteligente) das palavras e por um timbre (quente e forte) entre o Samuel L Jackson ou do James Earl Jones*.


Seja como for, vale sempre a pena o esforço!... Tendo dito isto, vou pôr o senhor Andy Garcia a dizer(-me) umas palavrinhas de Neruda ao ouvido, que faz sempre bem à alma!


* os meninos que me perdoem mas não me ocorreu nenhuma voz de mulher para dar o exemplo... aceitam-se sugestões.

2 comentários:

  1. Huummm... talvez a melodiosa voz de Júlia Pinheiro não fosse má ideia. ;)

    ResponderEliminar
  2. E com este teu comentário, deixei de querer entender os homens!!!

    (Brincadeirinha tua e minha, vale!)

    Mas uma Sónia Tavares... se calhar...

    Beijinho

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!