sexta-feira, 6 de julho de 2012

Cozinha hipster


Ontem tive uma epifania: os programas culinários em Portugal são hipster! Passo a explicar porque reconheço que esta não é uma relação simples de estabelecer.

A entrada no novo milénio levou-nos os programas de televisão com cozinheiros e trouxe-nos episódios de preparação de alimentos com chefs jovens, descontraídos e barbudos. Parecendo que não, a verdade é que isto constitui uma mudança tremenda. Os saudosos (ou nem tanto) Gouchas em formato 40cmx40cm usavam (bigode) um leque mais ou menos restrito de utensílios de cozinha, ingredientes e linguagem técnica facilmente identificável por quem não tinha medo de se aprochegar da cozinha e preparar refeições caseiras. Hoje em dia, os programas dos nossos chefs mostram-nos um sem fim de ingredientes mais ou menos bizarros, biológicos (como se os houvesse de outro tipo), frequentemente caros e que não existem nas cozinhas comuns. Há um sem fim de etapas para cumprir, com nomes técnicos dignos de serem adaptados a animais de estimação - "'cá à dona Ganache" - que vão resultar num mundo de loiça para lavar. Tempo, a meu ver, melhor empregue à mesa para saborear a companhia e a refeição. E depois o desperdício que se sente como uma facada nos dias que correm: a cenoura, a courgette e demais legumes devem ser cortados numa mandolina (que tooooddddaaaa a gente tem) com um certa inclinação (que vai fazer toda a diferença) o que leva a que metade dos produtos vão para o lixo. Mas tudo isto resultará num prato de aspecto rústico, casual, descontraído que qualquer um com um par de pinças (e estou a falar daquelas de laboratório mesmo!) e um arsenal de bisnagas conseguirá reproduzir! 


(Dica: se houver por aí que se ajeite na cozinha e que tenha ideias para receitas engraçadas que não impliquem ir à falência, ter um pequeno armazém com um arsenal de utensílios, tirar um dia de férias para preparar um almoço e que ainda tenha paciência para ensinar aquelas coisas que não se aprendem com as mães, então que se chegue à frente com um programita! Eu sei que não falhava um!)

3 comentários:

  1. Sooo true.
    Não faço ideia do que seja uma mandolina, não estou para ir comprar utensílios que servem para fazer receitas que dão imenso trabalho (nisso, tem piada o anúncio da coca-cola, com o fácil fácil) e também não estou para andar todos os meses a comprar os produtos do Corte Inglès, que podem ser muito bio e orgânicos e não-sei-quê, mas não ganho para largar 50 euros por um cestinho de verduras.

    Além disso, pela bloga afora vou vendo sites de receitas, geralmente, com fotos muito apetecíveis e tal, mas são sempre coisas que demoram a fazer e requerem um sem-fim de ingredientes (sempre com 2 ou 3 daqueles que sabe-deus onde os desencantam).

    No dia em que apanhar um programa/blogue onde cozinhem coisas em 15 minutos com um máximo de 6 ingredientes (todos encontráveis no Pingo Doce), falamos.

    ResponderEliminar
  2. O que é uma mandolina e um ganache??? Eu cá faço na minha cozinha a comida tradicional portuguesa, e lá em casa todos me elogiam, ás vezes vejo esses programas, e tiro ideias e adapto aos ingredientes que tenho e posso comprar, pois há coisas para lá de caras. Eu cozinho a olho, nao ando cá com medidas, e nem provo, eu oriento-me pelo cheirinho que fica pela casa :) sou muito pratica. Ja o meu principe suja a louça toda para fazer uma refeição simples que por vezes nao fica no ponto certo do comestivel. O que importa é a intenção :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Por essa net fora há montes de blogs de culinária, sendo que alguns têm coisas fixes, que não usam ingredientes ou utensílios estranhos - mas dá trabalho. Eu vou vendo os blogues e guardo os links das receitas num programa de word. Quando quero algo diferente vou lá procurar pelo títulos o que é possível fazer naquele fim de semana. Há receitas que foram colecionadas há anos e ainda não chegaram ao tacho...

    ResponderEliminar

Aviso à navegação: como sou eu que mando neste estaminé, quando não gostar dos comentários não os vou publicar. Temos pena mas é a vidinha. Todos os outros comentários são bem-vindos!